Menu
quinta, 21 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Câmara apoia a OAB na luta contra desinstalação da Vara Cível da Comarca de Corumbá

30 abril 2021 - 10h22ASCOM Câmara

A Câmara Municipal está apoiando integralmente a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) - 1ª Subseção de Corumbá, diante da notícia da desinstalação da Terceira Vara Cível da Comarca, pelo Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul, e já está engajada na luta na tentativa de evitar que isso ocorra, o que seria um grande prejuízo para toda a comunidade corumbaense.

Foi o que afirmou ontem, quinta-feira, 29 de abril, o presidente do Poder Legislativo corumbaense, vereador Roberto Gomes Façanha, após ser comunicado pelo presidente da OAB de Corumbá, Roberto Ajala Lins, por meio de ofício, sobre o assunto que surpreendeu não só os advogados corumbaenses, mas todas as autoridades da região.

“É uma notícia preocupante que nos foi repassada pelo Roberto Lins e, a exemplo do que ocorreu algum tempo atrás, o Poder Legislativo já se manifestou de forma solidária, e vamos, todos nós vereadores, lutar para que isso não aconteça, unindo forças com as demais autoridades da nossa região pantaneira”, informou Façanha.

No ofício encaminhado ao presidente da Câmara, Roberto Lins explicou que dentre os argumentos do TJMS, que ele considerou infundados, a desinstalação se deve ao baixo número de processos para justificar as duas varas, segunda e terceira; redução de custos, e cumprir metas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O presidente da Ordem disse ter notícia que “o pano de fundo para essa desinstalação, passa, provavelmente, por uma intenção vedada de rebaixamento da Comarca de Corumbá de Entrância Especial para Segunda Entrância, o que juntamente com a desinstalação dos Juizados Especiais e a ideia de desinstalação da Terceira Vara, seria um retrocesso sem precedentes, com prejuízo para toda a classe dos advogados jurisdicionados, e para o próprio Município”.

Ajala destacou ainda que “não pode ser desconsiderado é que o TJ, a exemplo do que já fez com a Vara de Execução Penal no Estado todo, pretende centralizar  em Campo Grande s Varas de Execução Fiscal, o que implicaria, em um futuro não muito distante, na desinstalação também da Vara de Execução Fiscal de nossa Comarca, permanecendo apenas como Vara de Registro Públicos”, observou, citando que apenas Dourados conseguir manter a sua Vara de Execução Fiscal no Estado.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Região Central
PM prender autor de furto e recupera objetos
Outubro Rosa
Bia Cavassa faz doação em apoio a campanha Lenço Solidário
Colônia do Bracinho
Pantaneiro denuncia construção de barragem no Rio Taquari
11.817 mil testes analisados
Estudo da Janssen na região de fronteira mostra eficácia de 50% da vacina e redução de 90% em óbitos
Oportunidade
Inscrições abertas para concurso público de procurador do Estado, com salário de R$ 25 mil
Agenda Política
Presidente Regional do Democracia Cristã visita cidades do interior de MS
Retomada da Economia
Setor de bares e restaurantes aumenta as contratações e retoma movimento
246 quilos de cocaína
Dracco assume investigação da queda do helicóptero do tráfico em Ponta Porã
Dois brasileiros foram presos
Denunciado por participação no roubo de aeronaves em Aquidauana é preso na Bolívia
Imunização
Veja quem pode se vacinar contra Covid em Corumbá nesta quinta e sexta

Mais Lidas

Qualificação
Ministério da Educação anuncia formação para professores da educação infantil
Previsão Meteorológica
Tempo fica firme, mas nova frente fria promete mais chuva para o final de semana
Acidente de Trânsito
Mulher sofre fratura na perna em queda acidental de moto
Destaque
Vereador pede fim do toque de recolher e do uso de máscara em ambientes abertos