Menu
terça, 21 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Ex-presidente do PSTU em Corumbá repudia destruição de outdoor e diz que ação foi criminosa

17 agosto 2020 - 07h48Sylma Lima

Ex-presidente do PSTU (Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado) em Corumbá, professor Marco Antônio Oliva Monje, usou as redes sociais neste fim de semana para expressar sua opinião de repúdio contra autores da destruição dos outdoors que criticavam o presidente Jair Bolsonaro em Corumbá.  O professor disse que a livre manifestação de pensamento é assegurada do artigo 5º da Constituição Federal e afirmou em entrevista ao Capital do Pantanal, que a ação foi criminosa de dano.

Professor Monje, presidente do PSTU em Corumbá, condenou a atitude. Foto: Reprodução Internet

Os quatro outdoors da campanha “Fora Bolsonaro”, assinados pelo Sinasefe (Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação), foram afixados na última quinta-feira (13), sendo um na Avenida 14 de Março, em Ladário e três em Corumbá: no Anel Viário, na parte alta da cidade e próximo a UFMS. Os cartazes não chegaram a ficar nem 24h expostos. “Vivemos num país cujo regime é pautado na democracia e pluralidade e esta ação nos surpreende porque não era necessário tudo isso, bastavae acionar a polícia e pedir a retirada dos protestos. Vimos a mais pura expressão da covardia e desequilíbrio”. Declara professor Monje.

Elano, apoiador do presidente, considerou a cmapanha ofensiva. Foto: Divulgação

Por outro lado, representantes partidários do presidente Jair Bolsonaro, também fizeram vídeos postando nota de repúdio nas redes sociais contra os cartazes que consideraram ofensivos a honra, a moral e a integridade do presidente da república, “até para protestar tem que haver um limite, pois o que fizeram gera ódio e violência , além de tudo acusaram o presidente de um crime e sabemos que não é verdade”, disse Elano Saldanha salientando que considerou  as placas fora de propósito.

Apoiadores do presidente consideraram os cartazes fora de propósito. Foto: Reprodução Internet

A guerra das placas começou quando foi confirmada a visita de Bolsonaro em Corumbá para inaugurar um radar instalado no aeroporto da cidade, que tem por objetivo garantir a segurança do espaço aéreo brasileiro e combater o crime organizado, que utiliza aviões em pistas clandestinas, maioria em fazendas, para transportar drogas. Segundo assessoria do presidente ele chega em Corumbá no dia 18 de agosto, quarta-feira dessa semana, por volta das 9h, e deve visitar também a capital, Campo Grande e Nioaque, o roteiro pode sofrer alterações.

O Sinasefe denunciou o ato a Polícia Civil com registro de Boletim de Ocorrências e divulgou nota de repúdio sobre o fato. 

javascript:void(0)

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Brasil quer atrair mais investimentos privados, diz presidente na ONU
21 de setembro
Incêndios continuam e Corumbá não tem motivo para celebrar o dia da árvore
Mudança no prazo
Saúde mantém vacinação para adolescentes em MS
Dados Estatísticos
Índices de criminalidade apresentam queda em Mato Grosso do Sul
Limpeza
Nos dias 22 e 23 tem ação de combate à dengue no bairro Cravo Vermelho
Evento Virtual
Semana Temática do Empreendedorismo acontece nos dias 28, 29 e 30 de setembro
Crime
Concen pede ação da Polícia Civil no combate ao furto de fios de energia em MS
Maratona
Prorrogadas inscrições para o Hackathon IFMS
Naviraí
Casal preso por tráfico de aves silvestres recebe multa de R$ 2,5 milhões da PMA
243 anos
Corumbá celebra aniversário com retomada de desenvolvimento

Mais Lidas

Denúncia
Bar é fechado e proprietário é multado em R$ 5 mil por poluição sonora
Fronteira
Mulher presa com "cinturão de cocaína" receberia R$ 1.500 pela travessia
Oportunidade
Senac Corumbá abre inscrições para cursos na área da saúde
Tempo
Primavera terá La Niña de fraca intensidade, chuvas abaixo da média e muito calor