Menu
terça, 21 de maio de 2024
Câmara de Corumbá - Maio Amarelo 2024
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Comissão julgadora deste ano não terá integrantes corumbaenses

30 janeiro 2016 - 15h16Gesiane Medeiros
Os 18 jurados que irão julgar as dez escolas de samba de Corumbá este ano, serão todos do Rio de Janeiro. A decisão da Liga das Escolas (Liesco) tem como objeto buscar o máximo de imparcialidade, além de profissionalizar cada vez mais o carnaval da cidade. Em reunião deste sábado, 30, o coordenador da empresa contratada para realizar o julgamento das agremiações, apresentou a formação técnica e experiência dos jurados e, explicou aos representantes das escolas como serão os critérios de julgamento. “Os jurados irão avaliar de acordo com o que está estabelecido no regulamento das escolas, ninguém vai inventar critério. Mas deixo claro que o erro sendo visto não terá perdão, o quesito sofrerá redução de nota”, disse Riese Santos, coordenador da comissão julgadora. Santos falou com rigidez e objetividade, afirmando a todo momento que seu objetivo não era assustar ninguém, mas que o trabalho de julgamento será cumprido a risca.Segundo presidente da Liesco, Waldir Padilha, os acontecimentos do último carnaval o levaram a tomar a decisão de não trabalhar mais com a mescla de jurados, onde uma parte era composta por integrantes de outro Estado e outra por pessoas da cidade, “neste formato, ficávamos suscetíveis a apontamentos de que escolas estavam sendo beneficiadas em suas notas, no último carnaval, muitas pessoas apresentaram insatisfação com as notas. Este ano pesquisei bastante para contratar uma empresa especializada e que seja totalmente imparcial na avaliação, diz o presidente da liga. O fato dos jurados não estarem inseridas na cultura corumbaense, com certeza traz insegurança para algumas agremiações, como lembrou Joílson Cruz, presidente da Fundação de Cultura do Município, “a realidade do carnaval de Corumbá é diferente, os recursos são básicos e a aquisição e materiais de trabalho nem sempre é facilidade, vivemos em uma cidade onde o capital fica há quase 500 quilômetros, mas concordo com o novo formato de julgamento, a imparcialidade será um ponto muito positivo, e a rigidez no julgamento irá trazer insatisfações, mas elas são necessárias, só assim iremos conseguir profissionalizar nosso evento de carnaval”. No ponto de vista de Marcelo Toledo, presidente da Vila Mamona, a decisão foi sensata, “com certeza não irá agradar a todos, nada é 100%, mas acredito que o último carnaval serviu de experiência para as escolas, e todos estão buscando acertar os erros que tiveram”.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agenda Cultural
Evento de som automotivo arrecada doações para RS e Instituto Novo Olhar
Destaque
Músico sul-mato-grossense é selecionado para intercâmbio na Orquestra Sinfônica Brasileira
Em pauta
Piso salarial e jornada de trabalho dos profissionais da enfermagem são discutidos na Câmara
Desdobramentos
Presidente da Federação é preso após quase 28 anos no comando do futebol em MS
Educação
Apresentações culturais e palestra marcam abertura da Semana do Brincar em Corumbá
Desdobramentos
Sobe para 161 número de mortes por chuvas no Rio Grande do Sul
Desdobramentos
Fornecedora de uniforme de times de MS está entre alvos em operação do Gaeco
Centro da Cidade
Vereador pede providências para recuperação da iluminação do Jardim da Independência
Gaeco
Operação apura desvio de R$ 6 milhões e 1.200 saques para driblar fiscalização no Futebol
Investigação
Padre de MS é denunciado por relacionar bruxaria e satanismo à tragédia no RS

Mais Lidas

Ia para São Paulo
Passageiro é preso no aeroporto de Corumbá com 125 cápsulas de cocaína no estômago
Manifestação
Setor de transporte protesta por falta de combustível e ameaça fechar a fronteira
Assistência Social
Caixa paga Bolsa Família a beneficiários com NIS de final 2
Oportunidade
MS abre semana com 4,1 mil vagas de emprego em diferentes setores