Menu
terça, 21 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Estudo da UFMS aponta que Covid continua em ascensão na cidade de Corumbá

25 agosto 2020 - 10h14Gesiane Sousa com informações da Ascom UFMS

Segundo relatório Técnico da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), que analisa os indicadores e indices de morbimortalidade da Covid-19 na macrorregião de Corumbá, com base nos números das semanas epidemiológicas 31 e 33, a cidade ainda não atingiu o nível de estabilidade da pandemia. Continua em alerta número 4 com aumento preocupante no número de mortes entre 1º e 15 de agosto.

O estudo coordenado por professores, técnicos e estudantes da UFMS, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), mapeia a situação da pandemia da Covid-19 nas cidades de Corumbá e Ladário, desde quando a Organização Mundial de Saúde (OMS), decretou o estado de epidemia mundial, em março desde ano. Este é o terceiro relatório divulgado.

No documento, foi constatado que houve variação de 225% em relação aos óbitos, na primeira quinzena de agosto. A taxa de letalidade em Corumbá chegou a atingir 3,8%, recebendo o status de uma das maiores do Estado. Os indices de morbimortalidade também preocupam, são de 3,5% para Corumbá e 1,74% para Ladário. As cidades fazem fronteira com a Bolívia, onde há aproximadamente 170 mil habitantes somente na região fronteiriça, essa população também é atendida pelo único Hospital Público de Corumbá, que fica sobrecarregado e busca meios de atender a todos com qualidade.

Pesquisadores evidenciam que no Brasil “não há testagem massiva e que, embora apresente um registro de casos confirmados significativo, não reflete a realidade, senão, aproximadamente 20% dela. Cumpre salientar que apesar da elevação do número de teste rápido na macrorregião de Corumbá para 200 por semana, ainda tem-se baixa dimensão do quanto a doença atinge a população. E chama atenção o fato de Corumbá apresentar a maior taxa de positividade para os testes os rápidos, entre as quatro macrorregiões de saúde do estado”.

Até 19 de agosto, as quatro macrorregiões do Estado haviam testado, por meio de teste rápido, os seguintes números:  Campo Grande havia testado 6.265 pessoas com 286 positivos (4,6%); Dourados testou 3.924 com 477 positivos (12,2%); Três Lagoas testou 1.180 com 65 positivos (5,5%) e Corumbá testou 1.574 com 306 positivos (19,4%).  

Um dos alertas feitos pelo estudo se refere as medidas de restrição adotadas pelo comércio, segundo pesquisadores, apesar do apelo do setor produtivo para retomada da economia, eles destacaram que países que obtiveram bons resultados no enfrentamento do vírus, adotaram medidas duras para impedir o avanço da doença.

Boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (25) pela secretaria de saúde municipal, Corumbá tem 2.271 casos confirmados, sendo 2.042 recuperados e 82 mortes.  

Tenha acesso ao relatório na íntegra pelo link.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Brasil quer atrair mais investimentos privados, diz presidente na ONU
21 de setembro
Incêndios continuam e Corumbá não tem motivo para celebrar o dia da árvore
Mudança no prazo
Saúde mantém vacinação para adolescentes em MS
Dados Estatísticos
Índices de criminalidade apresentam queda em Mato Grosso do Sul
Limpeza
Nos dias 22 e 23 tem ação de combate à dengue no bairro Cravo Vermelho
Evento Virtual
Semana Temática do Empreendedorismo acontece nos dias 28, 29 e 30 de setembro
Crime
Concen pede ação da Polícia Civil no combate ao furto de fios de energia em MS
Maratona
Prorrogadas inscrições para o Hackathon IFMS
Naviraí
Casal preso por tráfico de aves silvestres recebe multa de R$ 2,5 milhões da PMA
243 anos
Corumbá celebra aniversário com retomada de desenvolvimento

Mais Lidas

Denúncia
Bar é fechado e proprietário é multado em R$ 5 mil por poluição sonora
Fronteira
Mulher presa com "cinturão de cocaína" receberia R$ 1.500 pela travessia
Oportunidade
Senac Corumbá abre inscrições para cursos na área da saúde
Tempo
Primavera terá La Niña de fraca intensidade, chuvas abaixo da média e muito calor