Menu
domingo, 25 de fevereiro de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Geral

Bombeiros de MS fazem monitoramento para diminuir risco de incêndio na Serra do Amolar

10 fevereiro 2024 - 10h10Portal de Noticias MS

A operação para controle, extinção e monitoramento do incêndio florestal na Serra do Amolar, no Pantanal, continua a ser realizada pelo Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul. O trabalho no local completou 12 dias, nesta sexta-feira (9).

Os bombeiros passaram a atuar na área no dia 29 de janeiro, dois dias após o fogo ser identificado, e no dia 1° de fevereiro o GOA (Grupamento de Operações Aéreas) iniciou o combate aéreo das chamas – com o empenho da aeronave ‘air tractor’ que lançou água em locais onde os bombeiros, em solo, não conseguiam acessar.

Uma equipe de bombeiros militares permanece na região atingida pelas chamas, para garantir o monitoramento, e caso haja retorno do fogo, a rápida atuação. Durante a semana, mesmo após o controle do incêndio florestal, houve reignição das chamas. A área foi tomada por fumaça, oriunda do Mato Grosso, onde também ocorre incêndio florestal.

“A guarnição ficou no local e na quarta-feira (7) outra ficou a pronto emprego em Corumbá, caso houvesse necessidade. Os bombeiros foram no local do incêndio, havia muita fumaça vindo do Mato Grosso, que o vento trouxe para a Serra do Amolar e dificultou até mesmo a visualização na área”, explicou a tenente-coronel Tatiane Inoue, diretora de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros Militar, que realiza o monitoramento dos incêndios florestais no Estado.

Também há dois dias, o Corpo de Bombeiros esteve na área do incêndio para uma vistoria, onde não foi possível chegar com uso de embarcação. “Eles entraram aproximadamente 650 metros para mais próximo do fogo, no terreno de difícil acesso. Era muita fumaça e pouco fogo. Ontem (8) foi mantido o monitoramento”, disse Inoue.

Já nesta sexta-feira (9), os bombeiros voltaram a combater as chamas no local. “Hoje, a guarnição continua na área, e tem um incêndio. É muita fumaça, menos fogo, pois é só um foco”, afirmou a tenente-coronel.

A área queimada ultrapassou 4 mil hectares e o controle das chamas foi possível devido a atuação coordenada por terra e ar. 

Serra do Amolar

A região da Serra do Amolar, de acordo com informações do IHP (Instituto Homem Pantaneiro) – que atuou no controle das chamas, com brigadistas voluntários desde o dia 27 de janeiro, quando o fogo teve início –, compreende território de grande biodiversidade, além de ser área de Reserva da Biosfera e Patrimônio Natural da Humanidade.

O território é formado por 80 km de extensão de morrarias que chegam a ter quase 1 mil de altitude. Essa área fica a cerca de 700 km de Campo Grande, a partir de Corumbá e por via fluvial - só é possível acessar o local por ar ou pelo Rio Paraguai.

Devido a várias particularidades, incluindo os seus elementos naturais, geográficos e ecológicos, a região tem potencial de abrigar espécies de plantas e animais que são de exclusividade da Serra do Amolar, onde há interações de fatores geográficos, climáticos e ecológicos que criam ecossistemas particulares que não são encontrados em outras partes do Pantanal.

Além disso, trata-se de um território considerado uma barreira natural para o fluxo das águas, que se difere completamente de todo o restante do bioma. Na área existe uma variedade de terrenos e paisagens, áreas com características de Mata Atlântica, de Pantanal, de Amazônia, o que resulta na sua riqueza de biodiversidade.

Receba as notícias no seu Whatsapp. Clique aqui para seguir o Canal do Capital do Pantanal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Contra a Dengue
Bairros de Ladário recebem força-tarefa de limpeza neste sábado (24)
Reitoria
Ainda sem eleição direta, UFMS escolhe novo reitor em maio
Hoje
Grupo Vozes Especiais realiza workshop no Moinho Cultural
Localizado e preso
Diretora impede entrada de homem armado com faca em creche no Guatós
Imunização
Confira horário de vacinação contra dengue em Corumbá e Ladário neste sábado
Seguia para Capital
Mulher é presa com 2,3 kg de maconha na BR 262
Planejamento
MPT propõe parceria estratégica para prevenir trabalho escravo contemporâneo em MS
Fiocruz
Especialistas alertam para aumento da taxa de suicídio entre crianças e jovens
Aposta
Mega-Sena pode pagar hoje prêmio de R$ 110 milhões
Operação Ágata
Passageiro é flagrado transportando cocaína de Corumbá para Capital

Mais Lidas

Protesto
Religiosos pedem retratação à site da capital por desrespeito à Iemanjá
Localizado e preso
Diretora impede entrada de homem armado com faca em creche no Guatós
Na entrada
Perícia estima que morte de homem encontrado em mata na cidade tenha ocorrido há 4 dias
Vindo do RJ
Boliviano de 21 anos é detido com 35 celulares sem nota fiscal