Menu
quarta, 03 de março de 2021
Governo do Estado - Campanha de Março
Geral

Oficina alerta sobre a Anemia Falciforme

11 abril 2016 - 16h47Gesiane Medeiros
A partir de hoje (11) até a próxima quinta-feira (14), acontece em Corumbá rodas de conversa e oficinas sobre uma doença pouco conhecida, porém perigosa, a Anemia Falciforme. A discussão é sobre a doença e a participação social para avançar na equidade e atenção a saúde da população negra do estado de MS. Levantamento do curso de doutorado em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste da UFMS, registrou 70 casos da doença no Estado, segundo doutoranda e palestrante, Berenice Assumpção Kikuchi, o número pode ser ainda maior, porém ainda é desconhecido. Em Corumbá o evento acontece através de uma pareceria da Associação Corumbaense das Pessoas com Doença Falciforme e Outras Hemoglobinopatias (ACODFAL) e a Associação de Anemia Falciforme do Estado de São Paulo (AAFESP). A prefeitura Municipal de Corumbá também apoia a iniciativa através da Secretaria Municipal de Saúde e de Assistência Social e Cidadania. Berenice Assumpção, palestrante da oficina “Anemia Falciforme – Participação Social e Políticas Públicas”, explica que em Mato Grosso do Sul, “existe uma taxa elevada de traços, considerado como assintomático, a região onde houve imigração de pessoas com o gene doente, há presença da doença, e atualmente trabalhamos no mapeamento dessas regiões. A partir de 2001, o exame foi implantado no teste do pezinho, por isso é ideal que os nascidos antes dessa determinação, façam o exame para verificar a presença da doença”. Berenice ressalta ainda que, apesar da doença ser geneticamente dos negros, a miscigenação das raças no país, possibilita a presença do gene em pessoas com qualquer cor de pele. A palestrante explica que crianças com Anemia Falciforme, “apresentam  choro continuo, e dores articulares a partir do sexto mês, mais para frente pode desenvolver uma anemia crônica e uma forte tendência a infecções”. Davi Vital, presidente da ACODFAL, explica que a associação trabalha na assistência as pessoas e famílias que possuem a doença, “atuamos principalmente no esclarecimento de dúvidas, assim como nos encaminhamentos médicos e suporte social, através da secretaria de Assistência Social do Município”.O que é a Anemia Falciforme O sangue é composto por células, arredondadas e flexíveis o suficiente para passarem pelos vasos sanguíneos do corpo. Todas as pessoas recebem de seus pais a hemoglobina, chamada (A), como recebe uma parte da mãe e outra do pai, cada pessoa é geneticamente (AA). A anomalia ocorre quando o pai ou a mãe doa uma hemoglobina (S), se tornando assim uma pessoa (SS), com Anemia Falciforme. O glóbulo vermelho com hemoglobina (S), possui um formato de meia lua ou foice, por isso o nome da doença. Por conta desse formato, a célula tem dificuldade para passar pelos vasos sanguíneos, podendo inclusive amontoar-se umas sobre as outras, atrapalhando a circulação. Principais Sinais e Sintomas - Anemia crônica, por destruição antecipada dos glóbulos vermelhos; - Crises dolorosas: dores nos ossos, músculos, articulações associadas ou não a infecções, exposições ao frio, desidratação, esforços físicos, entre outros; - Palidez, cansaço fácil, icterícia (cor amarelada visível, sobretudo, no branco dos olhos); - Úlceras (feridas, em especialmente nas pernas); - Nas crianças, pode haver inchaço nas mãos e pés muito dolorosos; - Pode ocorrer, também, sequestro de sangue no baço, causando uma palidez muito grande. Às vezes, desmaios e aumento do baço (é uma emergência); - Maior tendência a infecções de repetição. Cuidados Básicos - Crise dolorosas sempre requer orientação médica; - As crises leves poderão ser tratadas em casa com bastante líquido, remédios para dor e repouso, após avaliação médica; - Em caso de febre: procure assistência médica o mais rápido possível para tratar a infecção; - Em caso de palidez em criança: emergência, procure o Pronto Socorre mais próximo. Programação 11/4: Casa da Cidadania às 19 horas Roda de conversa - Conquistas e Retrocessos na Atenção à Saúde da População Negra 12/4: Sindicato Rural às 8 horas Oficina - Anemia Falciforme - Participação Social e Políticas Públicas 13/4: Campus Pantanal UFMS às 8 horas Roda de Conversa - O quesito Raça Cor - Como norteador de políticas públicas de equidade 13/4: Campus Pantanal UFMS às 10h30 De crianças a adulta com Anemia Falciforme: Superando obstáculos na reinserção social positiva Exposição dialogada com vídeo-fotografia - AAFESP 14/4: Campus Pantanal - UFMS às 8 horas Roda de conversa com gestores e público interessado em influenciar na implantação da Lei 2079/2001 MS em consonância com a Portaria GM/MS n° 1.391/2005 14/4: Campus Pantanal - UFMS às 10h30  Sugestão e propostas para avançar na equidade por meio de gestão compartilhada e encaminhamentos  

Deixe seu Comentário

Leia Também

COMBATE A PANDEMIA
Vereadores buscam emendas parlamentares para aquisição de vacinas contra a Covid-19
ADMINISTRAÇÃO
Projeto de Lei prevê criação de Subprefeituras no Município de Corumbá
BOLETIM COVID
Covid-19: MS tem mais de 183 mil casos confirmados e 3,3 mil mortes
DESENVOLVIMENTO
Cinco mil pessoas que vivem em áreas remotas do Pantanal terão energia elétrica
SEM MÉDICO PERITO
INSS de Corumbá não realiza perícia médica e complica vida de trabalhadores
POLICIAL
Após briga mulheres são presas no bairro Aeroporto
POLICIAL
PM prende irmãs após briga no Popular Nova
DESAPARECIDO
Trabalhador de fazenda na Região do Paiaguás está desaparecido
ECONOMIA
Preços de produtos industrializados sobem 3,36% em janeiro
HABITAÇÃO
Durante sessão, vereador pede à Prefeitura, regularização fundiária no Jatobazinho

Mais Lidas

POLICIAL
Mulher é espancada em Ladário e marido é preso
APÓS DISCUSSÃO
Mulher é empurrada pelo companheiro no viaduto da Treze e fica ferida
POLICIAL
Motorista embriagado bate carro e desacata policiais no Centro
POLICIAL
Jovem com mandado de prisão é preso após violência doméstica