Menu
domingo, 24 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Exposição excessiva a telas pode reduzir capacidade motora de crianças

28 junho 2020 - 08h45Agência Brasil

Pesquisa realizada pelo Departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp), sobre a exposição excessiva às telas de computador, televisão, celular tablet ou videogame mostrou que mais de 55% das crianças avaliadas faziam as refeições assistindo televisão, e 28% passavam longos períodos utilizando mídias de tela. Além disso, o uso excessivo de mídia de tela aumentou o risco de as crianças apresentarem habilidades motoras pobres, acentuou a inatividade física e diminuiu as horas de sono. O estudo abrangeu 900 crianças em idade pré-escolar, de 4 a 6 anos.

Para a pesquisa foram entrevistados pais ou responsáveis que responderam a questionário para determinar o perfil de atividade física e duração de sono da criança. As perguntas englobaram informações sobre os níveis de atividade física das crianças, número de horas de sono durante a noite e o dia, uso da mídia de tela e hábitos de uso. Para o tempo de uso das mídias de tela havia quatro opções de resposta: menos de 1h por dia; mais de 1h por dia até menos de 2h por dia; 2h por dia; ou mais de 2h por dia.

“As crianças realizaram uma avaliação motora completa, com testes como manuseio de objetos, andar em linha reta, pular, ficar na ponta dos pés, imitação de gestos, noções de direita e esquerda, repetir frases e reprodução de estímulos visuais e auditivos”, explicou a fisioterapeuta e doutoranda do Departamento de Psiquiatria da EPM/Unifesp, que conduziu a pesquisa, Erika Felix.

De acordo com Érika, o aumento do risco de comprometimento das habilidades motoras em função do uso excessivo das telas se justifica pelo fato de que a infância é um período crucial para o desenvolvimento motor e cognitivo e é significativamente influenciada pelo ambiente.

“Assim, recomenda-se que crianças de até 11 anos realizem pelo menos 60 minutos de atividade física por dia, tenham 2 horas ou menos de uso de mídia de tela de lazer por dia e durmam de 9 a 11 horas por noite”, disse.

Com a chegada da covid-19 no Brasil e a necessidade do isolamento social, as atividades ficaram limitadas e as crianças aumentaram o uso desses equipamentos. Segundo o levantamento, crianças de todas as idades passavam, em média, cerca de 3 horas de seus dias nas telas antes desta crise, período que passou para 6 horas, número que pode ser até maior, de acordo com a pesquisadora.

“Temos que fazer o que é prático e possível no momento para sobreviver, e isso inclui, também para as crianças, em ter mais tempo de tela. Mas a supervisão dos pais é de extrema importância, enfatizando que o tempo na tela não deve substituir a atividade física e o sono suficiente para todos”, concluiu a fisioterapeuta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Flagrante
Dois turistas são multados em R$ 1,8 mil por pesca predatória no rio Miranda
Alerta
Últimos dias para inscrições em editais da Funarte
Imunização
Quem pode se vacinar contra Covid neste fim de semana
1 hora a menos
Agepan defende o retorno do horário de verão para economia de energia em MS
74 vagas
Concurso público da Sanesul recebe inscrições até 11 de novembro
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19
Orientação
O que fazer para prevenir problemas durante e após temporais
CNH MS Social
Programa de habilitação gratuita já tramita na Assembleia Legislativa
Tempo
Chuva ganha força a partir deste sábado e pode trazer nova tempestade para MS
Precaução
Tradicional Procissão Fluvial é cancelada devido previsão de mal tempo

Mais Lidas

Causa não definida
Motorista de ônibus fretado com 42 passageiros perde o controle e colide na mureta da ponte
Dom Bosco
Homem baleado pede socorro em escola, mas não resiste e morre
Desdobramento
Embarcação que naufragou e fez sete vítimas no rio Paraguai não era de transporte turístico
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19