Menu
sábado, 13 de abril de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Contas de energia estarão mais caras a partir de 1º de julho em MS

27 junho 2020 - 09h55Redação

O Conselho de Consumidores da Área de Concessão da Energisa MS (EMS) alerta que a partir de quarta-feira, 01/07, as contas de energia elétrica terão o impacto do reajuste de 6,9%, aprovado em abril pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e cujo efeito ao consumidor foi postergado, em função da pandemia. “É preciso estar atento ao consumo. Como as temperaturas estão mais baixas, com a chegada do inverno, os custos tendem a subir em função do uso do chuveiro elétrico”, exemplifica a presidente, Rosimeire Costa.

Ainda não há decisão da Aneel quanto ao recurso ingressado pelo Concen contra o índice de reajuste. Embora só chegue aos consumidores a partir de 01 de julho, a distribuidora não fica sem arrecadar neste período, em que vai fazer o diferimento da parcela da Conta de Desenvolvimento Energético. O montante é de R$ 42 milhões e será recomposto nos seis meses subsequentes com aplicação da taxa Selic. O efeito financeiro será sentido pelo consumidor na RTA de 2021.

O recurso pontua vários argumentos do Concen quanto aos componentes que chegaram aos 6,9%, mas o principal deles é quanto ao risco hidrológico, que, sozinho, representa 40% deste cálculo. Isso porque, conforme admitido pela própria Aneel, tal risco foi sobrecalculado, sem considerar as chuvas abundantes que mantiveram os reservatórios de hidrelétricas cheios neste início de ano e a queda de demanda em função da pandemia do Coronavíus.

“Solicita-se, portanto, que a Aneel atenha-se ao estabelecido no que está regulado e leve em conta dados atualizados para o cálculo de Risco Hidrológico retificando os cálculos e reduzindo o valor desse efeito nos Componentes Financeiros do processo atual de 3,03% para 0,92%, reduzindo o reajuste tarifário de 6,90% para 4,76%”, consta do recurso do Concen.

O Concen é composto de representantes das principais classes de consumo de MS, por meio de indicações das entidades constituídas: Fecomércio MS, poder público, Famasul, Fiems e ABCCON/MS. Hoje é presidido pela representante da Fecomércio MS.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Destaque
Referência mundial em prevenção e combate aos incêndios florestais, Prevfogo completou 35 anos
Carreira
Cerca de 40 mil bacharéis em direito participam do ENAM neste domingo
Ação de Cidadania
Equipe técnica visita o Alto Taquari para planejar realização do Juizado Itinerante em junho
Destaque
Alunos de MS são premiados em terceiro lugar em desafio internacional de programação
Meio Ambiente
Lançado em 2023, SIFAU auxilia Mato Grosso do Sul na identificação de áreas para queima prescrita
Cidade
Vítima de ferimento por faca é destaque no plantão dos Bombeiros
Pacto de Cooperação
Governo e Sebrae/MS vão fomentar o empreendedorismo indígena em no estado
Evento
Turismo de MS leva capacitação, gastronomia pantaneira e lançamentos à 11ª WTM Latin America
Mercado Internacional
MS quintuplica potencial de abate e exportação de carne bovina para a China
Concretagem
Ponte fecha às 17 horas de hoje e reabre às 5h de domingo (14)

Mais Lidas

Morte à Esclarecer
Idoso é encontrado morto com marcas de mordidas de cachorro em Corumbá
Últimas 24 horas
Incêndio em casa no centro é destaque no plantão dos Bombeiros
Qualificação
Cursos técnicos com alta demanda no mercado são opções de qualificação no Senac Corumbá
Decisão Judicial
Ribeirinhos são despejados de terras no Morrinho