Menu
segunda, 25 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Advogado é preso após obrigar clientes a pagar honorários com sexo nos EUA

18 junho 2020 - 17h45Midia Max

O advogado David Whelan, de 49 anos, foi preso na última terça-feira (16), no Tennessee, Estados Unidos, após diversas acusações de estupro. Ele é acusado de forçar suas clientes a pagarem os honorários advocatícios com sexo.

De acordo com o UOL, Whelan recebeu quatro acusações sob coerção (manipulação verbal), quatro sob fraude (quando o agressor obtém consentimento enganando a vítima) e uma acusação de promoção de prostituição. O Departamento de Investigação de Tennessee abriu inquérito contra o advogado em fevereiro de 2019, quando uma cliente denunciou uma tentativa de estupro.

Conforme o andamento das investigações, os agentes do órgão encontraram indícios de que ele já havia estuprado outras clientes antes. Whelan está preso sob fiança de US$ 75 mil (R$ 392 mil).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Flagrante
Dois turistas são multados em R$ 1,8 mil por pesca predatória no rio Miranda
Alerta
Últimos dias para inscrições em editais da Funarte
Imunização
Quem pode se vacinar contra Covid neste fim de semana
1 hora a menos
Agepan defende o retorno do horário de verão para economia de energia em MS
74 vagas
Concurso público da Sanesul recebe inscrições até 11 de novembro
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19
Orientação
O que fazer para prevenir problemas durante e após temporais
CNH MS Social
Programa de habilitação gratuita já tramita na Assembleia Legislativa
Tempo
Chuva ganha força a partir deste sábado e pode trazer nova tempestade para MS
Precaução
Tradicional Procissão Fluvial é cancelada devido previsão de mal tempo

Mais Lidas

Causa não definida
Motorista de ônibus fretado com 42 passageiros perde o controle e colide na mureta da ponte
Dom Bosco
Homem baleado pede socorro em escola, mas não resiste e morre
Desdobramento
Embarcação que naufragou e fez sete vítimas no rio Paraguai não era de transporte turístico
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19