Menu
segunda, 17 de junho de 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Geral

Ação humana reduz habitat da onça-pintada e ameaçam espécie no Pantanal

13 outubro 2022 - 09h45Silvia Frias do CG News

Relatório elaborado pela WWF, organização ambiental independente, aponta que ação humana, poluição e mudanças climáticas estão reduzindo o habitat da onça-pintada no Pantanal, afetando diretamente a conservação dos animais, e levanta alerta para possível queda populacional desses predadores. 

Entre os principais motivos está o crescente barramento dos rios da Bacia do Alto Paraguai, queimadas recorrentes que somente em 2020 atingiram 28% do bioma. Segundo dados do MapBiomas, a redução da superfície de água inundada por 6 meses ou mais no Pantanal entre 1985 e 2021 foi de 82%.

A gerente de ciências da WWF-Brasil, Mariana Napolitano, explica que, no Pantanal, a onça-pintada vive nas áreas baixas e inundáveis, que estão cada vez menores por causa da seca, barramento dos rios e queimadas, o que afeta a dinâmica das inundações, favorecendo a expansão das pastagens.

Apesar do relatório não ter dados sólidos sobre a população do felino no bioma, Mariana alerta para o risco. “A redução das áreas úmidas e as queimadas intensas que o bioma vêm sofrendo são exemplos importantes de dois fatores que impactam diretamente o tamanho populacional de grandes predadores”. 

Os dados fazem parte da 14ª edição do Relatório Planeta Vivo, elaborado a cada dois anos desde a década de 1980. Ao lado das mais de mil espécies brasileiras que compõem o relatório, figuram populações do gorila da planície oriental, que tiveram um declínio estimado de 80% no Parque Nacional Kahuzi-Biega da República Democrática do Congo entre 1994 e 2019. No caso das populações do leão-marinho australiano, a queda foi de 64% entre 1977 e 2019.

Segundo a nova edição Relatório Planeta Vivo populações monitoradas de vertebrados - mamíferos, aves, anfíbios, répteis e peixes - tiveram uma queda de 69% em média desde 1970. Entre 1970 e 2018, as populações monitoradas na região da América Latina e do Caribe encolheram 94% em média.

“Estamos enfrentando uma dupla emergência global provocada pelas ações humanas: a das mudanças climáticas e da perda de biodiversidade, ameaçando o bem-estar das gerações atuais e futuras”, disse o diretor-geral do WWF Internacional, Marco Lambertini. 

O relatório indica que os principais fatores do declínio das populações de vertebrados em todo o mundo são a degradação e perda de habitat, exploração, introdução de espécies invasoras, poluição, mudanças climáticas e doenças.

O relatório argumenta que aumentar os esforços de conservação e restauração, produzir e consumir alimentos de forma mais sustentável e descarbonizar rápida e profundamente todos os setores podem mitigar a dupla crise global.

Estudo

A edição deste ano inclui o maior conjunto de dados até agora, com uma forte contribuição de espécies brasileiras: no total, foram adicionadas 838 novas espécies (575 das quais são do Brasil) e pouco mais de 11.000 novas populações em relação ao relatório anterior, de 2020. Para o Relatório Planeta Vivo deste ano, colaboradores do WWF-Brasil e da Universidade de São Paulo pesquisaram em periódicos e relatórios de impacto ambiental em português. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Sítio Pioval
Bombeiros resgatam família ribeirinha cercada pelo fogo
Provisório
Sanesul passa a atender na rua 15 de novembro a partir de segunda (17)
Geral
MEC aceita revogar portaria se professores de federais acabarem greve
Esporte
Atletas indígenas são destaque em Jogos Escolares da Juventude de Mato Grosso do Sul
Geral
Projeto de protocolo cardiológico de Mato Grosso do Sul é destaque no Conass
Geral
Diálogo avança e 122 servidores do Detran de MS são promovidos por antiguidade
Destaque
Boletim Epidemiológico: MS registra 11.550 casos confirmados de dengue
Geral
Com apoio do Governo, Expotrês apresenta novas tecnologias do agro e leva entretenimento ao público
Geral
No ar boletim Detran Mais Perto, Mais Eficiente da semana de 10 a 14 de junho
Clima
Corumbá amanhece com 25 graus
A máxima neste sábado pode chegar a 36 graus

Mais Lidas

Provisório
Sanesul passa a atender na rua 15 de novembro a partir de segunda (17)
Sítio Pioval
Bombeiros resgatam família ribeirinha cercada pelo fogo
Geral
Diálogo avança e 122 servidores do Detran de MS são promovidos por antiguidade
Esporte
Atletas indígenas são destaque em Jogos Escolares da Juventude de Mato Grosso do Sul