Menu
quinta, 02 de julho de 2020
Andorinha - Medidas Preventivas Coronavírus
Andorinha - medidas preventivas
Geral

Contas de energia estarão mais caras a partir de 1º de julho em MS

27 junho 2020 - 09h55Redação

O Conselho de Consumidores da Área de Concessão da Energisa MS (EMS) alerta que a partir de quarta-feira, 01/07, as contas de energia elétrica terão o impacto do reajuste de 6,9%, aprovado em abril pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e cujo efeito ao consumidor foi postergado, em função da pandemia. “É preciso estar atento ao consumo. Como as temperaturas estão mais baixas, com a chegada do inverno, os custos tendem a subir em função do uso do chuveiro elétrico”, exemplifica a presidente, Rosimeire Costa.

Ainda não há decisão da Aneel quanto ao recurso ingressado pelo Concen contra o índice de reajuste. Embora só chegue aos consumidores a partir de 01 de julho, a distribuidora não fica sem arrecadar neste período, em que vai fazer o diferimento da parcela da Conta de Desenvolvimento Energético. O montante é de R$ 42 milhões e será recomposto nos seis meses subsequentes com aplicação da taxa Selic. O efeito financeiro será sentido pelo consumidor na RTA de 2021.

O recurso pontua vários argumentos do Concen quanto aos componentes que chegaram aos 6,9%, mas o principal deles é quanto ao risco hidrológico, que, sozinho, representa 40% deste cálculo. Isso porque, conforme admitido pela própria Aneel, tal risco foi sobrecalculado, sem considerar as chuvas abundantes que mantiveram os reservatórios de hidrelétricas cheios neste início de ano e a queda de demanda em função da pandemia do Coronavíus.

“Solicita-se, portanto, que a Aneel atenha-se ao estabelecido no que está regulado e leve em conta dados atualizados para o cálculo de Risco Hidrológico retificando os cálculos e reduzindo o valor desse efeito nos Componentes Financeiros do processo atual de 3,03% para 0,92%, reduzindo o reajuste tarifário de 6,90% para 4,76%”, consta do recurso do Concen.

O Concen é composto de representantes das principais classes de consumo de MS, por meio de indicações das entidades constituídas: Fecomércio MS, poder público, Famasul, Fiems e ABCCON/MS. Hoje é presidido pela representante da Fecomércio MS.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
OAB recorre de decisão sobre sobre correção de dívidas trabalhistas
Covid-19
Após mortes aumentarem, população aprova medidas de proteção em Campo Grande
Covid-19
Brasil ultrapassa 61 mil mortes por covid-19
Covid-19
Ainda não é possível saber se haverá vacina eficiente para a Covid-19, diz OMS
Policial
Polícia intercepta comboio de 20 veículos com produtos de contrabando e descaminho
Covid-19
Taxa de letalidade do coronavírus é satisfatória diante do cenário nacional, pontua Trad
Covid-19
MS e Campo Grande ficam em 2º no ranking de pior isolamento social do Brasil
Policial
Traficante do ‘delivery’ é preso a caminho de uma entrega de crack
Atualização Covid-19
MS ultrapassa 9 mil infectados por Covid-19; 4.937 mil estão recuperados
Atualização
13ª morte na Capital sobe número de óbitos para 91 em MS

Mais Lidas

Vitória
Jornalista Sylma Lima vence o Covid-19 após oito dias internada
Crime
Assassino foge após abandonar corpo de mulher em matagal do bairro Maria Leite
Sem opção
Até quando corumbaenses serão privados de transporte regular seguro?
Atualização
Corumbá tem 338 casos positivos e registra 11ª morte por Covid-19