Menu
quinta, 04 de março de 2021
Governo do Estado - Campanha de Março
Geral

Defesa alega que ação em ‘quitinete de Puccinelli’ foi sem mandado e ilegal

01 agosto 2018 - 09h44TopMídia News

Um vídeo enviado pela Polícia Federal para a defesa de André Puccinelli (MDB) supostamente mostra que os agentes da PF e o delegado que estiveram presentes na operação não tinham mandado ou autorização judicial para entrarem no local. Em nenhum momento a autorização foi mostrada. Pelo menos essa é a alegação da defesa do ex-governador.

"Eles estiveram aqui e não mostraram nenhum papel, nenhum mandado", garante seu Luiz, o homem que alugava o local para guardar o que seriam documentos e bugigangas do ex-governador. Havia, inclusive, uma maquete do polêmico Aquário do Pantanal e agendas da época em que ele era governador.

No vídeo, gravado em 8 de dezembro do ano passado, um dos agentes aborda Luiz Gonçalves Valente Filho em frente às casas que ele aluga no distrito industrial e pede que ele “conte rapidinho” a história do filho, que “o filho do senhor trabalha para o André Puccinelli Junior, o filho do André Puccinelli”. As imagens também mostram o momento em que o responsável pela operação insiste que o homem dê a autorização para entrar no local. 

“Vocês não foram? Então pode ir lá”, dizendo que eles já entraram, mesmo sem o mandado. A confirmação de que não foi apresentado mandado judicial já havia sido notícia no TopMidiaNews quando a reportagem esteve em Indubrasil e conversou com Luiz Valente. Ele afirmou que não teria recebido nenhum papel dos agentes e que deixou os mesmos entrarem pois “não iria contra delegado da polícia federal”. 

Segundo ele, a operação aconteceu depois de agentes à paisana monitorarem a região durante alguns dias. "Ficaram uma semana rodando com um carro Corola e vendo o movimento. Eu nem sabia o que tinha lá dentro e fui explicar isso. Quando perguntei de papel vieram dois delegados e um deles foi até ríspido comigo, mas a gente vai contra polícia?", reclamou e questionou.

A operação aconteceu em 8 de dezembro do ano passado, pouco depois de André Puccinelli ser eleito presidente regional do MDB e apresentado como pré-candidato ao governo pela sigla. Inicialmente a convenção do partido estava marcada para o dia 18 de novembro de 2017, porém teve que ser adiada, uma vez que no dia 14 de novembro aconteceu a primeira prisão do ex-governador, que durou menos de 24 horas. 

VEJA O MOMENTO DA BATIDA POLICIAL:

ENVOLVIDO
Nas imagens do vídeo, que tem duração de um minuto meio, um dos agentes questiona o proprietário sobre um homem chamado “João” e, segundo apurado pela reportagem, seria o advogado João Paulo Calves, também preso durante operação no dia 20 de julho. Ele seria um dos sócios do Instituto Ícone e estaria envolvido no suposto esquema de lavagem de dinheiro. 

A defesa de João Paulo nega que ele tenha envolvimento. “A abordagem da PF e o acesso à quitinete, no que diz respeito a meu cliente, certamente será objeto de esclarecimento e prova, na Justiça, o que até agora a ele não foi dada a oportunidade”, declara o advogado André Luiz Borges Netto.
“Meu cliente aguarda ser posto em liberdade para responder na Justiça, com clareza e rapidez, sobre toda e qualquer acusação, para revelar ser inocente, nada tendo feito de ilícito”, afirma.

André Puccinelli, o advogado André Puccinelli Jr e Calves foram presos no dia 20 de julho, um dia antes da primeira data anunciada da convenção do MDB, quando o nome dele seria referendado como candidato a Governador. A pedido da bancada o evento teve a data mudada para o dia 4 de agosto, ainda assim, a defesa defende a tese de prisão política.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Riedel aponta relevância do "Ilumina Pantanal"
BOLETIM COVID
Com mais 24 óbitos, MS contabiliza 3.374 mortes por Coronavírus
ABANDONO
Ladário sofre com descaso e abandono das autoridades municipais
CORONAVÍRUS
Saúde confirma primeiro caso da nova variante do coronavírus em MS
LUTO
Jornalista Jucyllene Castilho morre aos 35 anos em Campo Grande
SAÚDE
Idosos de 77 anos já podem se vacinar contra a Covid-19
SAÚDE
Anvisa diz que vacinas usadas no Brasil são seguras
POLÍTICA
André e Rose lideram 1ª pesquisa para o Governo em eleição 2022
COVID-19
Vereador propõe penalidades para quem não cumprir a ordem de vacinação dos grupos prioritários
CONCURSO PÚBLICO
Técnicos de Enfermagem são convocados em processos seletivos da Funsau

Mais Lidas

GERAL
PMA realiza trabalhos de orientação sobre minhocas em casas de iscas no MS
ABANDONO
Ladário sofre com descaso e abandono das autoridades municipais
INFRAÇÃO ADMINISTRATIVA
PMA autua morador de Corumbá por transporte ilegal de pescado
GERAL
Reinaldo Azambuja autoriza concurso público com 250 vagas para Polícia Civil