Menu
domingo, 26 de maio de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Delcídio pede mais uma vez ao STF suspensão de processo no Conselho

23 abril 2016 - 08h57G1
O senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) voltou a pedir nesta sexta-feira (22) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a suspensão do processo contra ele no Conselho de Ética do Senado. Um dos delatores da Operação Lava Jato, Delcídio foi denunciado no Conselho de Ética pelo PPS e pela Rede em razão da acusação de que ele tentou obstruir as investigações do esquema de corrupção que atuava na Petrobras. Delcídio foi preso pela Polícia Federal em novembro do ano passado. Ele ficou 87 dias na cadeia, em Brasília, mas foi solto em fevereiro após fechar acordo de delação premiada. Desde que foi libertado, o senador não retornou às atividades parlamentares. Neste período, ele apresentou quatro licenças médicas ao Senado, a última delas relativa a uma cirurgia para retirada da vesícula. No mês passado, o ex-líder do governo já havia solicitado que a Suprema Corte barrasse as investigações no conselho sob o argumento de que vinha sofrendo constrangimento ilegal pelos procedimentos adotados no âmbito do Conselho de Ética. No entanto, o ministro do STF Celso de Mello negou o pedido de liminar. Agora, a defesa de Delcídio afirma que o senador é alvo de outros constrangimentos, como a impossibilidade de se manifestar sobre novas provas e o fato de o Conselho de Ética não aguardar o retorno dele para o interrogatório, sugerindo interrogatório por videoconferência ou no local onde se recupera de cirurgia. Para o advogado Antônio Figueiredo Basto, que defende o senador sul-matogrossense, não se trata de questão interna do Congresso Nacional, e sim de prejuízo à ampla defesa de Delcídio. A defesa do parlamentar do Mato Grosso do Sul afirma ainda que, depois que fez acordo de delação premiada, ele vem sofrendo "sérias e graves retaliações" por parte de outros senadores ligados ao governo, incluindo o relator do processo, senador Telmário Motta (PDT-RR). "Delcídio do Amaral tem o direito de exercer sua defesa em conformidade com os preceitos constitucionais. A condição de colaborador não o faz decair de seus direitos constitucionais e ninguém pode ser odiosamente perseguido por colaborar com o judiciário. O que se vê, no presente caso, é uma ânsia incontrolável de retaliação pela condição de colaborador do impetrante", afirma a defesa.   Ausência no Conselho Na última terça-feira (19), pela terceira vez consecutiva, Delcídio do Amaral não compareceu ao Conselho de Ética do Senado para prestar depoimento no processo que pede a perda do seu mandato por quebra de decoro parlamentar. A defesa de Delcídio alegou que o senador não recebeu todos os documentos relativos à representação em seu desfavor e, por isso, o parlamentar não tem totais condições para se defender das acusações.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Meio Ambiente
Relatório da ONU sobre o clima responsabiliza a humanidade por aumento de fenômenos extremos
Facilidade
Mais de R$ 1,8 milhão em taxas judiciárias já foram pagos via Pix
Variedades
Cassinos Online: Sorte e estratégia na era digital
Reitoria
Colégio Eleitoral da UFMS mantém Camila Ítavo em primeiro lugar na lista tríplice
Meio Ambiente
Juiz mantém proibido o desmate no Parque dos Poderes
Crime
Na delegacia, assassino "confesso" diz que conheceu corretora em aplicativo
Educação
UEMS e Fundect investem R$ 4 mi para fortalecer ensino superior em Mato Grosso do Sul
Em Maracaju
Estudantes do IFMS levam tecnologia a maior evento agro do Estado
Destaque
Dia da Indústria: Longen destaca força do setor industrial de Mato Grosso do Sul
Extrema magreza
Polícia resgata cães em situação de maus-tratos no Popular Nova

Mais Lidas

Tráfico de Drogas
Boliviana é presa com 12,7 kg de cocaína em botijão de gás transportado dentro de mala
Soldado Cidadão
Projeto da Marinha vai oferecer formação de condutores para recrutas em Ladário
Interdição
Ponte sobre o rio Paraguai fecha às 17 horas deste sábado; interdição deve durar 19 horas
Investigação
Polícia Civil prende homem acusado por furto de joias e celulares na cidade