Menu
domingo, 26 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Chapa de Turine vence eleição da UFMS com 44% dos votos

18 julho 2020 - 11h16Nyelder Rodrigues do Correio do Estado

Encabeçada pelo atual reitor Marcelo Turine e pela vice-reitora Camila Ítavo, a chapa 2 foi a mais votada na eleição para formar a lista tríplice que será enviada à Brasília (DF) para definir a gestão da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) nos próximos quatro anos. Dos 7.903 votantes, 3.509 escolheram pela continuidade da atual administração.

O índice de votos alcançado foi de 42,44 (os votantes, divididos entre alunos, técnicos e docentes tem pesos diferentes na escolha). Já no aspecto geral, Turine teve 44% dos votos - foram 2.068 dos alunos, 687 dos técnicos e 754 dos docentes - ele venceu entre os três.

De acordo com a apuração, somaram-se 1.344 votos válidos de docentes, 1.220 de técnicos-administrativos e 5.339 de estudantes. Foram computados 149 votos em branco e 177 nulos. A participação na votação, feita online, foi aberta a 24.730 estudantes, 1.818 funcionários de setores técnicos e 1.486 professores universitários.

Com relação à última votação, houve um aumento de 9,7% na participação da comunidade acadêmica da UFMS, que agora aguarda o envio da lista para aprovação do Governo Federal. O presidente geralmente o mais votado, contudo, não há nenhuma lei ou norma que impeça Jair Bolsonaro (sem partido) escolher outro nome, inclusive, fora da lista.

Além da chapa de Turine, também participaram a chapa 3 (Lincoln e Menoni), que ficou em segundo lugar com 1.555 votos de estudantes, 394 técnicos e 430 docentes, totalizando índice de 24,45, e a chapa 5, escolha de 460 estudantes, 80 técnicos e 85 docentes - índice 4,94.

A chapa 1 (Beth Bilange e Lucilene), que acabou ficando fora da lista tríplice, fechou o grupo de quatro opções, sendo escolhida por 1.256 estudantes, 59 técnicos e 75 docentes. Apesar de ter mais votos que a chapa 5 (Lídia e Gunter), ficou atrás no índice, 4,78.

"O processo de consulta com apenas três ocorrências, que segundo a universidade, foram corrigidas e não comprometeram a segurança do sistema de votação. "O sistema é robusto, confiável e nos mostrou rapidamente o resultado dessa consulta", declara o presidente da Comissão Executiva Central, Henrique Mongelli.

A abertura das urnas foi feita com as chaves de criptografia e no mesmo computador usado para inserção dos votantes aptos com a configuração das urnas que ficaram lacradas sob a guarda da Polícia Federal. "Estiveram presentes da apuração um perito e um agente da Polícia Federal. O observador do Tribunal Regional Eleitoral participou remotamente", frisa Mongelli.

Os servidores e estudantes da UFMS puderam votar durante 13 horas na sexta-feira (17), de 8h até 21h. A participação na consulta não é obrigatória e o voto é direto e secreto. Por causa da pandemia de covid-19, o processo todo feito pela internet.

Propostas

As propostas da chapa 1 são centradas na valorização humana, que é o pilar da universidade, segundo o plano de gestão. Entre os planos, estão a melhoria na qualidade de vida no trabalho com ações de bem-estar, o aperfeiçoamento no processo de ingresso e acolhimento dos acadêmicos e a ampliação da oferta de bolsas e auxílios de maneira sistêmica.  

Na chapa 2, as propostas para a gestão 2020-2024 compreendem a expansão e a consolidação da Política de Desenvolvimento Pessoal e das políticas de Assistência Social e Desenvolvimento aos Estudantes e a consolidação da UFMS como referência na educação superior.

Já a chapa 3 tem como plano aperfeiçoar ou trocar o sistema de gestão acadêmica (Siscad) para que seja mais útil aos estudantes, docentes, coordenadores, às coordenações acadêmicas e à administração central, além de ampliar e fortalecer a pós-graduação, buscando a excelência na formação dos alunos, promovendo atividades voltadas aos direitos humanos.  

Por fim, a chapa 5 frisa em seu plano que quer aprimorar os mecanismos de captação de recursos via emendas parlamentares e parcerias, aperfeiçoar o acolhimento estudantil e ações contra a evasão, e viabilizar bolsas para estudantes brasileiros com alto desempenho acadêmico e atlético em instituições estrangeiras.

A chapa 4, que era encabeçada pelo bolsonarista Augustin Malzac e se chamava, retirou sua candidatura após denúncia de que seu programa de gestão continha plágio. Conforme documento obtido na Comissão Eleitoral, 11% do conteúdo era plágio, copiado e colado sem alteração, da Chapa Juntos Pela UFF, da Universidade Federal Fluminense, no Rio de Janeiro.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Palestras
3ª edição da Semana da Saúde do Sesc tem foco nos reflexos da pandemia
SCT 2021
IFMS abre inscrições para Semana de Ciência e Tecnologia
Javaporco
PMA flagra criação ilegal de javalis em propriedade de Dourados
Alerta
De agendamentos a esquemas de 'pirâmides', entenda os maiores golpes do Pix em MS
Retomada
Fundtur recebe inscrições no Programa "Incentiva+MS Turismo" até 5 de outubro
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Balanço
Mais de 50% das drogas apreendidas na Operação Fronteiras e Divisas I são de MS
Economia
Comércio deve facilitar pagamento e ser cauteloso para o Dia das Crianças

Mais Lidas

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Desenvolvimento
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida