Menu
sexta, 01 de março de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Dólar ultrapassa R$ 3,70 e registra maior valor em dois anos

18 maio 2018 - 09h36Agência Brasil

Pelo quinto dia útil consecutivo, a cotação do dólar comercial fechou em alta, dessa vez de 0,61%. Com isso, o preço de venda da moeda norte-americana terminou o dia em R$ 3,701, o maior valor em 26 meses. Na máxima do dia, a moeda chegou a valer R$ 3,713. A alta do dólar ocorre um dia depois do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) decidir manter os juros básicos da economia brasileira em 6,5% ao ano, numa tentativa de lidar com o aumento da volatilidade internacional de capitais e evitar a retirada de investimentos do país.

A desvalorização do real também pode ter influenciado a decisão do BC de manter a taxa Selic no mesmo patamar, uma vez que dólar mais caro pode significar aumento da inflação no médio prazo, devido ao encarecimento de produtos e serviços importados em moeda estrangeira.

O dólar turismo, que é aquele comprado quando alguém faz uma viagem internacional, estava sendo vendido a R$ 3,86 ao fim do pregão. No cartão pré-pago, no entanto, as casas de câmbio estavam vendendo a pelo menos R$ 4,06, já incluindo taxas como o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).  

A alta do dólar ocorre mesmo com ajustes na atuação do Banco Central no mercado de câmbio nos últimos dias. O órgão alterou leilões de contratos de swaps cambiais, equivalentes à venda de dólares no mercado futuro, passando a renovar contratos que tinham vencimento em junho. Com isso, o BC iniciou a oferta diária de rolagem integral de 4.225 contratos. Além disso, passou a fazer a oferta adicional de 5 mil novos contratos ao longo do mês e não apenas ao final, como estava previsto. A ideia, com isso, é manter aplicações em dólar no país, evitando a fuga da moeda que impacta na desvalorização do real.

EUA

Outras moedas de países emergentes, como México e Turquia, também tiveram dia de desvalorização frente ao dólar. Para o economista Sílvio Campos Neto, da Tendências Consultoria, o mercado de câmbio está seguindo um padrão externo de pressão a favor do dólar.

"Basicamente, um fator para isso é a continuidade dessa pressão, que é o reflexo do movimento de alta das taxas futuras de juros nos EUA", explica. Juros mais altos nos Estados Unidos estimulam que os investidores vendam ações na bolsa de valores e comprem títulos do Tesouro norte-americano, considerados os papéis mais seguros do mundo. Da mesma forma, propiciam a fuga de capitais de países emergentes, como o Brasil, para cobrir prejuízos em mercados de economias avançadas. Com menos dólares no país, o valor da moeda frente ao real aumenta. Para o governo, no entanto, a volatilidade é passageira e não há motivo para grandes preocupações.

IBovespa

O IBovespa fechou em queda de 3,37%, com 83.622 pontos, a maior baixa registrada em um ano, desde 18 de maio de 2017. Para o economista Joelson Sampaio, da Fundação Getúlio Vargas (FGV) em São Paulo, a manutenção da taxa Selic é um dos motivos para a forte queda. Outra razão apontada pelo economista é a valorização do dólar frente ao real. “A queda tem uma relação com a sinalização do governo de que o PIB [Produto Interno Bruto] tende a crescer menos do que eles esperavam. Os indicadores de atividade econômica não são bons, o PIB do primeiro trimestre em comparação ao do ano passado teve redução; o dólar continua se valorizando; e o Banco Central, que tinha a tendência de continuar reduzindo a Selic, acabou suspendendo isso. Somando tudo isso, acaba refletindo na expectativa dos investidores”, disse à Agência Brasil.

Mas este cenário, segundo o economista, não deve se repetir nos próximos dias. “Acho que a tendência que vai continuar é a volatilidade. É um período de muita volatilidade. Vai ter hora que vai cair, tem hora que vai subir. Mas sem uma tendência muito clara porque ainda há muitas incertezas [na economia do país]”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Benefício
Prefeito assina decreto que regulamenta aumento no plantão de profissionais da saúde
Imunização
Corumbá terá três postos de multivacinação neste sábado, 02 de março
Ranking
MS é destaque nacional na gestão de recursos federais e execução de projetos e convênios
Necessário
Recadastramento em programa do Governo que paga a conta de luz segue até 10 de maio
Campanha
Ladário expande vacinação contra dengue nas escolas da rede municipal
Evento
Corumbá sedia 3ª edição da Copa dos Campeões da Assomasul neste final de semana
Mudanças
Supremo derruba a regra sobre distribuição de sobras eleitorais em eleições proporcionais
Em processo
Reunião com novos diretores aborda habilitação de unidade de saúde exclusiva para presídios
Turismo ecológico
Encontro aborda aspectos da educação ambiental no turismo do Pantanal
Direito à saúde
DPU assegura que imigrantes sejam incluídos na fila de transplantes

Mais Lidas

10 vagas em MS
Inscrições estão abertas para concurso da Caixa com três vagas em Corumbá
Confirmado
Dupla sertaneja Henrique e Diego é a principal atração cultural do FIPEC 2024
Bombeiros
Acidentes de trânsito fazem quatro vítimas nesta manhã em Corumbá
27 vagas
Inscrições para concurso de professores da UFMS seguem abertas até 7 de março