Menu
quinta, 29 de julho de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Expresso Mato Grosso - Promoção de Junho
Geral

Exportação estadual de industrializados fecha ano de 2015 com queda de 21,9%

20 janeiro 2016 - 11h39Assessoria
A receita com as exportações de produtos industrializados de Mato Grosso do Sul fechou 2015 com queda de 21,9% em relação ao ano de 2014, diminuindo de US$ 3,68 bilhões para US$ 2,87 bilhões, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. Em relação ao volume, no mesmo período, a redução foi de 20%, saindo de 11.615.600 toneladas para 9.288.241 toneladas, sendo que no ano passado os produtos industrializados representaram 61% de tudo que foi exportado pelo Estado, enquanto em 2014 esse percentual chegou a 70%. Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, em 2015, as maiores reduções ocorreram nos grupos “Extrativo Mineral”, “Complexo Frigorífico”, “Couros e Peles”, “Óleos Vegetais”, “Papel e Celulose” e “Açúcar e Etanol”, que proporcionaram, no comparativo com o ano anterior, uma redução superior a US$ 810 milhões. “Em dezembro, a venda externa de produtos industriais totalizou US$ 266,8 milhões, queda nominal de 6,4% em relação ao mesmo mês de 2014, quando o valor foi de US$ 285,0 milhões. Quanto ao volume, no mês, a queda foi de 9,4%”, detalhou.   Desempenho Em 2015, a receita de exportação do grupo “Papel e Celulose” totalizou US$ 1,07 bilhão, indicando queda de 1,8% em relação a 2014, quando as vendas foram de US$ 1,09 bilhão. O resultado verificado teve como principal influência a diminuição das aquisições em importantes mercados compradores da celulose sul-mato-grossense, com destaque para a Holanda, Vietnã, Estados Unidos, França, Emirados Árabes Unidos e Coreia do Sul, que, somados, compraram US$ 80 milhões a menos, quando comparado com o ano passado. No “Complexo Frigorífico”, a receita de exportação em 2015 alcançou o equivalente a US$ 876,5 milhões, apontando queda de 27,1% sobre o ano anterior, quando o total ficou em US$ 1,2 bilhão. A redução observada se deu, principalmente, por conta da forte diminuição das compras em importantes mercados para as carnes de Mato Grosso do Sul, com maior peso para a Rússia, que sozinha foi responsável por uma redução superior a US$ 251 milhões, enquanto na sequência, na mesma condição, aparecem Hong Kong, Japão e Arábia Saudita, totalizando US$ 100,5 milhões.   Outros grupos Em 2015, no grupo “Açúcar e Etanol”, a receita de exportação fechou o ano em US$ 348,9 milhões, queda nominal de 1,7% sobre o ano anterior, quando as vendas foram de US$ 355,1 milhões. O resultado foi influenciado, principalmente, pela diminuição das compras realizadas pela Malásia, Geórgia, Iêmen, Reino Unido, Uruguai, Emirados Árabes Unidos, Egito e Israel, que, somados, reduziram em quase 177 mil toneladas o volume do açúcar comprado de Mato Grosso do Sul, enquanto, em valores, a queda foi superior a US$ 79 milhões. Outro fator com bastante peso no desempenho apresentado foi a redução de 16,5% no preço médio da tonelada do produto. Já o grupo “Óleos Vegetais” fechou o ano de 2015 com receita equivalente a US$ 176,9 milhões, apontando queda de 23,7% sobre o ano de 2014, quando as vendas alcançaram US$ 231,6 milhões. O desempenho foi fortemente influenciado pela queda de 60% nas compras realizadas pela Holanda, Tailândia, França, Reino Unido e Coreia do Sul, sendo que os cinco países estavam entre os seis principais destinos das vendas de Mato Grosso do Sul em 2014, com participação equivalente a 77%, sendo que em valores a soma das aquisições desses países alcançava US$ 178 milhões.   Minério e couros Quanto ao grupo “Extrativo Mineral”, a receita de exportação em 2015 alcançou o equivalente a US$ 183,8 milhões, indicando recuo de 64,7% sobre o ano de 2014, quando as vendas foram de US$ 520,6 milhões. Resultado fortemente influenciado pela queda de 52% no preço médio da tonelada do minério de ferro, bem como pela redução de 38% no volume comercializado do produto. Em valores, o preço médio da tonelada caiu de US$ 69,00 em 2014 para US$ 33,00 em 2015. Já em relação ao volume, o total vendido em 2015, alcançou o equivalente a 4,18 milhões de toneladas, contra 6,79 milhões de toneladas no ano passado. Por fim, os minérios exportados por Mato Grosso do Sul tiveram a Argentina como principal destino com 97,3% do total ou US$ 178,8 milhões. No grupo “Couros e peles”, a receita de exportação em 2015 alcançou US$ 121,9 milhões, mostrando queda de 35,4% sobre o ano anterior, quando as vendas foram de US$ 188,7 milhões. O resultado foi influenciado, basicamente, pela redução das compras efetuadas pela China, Hong Kong, Tailândia, Itália e Vietnã que, somados, proporcionaram receita inferior em US$ 53,6 milhões. Quanto ao volume, foram vendidas 7,4 mil toneladas a menos para esses países, indicando uma redução de 18,1%. Somado a isso, no mesmo período, também houve a diminuição de 19% do preço médio da tonelada do couro exportado por Mato Grosso do Sul.        

Deixe seu Comentário

Leia Também

Dia mais frio do ano
MS registra geada em 26 cidades e tem sensação térmica de -6ºC
Operação Vostok
Polaco volta a MS para depor na PF sobre crimes fiscais
Alerta
Prazos para regularização de infrações, veículos e habilitação voltam a ser cobrados
Após 4 anos parada
Além de produzir energia, usina termelétrica reativada vai gerar empregos e ICMS
Investigação
Acusado ganhava confiança das vítimas para praticar crimes de estelionato
Tempo
Frio ganha força e aumenta chance de geada nesta quinta-feira
Agricultura
Colheita do milho deve sofrer queda de mais de 2 milhões de toneladas
Destaque
MS mantém liderança no ranking da OPAS como melhor Estado que vacina contra Covid-19 no país
Olímpiadas
Tóquio: seleção brasileira vence a Arábia Saudita e avança às quartas
Calendário
Comprovação para a primeira chamada do Prouni termina hoje

Mais Lidas

Na Capital
Júri absolve assassino confesso por ele ter agido em "ato de desespero"
Ilumina Pantanal
Projeto leva energia solar para sete municípios e mais de 2 mil famílias no Pantanal
340 vagas
Matrículas para cursos de línguas do IFMS começam nesta quarta (28)
Monitoramento
Ladário sai da bandeira vermelha e volta para laranja