Menu
terça, 05 de março de 2024
Fipec 2024
Fipec 2024
Geral

André fará campanha na bola, sem visar canelas

26 maio 2018 - 11h18José Carlos Cataldi e Sylma Lima

“Não perderemos tempo com anti-campanhas, nem xingando adversários”. André Puccinelli (MDB) veio Corumbá participar do Festival da América do Sul, apesar da decepção com a falta da festa no ano passado, por falta de iniciativa do governo do Estado.

Ex-governador descartou rumores de que mude o foco de campanha e que vá concorrer ao Senado. Em entrevista exclusiva ao ‘Capital do Pantanal’ disse que é pré-candidato e que em julho, na convenção do partido, será confirmado candidato a governador, com a estratégia de extrair da voz do Povo a plataforma ‘Mato Grosso do Sul, maior e melhor’, com cada um dizendo o que quer para seu município e região.

Pucinelli diz que hoje tem de 14 a 15 partidos aliados, e, de 11 a 32 prefeitos. Mas os números devem crescer com a formalização da candidatura. Não teme enfrentar a máquina de Azambuja (PSDB) ou de Odilon (PDT). Os trata como bons candidatos, assim como Humberto e outros que podem surgir, inclusive da esquerda mais fiel às origens, que pode ter também seu candidato. Diz que o contraponto que o fortalece em busca do voto é o clamor das ruas gritando: - ‘volta André, volta André’.

André Pucinelli tem a seu favor, como ele mesmo diz, a recordação de dois bons governos a frente da prefeitura de Campo Grande e duas atuações aplaudidas no comando do Estado. E, avaliando o que faltou no atual governo, em comparação com o que vai fazer, frisa que não é difícil a administração quando se compara números. Disse que o estado teve ao longo dos últimos 4 anos uma sobra de orçamento de R$ 3,2 bi e não soube o que fazer com ela. Nada de se desculpar com crises e perdas tributárias, porque ele enfrentou as crises de 2008 e 2011, com apenas R$ 1,2 bi de folga e soube equilibrar a gestão. ‘Uma questão de conhecimento da coisa pública que deve ter faltado na atualidade’, frisou.

Para quem apostava em sujar seu nome, André Pucinelli diz que é ficha limpa. Não tem nenhuma condenação, nem em primeiro grau: “contra mim existe apenas uma denúncia feita em fevereiro deste ano, ainda em fase de investigação. E, ao final dela, terei a verdade do meu lado”.

Quanto ao Festival da América do Sul, motivo principal da vinda à Capital do Pantanal, André Pucinelli declarou que gosta muito da festa, inclusive pela oportunidade de rever os amigos de Corumbá e Ladário. Diz que o descaso não pode enfraquecer a festa como no ano passado. Na opinião dele, o Festival da América do Sul deve ser eterno. Concluiu frisando que se voltar ao governo do Estado pelas urnas em 2018, o Festival de 2019 será o maior de todos os tempos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Oportunidades
Qualifica Ladário divulga lista com os inscritos para as turmas 2024
Mês da mulher
UBS João Fernandes inicia mês de Março com atendimento semanal até às 22h em Ladário
Eventos
Roda de Conversa no CCI abre programação do mês da mulher em Corumbá
Variedades
Melhor Soundbar Samsung
Saúde
Primeira Conferência Livre para discutir Atenção Primária acontece quarta-feira, dia 06
Evento
FIPEC 2024 acontece de 15 a 17 de março no Porto Geral; inscrições seguem abertas
3ª edição
Campo Grande vence a Copa dos Campeões da Assomasul
Finasa
Câmara autoriza Prefeitura contratar linha de crédito para infraestrutura
Tráfico de Drogas
PM prende dois por venda e porte de droga no Centro América
Em Corumbá
Homem é preso acusado de abusar da sobrinha de 12 anos

Mais Lidas

Em Corumbá
Homem é preso acusado de abusar da sobrinha de 12 anos
Finasa
Câmara autoriza Prefeitura contratar linha de crédito para infraestrutura
Na BR 262
Boliviano é preso com 2kg de maconha em fundo falso de mala
Até dia 11
Processo Seletivo da UEMS tem 51 cursos de graduação com inscrições abertas