Menu
segunda, 15 de julho de 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Geral

Agronegócio: mais evidências da importância do agro na economia

23 março 2018 - 07h56Imprensa – ISAE/FGV – Escola de Negócios

Após dois anos de queda no valor total das exportações, o ano de 2017 se mostrou o ano da recuperação para o agronegócio brasileiro. O saldo positivo da balança comercial nos últimos anos mostra claramente a recuperação da economia brasileira. Em 2014, o montante exportado foi acima de 225 bilhões de dólares, caindo para 191 e 185 bilhões de dólares nos anos de 2015 e 2016, consecutivamente. Essa queda ocorreu em anos em que houve uma das maiores taxas de câmbio, com o dólar atingindo patamares de R$ 4.

De acordo com José Fabiano da Silva, membro do Comitê Macroeconômico do ISAE – Escola de Negócios, no ano passado, o país exportou um total de 217,74 bilhões de dólares, com o empresariado retomando a produção visto a melhora nos níveis de confiança tanto industrial como do consumidor.  “No que tange ao comportamento do agronegócio, observamos o aumento do percentual da participação brasileira nas exportações, mostrando a força do setor e a importância na integridade das contas nacionais”, explica.

Nos anos de 2015 e 2016, houve quebras nas safras de milho e de soja, dois dos maiores contribuidores para o saldo positivo. Para silva, essa quebra de safra reduz a oferta total do produto e, consequentemente, seu saldo exportável. "No ano de 2017 tivemos recorde de produção tanto para a soja quanto para o milho, e marcamos também novos recordes de exportação para os dois produtos, fato esse que também impulsionou a balança comercial, principalmente frente à China”, comenta.

A estratificação das exportações do agronegócio pode ser dividida em dois segmentos: produtos de origem animal e de origem vegetal. “É possível observar que dois elos da cadeia do agronegócio que se relacionam diretamente e de forma dependente contemplam praticamente 50% de todas as exportações do agronegócio: a cadeia produtiva de grãos e de carnes. Não menos importantes, os demais setores do agronegócio contribuem significativamente para a balança comercial, porém foi por meio dos grãos e da produção de carne que houve a maior expansão do agronegócio brasileiro nos últimos 10 anos”, expõe José.

Hoje, o Brasil tornou-se o maior exportador mundial de carnes. E no quesito produção de grãos, o país ocupa posição destacada com milho e soja, 10% e 30% da produção global respectivamente, ocupando a segunda posição, abaixo dos EUA e a frente da Argentina.  “Assim como os Estados Unidos, o Brasil tem o ciclo virtuoso do agronegócio com autossuficiência na produção da matéria prima para produção de carnes, ocupando orgulhosamente a posição de segundo maior exportador de grãos e maior exportador global de carne”, completa o especialista.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BR 262
PRF apreende 20 kg de maconha em carro que seguia para Campo Grande
Dança & Teatro
Espetáculo "Corpo que eu habito" faz estreia nacional em Corumbá no dia 20 de julho
Ensino Superior
UFGD abre inscrições para vestibular com 1.459 vagas em 38 cursos
Inscrições abertas
Editais oferecem oportunidade para alavancar ideias de negócio relacionadas ao Cerrado e Pantanal
Irônico
Desembargador que hasteou bandeira da monarquia no TJ assume a justiça eleitoral de MS
Futebol
Costa Rica perde por 1x0 e classificação fica para a última rodada
Empreendedorismo
Mato Grosso do Sul registra 19 mil novas formalizações no primeiro semestre de 2024
20ª edição
Amistoso da Diversidade é domingo em Corumbá
Nacional
Atraso em sistema informático paralisa saques do Fundo PIS/Pasep
Operação Pantanal 2024
Previsão de temperatura alta e queda na umidade do ar é alerta para novos incêndios

Mais Lidas

BR 262
PRF apreende 20 kg de maconha em carro que seguia para Campo Grande
Dança & Teatro
Espetáculo "Corpo que eu habito" faz estreia nacional em Corumbá no dia 20 de julho
Ensino Superior
UFGD abre inscrições para vestibular com 1.459 vagas em 38 cursos