Menu
quinta, 21 de janeiro de 2021
Andorinha Janeiro/Fevereiro
Andorinha Janeiro/Fevereiro Mobile
Geral

Em encontro com Odilon, presidente da Fiems reforça propostas para setor produtivo

13 setembro 2018 - 13h14assessoria de imprensa

 “Um governador não tem condições de desenvolver Mato Grosso do Sul sozinho, por isso, vou contar com o apoio e sugestões da classe empresarial de todos os setores, que são os verdadeiros especialistas conhecem como ninguém as particularidades e necessidades do estado, para me auxiliar na elaboração de medidas que possam nos levar ao crescimento”. Esse foi o retorno do candidato a governador pelo PDT, juiz federal aposentado Odilon de Oliveira, às propostas do setor produtivo apresentadas na noite de ontem (12/09), na sede da Famasul, em Campo Grande (MS), para alavancar a indústria, comércio, turismo, serviços e agropecuária local.

O juiz federal aposentado foi o 2º candidato a reunir-se com representantes da Fiems, Famasul, Fecomércio/MS, Faems e Sebrae/MS para conhecer as propostas do setor produtivo do Estado para o próximo governador, enquanto o 1º foi Reinaldo Azambuja (PSDB), que concorre à reeleição, e o próximo será o candidato Junior Mochi (MDB). Nessas reuniões, as entidades entregam o caderno de medidas de curto e longo prazo para serem implantadas pelo próximo governante e que foram pensadas em conjunto para o desenvolvimento da economia estadual.

O foco do caderno de medidas é a austeridade fiscal. “O momento requer uma política de austeridade. Mato Grosso do Sul não enfrenta um déficit como em outros estados, porém, as despesas de custeio e com pessoal estão elevadas e, por isso, não sobra recursos para outros investimentos prioritários para alavancar a economia e gerar mais postos de trabalho e renda para a população”, afirmou o presidente da Fiems, Sérgio Longen, que falou em nome do setor produtivo, completando que a redução de gastos passaria por um equilíbrio fiscal da Previdência e das despesas.

Sérgio Longen afirma que os setores estão alinhados e, desta forma, foi possível elaborar uma pauta única, cujo foco é a austeridade fiscal. “Esperamos que os candidatos ao governo sejam sensíveis às proposições e estejam dispostos a incluí-las em seus planos de governo, demonstrando que estão comprometidos com uma política de desenvolvimento sólida e expansiva", afirmou.

Outras reivindicações

Além das sugestões apresentadas em conjunto pelas entidades, cada federação apresentou medidas em separado para o candidato, voltadas especificamente para cada atividade. Anfitrião do evento, o presidente da Famasul, Maurício Saito, defendeu uma política sustentável de incentivos para o Pantanal. “É preciso manter a produção do nosso estado de forma sustentável, por isso, esperamos que o futuro governador tenha um olhar diferenciado para manter o equilíbrio entre a atividade agropecuária, a questão ambiental, e social”, disse.

Também citando o Pantanal, o presidente da Faems, Alfredo Zamlutti, lembrou que esta é a primeira vez Odilon de Oliveira disputa uma eleição. “Por ser ‘o novo’, esperamos que uma série de coisas sejam diferentes, com menos intervenção do Estado, mais incentivos para os empresários e elaboração de uma política séria que gere melhor aproveitamento do potencial do Pantanal”, declarou.

 O documento da Fecomércio/MS, apresentado pelo presidente Edison Araújo, contém uma série de propostas para melhorar a logística do estado e reduzir as despesas dos comerciantes. “Acreditamos que se o nosso próximo governador estiver comprometido com estas propostas, o comércio e setor de serviços do nosso estado será alavancado de maneira que terão condições de investir mais, contratar mais pessoas, e é justamente isso que a nossa população espera”, afirmou Edison Araújo.

O Sebrae/MS e Faems propuseram para as empresas do Estado, entre outras medidas, a expansão da RedeSimples para os 79 municípios, além de mais investimentos em inovação e tecnologia voltada para os pequenos negócios. “As compras governamentais, por exemplo, precisam incluir mais a pequena empresa, conforme previsto na lei. Isso fomenta negócios no interior e gera emprego”, acrescentou o superintendente do Sebrae/MS, Cláudio Mendonça.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Desconto em cursos do Senac Corumbá vai até o dia 31 de janeiro
Unidade oferece opções para quem quer investir na carreira profissional
POLICIAL
PF desmantela organização criminosa voltada ao tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em MS
Operação Viagem Santa investiga tráfico doméstico de cocaína e maconha as quais eram transportadas da cidade de Dourados/MS, para a cidade de São Paulo/SP
ESPORTE
Inter humilha São Paulo no Morumbi e volta à liderança do Brasileiro
DEFESA CIVIL
Aumento de nível dos rios e chuvas constantes colocam Defesa Civil em alerta
TEMPO
Nebulosidade e pancadas de chuva em todo Estado nesta quinta
MEIO AMBIENTE
Onça resgatada em novembro no Pantanal com queimaduras, será solta em seu habitat
FRAUDE ELEITORAL
Ministério Público quer impugnação de candidatos do PRB em Ladário
COVID-19
Pandemia ainda não acabou: MS registra mais de mil casos em apenas um dia
GERAL
Batida de carro e moto deixa criança ferida no Popular Nova
POLICIAL
PRF recupera dois veículos em MS que seriam levados para a Bolívia

Mais Lidas

FRAUDE ELEITORAL
Ministério Público quer impugnação de candidatos do PRB em Ladário
GERAL
Comando do 6º Distrito Naval abre inscrições para concurso de nível superior
GERAL
Confira a distribuição das doses de vacina contra a Covid-19 por município em Mato Grosso do Sul
GERAL
Batida de carro e moto deixa criança ferida no Popular Nova