Menu
quarta, 27 de janeiro de 2021
Andorinha Janeiro/Fevereiro
Andorinha Janeiro/Fevereiro Mobile
Geral

Agências dos Correios reabrem nesta terça-feira após fim da greve em MS

13 março 2018 - 08h08Campo Grande News

Os servidores dos Correios voltam a trabalhar normalmente nesta terça-feira (13) pelo Estado. Os trabalhadores chegaram a um consenso, durante assembleia na sede do Sintect-MS (Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Mato Grosso do Sul), realizada no final desta tarde (12) em Campo Grande.

“Eles voltam ao trabalho, enquanto aguardam uma decisão da Federação Nacional da categoria”, se posicionou o sindicato, por meio de assessoria de imprensa. O fim da greve em MS foi decidido depois que Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu que os empregados dos Correios e seus dependentes é quem deverão pagar mensalidade para manter os planos de saúde.

A greve continua em outros estados, mas ainda conforme o Sintect-MS, nesta terça-feira (13), assembleias serão realizadas por outras cidades do país para que seja definido o andamento da greve. 

Em MS, cerca de 10 agências em pelo menos 20 cidades foram afetadas pela paralisação.

A greve - A paralisação é nacional e tenta defender o acordo coletivo, que ainda está no prazo. A direção dos Correios entrou com um pedido de dissídio no TST (Tribunal Superior do Trabalho) pedindo alteração na cláusula que trata do Plano de Saúde dos Trabalhadores. A mudança exclui pais e mães da assistência.

Além da alteração no plano, os trabalhadores apontam suspensão de férias de todos os funcionários e desligamentos por meio de Planos de Demissões Incentivadas. O Correios de Campo Grande se posicionou por meio da assessoria de imprensa admitindo que a greve é um direito do trabalhador, mas que desta vez poderia agravar a situação dos funcionários.

A empresa destacou ainda que a paralisação afeta não apenas a empresa, mas também os próprios empregados. Conforme a nota, os Correios disse que aguarda uma decisão do tribunal para tomar as medidas necessárias, mas ressalta que já não consegue sustentar as condições do plano, concedidas no auge do monopólio, quando os Correios tinham capacidade financeira para arcar com esses custos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Nascidos em dezembro podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje
TRÁFICO DE DROGAS
PRF apreende 3,3 Kg maconha em ônibus de viagem na BR-163
QUEDA DE ÁRVORE
Árvore cai em cima de carro no Anel Viário
POLICIAL
Passageiro de ônibus é preso com grande quantia de dinheiro em mala
CORONAVÍRUS
MS estuda cancelar ponto facultativo de Carnaval para tentar conter avanço da Covid
GERAL
Processo Seletivo da UEMS abre inscrições para 1052 vagas
ECONOMIA
Mesmo com pandemia, MS bate média recorde com 21 novas empresas abertas por dia em 2020
AGENDA
Governador em exercício Paulo Corrêa cumpre agenda em três municípios, onde vistoria e lança obras
FINANÇAS
Prorrogado, Refis da pandemia segue com superdescontos até o dia 26 de fevereiro
TEMPO
Corumbá tem mínima de 25°C e máxima de 32°C com pancadas de chuva

Mais Lidas

DENÚNCIA
Funcionários demitidos do hospital não recebem rescisão trabalhista
ECONOMIA
Governo federal aprova auxílio emergencial para 196 mil pessoas
CHUVA FORTE
Temporal em Corumbá causa queda de árvores e alagamentos
MORTE POR COVID-19
Cinco dias após morte do marido, ex-primeira-dama de Dourados não resiste à Covid-19