Menu
segunda, 26 de julho de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Expresso Mato Grosso - Promoção de Junho
Geral

Comércio de MS deve amargurar queda de até 20% nas vendas de dia dos pais

16 julho 2020 - 10h35Redação

Pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Fecomércio/MS (IPF/MS) em conjunto com o Sebrae/MS, levantou a intenção de compras para o período do Dia dos Pais no Estado, data comemorada no segundo domingo de agosto.  O resultado mostra que, em um cenário que leva em conta as restrições sociais impostas pela pandemia do coronavírus, a data pode movimentar R$ 130,96 milhões, 20% a menos que no ano anterior, em que a projeção foi de R$ 163,70 milhões. Os pesquisadores também projetaram um segundo cenário, levando em consideração uma possível pós-pandemia, e detectaram que as vendas conseguiriam chegar ao montante de R$ 140,63 milhões.

“Percebemos que a intenção de consumo está muito aquém do esperado, mas que já está menos pior, na comparação aos meses anteriores. Esse resultado um pouco mais otimista também pode estar associado a redução da velocidade com que as demissões estão ocorrendo, principalmente no terceiro bimestre do ano”, explica a economista Daniela Dias.

A pesquisa foi realizada por telefone com 1.693 pessoas entre os dias 22 de junho e 5 de julho nas cidades de Campo Grande, Dourados, Corumbá, Ladário, Bonito, Coxim, Três Lagoas e Ponta Porã.

Em Corumbá e Ladário, a expectativa de venda no cenário 1, com as atuais medidas de isolamento social, é de R$ 3.284,133 milhões. No cenário 2, em uma hipótese de pós-pandemia, seria de R$ 4.940,943 milhões.

Presentes

Os entrevistados afirmaram que vão dar preferência para artigos do vestuário, 27%, mas esta edição mostra o crescimento percentual na compra de artigos de cosmético (perfume, loção pós-barba), 15%, e de relógios, 12%. O contingente de pessoas que ainda não sabem o que vão comprar é de 18%. “Conceder facilidades para pagamento à vista com benefícios, atendimento ao cliente e adoção de medidas sanitárias têm muito peso na hora do cliente escolher a loja”, afirma Daniela.
 

Analistas do Sebrae indicam que comerciantes apostem na facilidade de pagamento e biossegurança. Foto: Divulgação

A opinião é compartilhada com a economista do Sebrae, Vanessa Schmidt, que destaca a importância da experiência do cliente como uma das formas de atrair e converter em vendas. “É necessário que o cliente se sinta em segurança e confortável com a biossegurança oferecida pelo lojista, para que isso o estimule a ficar mais tempo e a conhecer o mix de produtos, fazendo a melhor escolha”.

E como a pesquisa detectou a forte tendência de comprar nas lojas físicas (74%), Vanessa alerta que o atendimento é ponto importante para a tomada de decisão desse cliente. “Capacitar sua equipe para que ele entenda o perfil do público, suas necessidades e que ofereça várias opções tanto de produto quanto de preço, é fundamental para contribuir com a experiência desse cliente”.

De acordo com a pesquisa, 49% dos entrevistados pretendem comprar algum presente, representando uma movimentação financeira de R$ 79,02 milhões, 12% a menos que no ano anterior. A média, por presente, é de R$ 124,59. As comemorações da data serão feitas por 38% dos participantes da pesquisa, o que poderá contribuir para um faturamento de R$ 51,94 milhões, 30% a menos que em 2019. A média de gastos está estipulada em R$ 102,60.

Os dados mostram que, no cenário pós-pandemia, os gastos com presente teriam uma pequena alteração (R$ 77 milhões para a economia porque 48% pretendiam comprar presentes, a um valor médio de R$ 127,56), mas de certa forma uma priorização pelas comemorações frente a compra de presente. “O que percebemos é a vontade de comemorar: seriam injetados R$ 62,87 milhões no setor, porque 40% pretenderiam festejar a data, com um consumo médio de R$ 124,21. Esses números revelam a vontade do sul-mato-grossense se reunir junto aos seus, e celebrar as datas comemorativas. Observa-se com isso, que o apelo emocional advindo, principalmente, do isolamento/distanciamento social, tem interferido nas tendências de consumo e de comemorações”, assevera Daniela Dias.

Para o público que prefere consumidor na modalidade online, a economista do Sebrae recomenda: apostar na divulgação prévia do mix de produtos ou serviços, mostrar os bastidores da loja, como forma de assegurar os cuidados que são tomados pelo lojista com relação a higiene e cuidados com a biossegurança. “Tão importante quanto todo o resto, é investir numa boa equipe de entrega do produto, para que o processo todo de compra seja uma experiência que o motive a retornar”, sugere Vanessa.
 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Imunização
Quem pode se vacinar nesta segunda (26)
Operação Hefesto
Incêndio atinge linha férrea sobre o Rio Paraguai
Economia
Prefeitura reúne meios de hospedagem para sensibilização turística e uso do QR Code 
Plantão
Incêndio atinge aterro sanitário de Corumbá
Suspeito
Governo prorroga contrato com empresa investigada por pagar propina a filho de Reinaldo
Tráfico de Drogas
Mala com 14 quilos de pasta base é encontrada na rodoviária de Corumbá
Pedrada
Briga de família termina com mãe ferida e filho preso
Polícia Militar
Homem denuncia filho foragido
Alerta Infectologista
Vacinados contra Covid-19 devem aguardar 48 horas para ingerir bebida alcoólica
Oportunidade
Inscrições para estágio na Justiça Federal terminam nesta terça (27)

Mais Lidas

Seguiriam para Bolívia
Dois veículos que seriam atravessados para Bolívia são recuperados
Imunização
Sábado tem vacinação contra Covid até 12h no drive do Poliesportivo
Cidade Tranquila
Operação conjunta combate crimes fronteiriços em Corumbá e Ladário
Mais tempo
Exame toxicológico na emissão de CNH tem prazo ampliado para utilização do laudo