Governo - Campanha HPV

Brasil com Fronteiras escancaradas

Por Sylma Lima05 JUN 2018 - 14h16min
Moisés constatou a precariedade do sistema em Corumbá, fronteira com a Bolívia. Foto: Victor Viegas

Moisés Boaventura Hoyos, analista tributário da Receita Federal e diretor do Sindireceita, esteve nesta manhã de terça-feira,05, com uma comissão de agentes com o proposito de visitar as Fronteiras de Mato Grosso do Sul e  a falta de servidores do órgão nos mais de 27 postos da Receita no País. Segundo Moisés após a visita ‘in loco’ será feito um diagnostico real da situação e a precariedade nos setores de fiscalização, em seguida elaborado um documento que será encaminhado aos candidatos à presidência da republica este ano de eleições, “ é necessário que as pessoas entendam que não há necessidade de polícia de fronteira, o que muitos presidenciáveis estão prometendo em seus discursos. Temos que fortalecer o que já existe, pois de acordo com a Constituição federal compete a nós controlar a entrada e saída de mercadoria  no país” .

Ele disse que pretende apresentar o documento não apenas para os  candidatos a presidência , mas também, a própria diretoria de Receita Federal, ao Ministro da Fazenda ate chegar a Presidência da Republica, “ em Corumbá falta efetivo (Auditores Fiscais e Analistas Tributários) e sabemos que há uma promessa de concurso para o segundo semestre, entretanto, que só tomarão posse em 2019 devido as eleições e atos impeditivos. Ainda há pouco tive reunião com delegados, mas tem que chegar ao Congresso Nacional. Outro coisa que pretendemos é esclarecer o papel fiscalizador da Receita Federal. Não somos um órgão que apenas cobra tributos (leão), somos fiscalizadores das fronteiras e a sociedade tem que entender isso e nosso papel é fundamental. Não há Fronteira protegida se não fortalecer o órgão fiscalizador que é a Receita Federal” .

O Analista Tributário estará lançando ,início de Julho , um livro com o diagnostico da situação dos postos onde atuam em todo pais. Moises disse que o movimento na Fronteira Brasil/Bolívia é intenso e não entendeu como até hoje não há câmeras filmadoras para ajudar as policias no combate ao crime. A comissão esteve na cidade e constatou de perto a dificuldade de trabalhos dos agentes com o numero insignificante de profissionais.

Deixe seu comentário

Leia Também

Acessibilidade

Vereador pede ao Governo, recuperação de calçada de escola estadual

Educação

Com diretores da REME, Prefeitura celebra Dia dos Professores

Meio ambiente

PMA realiza soltura de jacaré-de-papo-amarelo capturado por bombeiros

Economia

MS teve 2,2 mil demissões por acordo desde o início da reforma

Acessibilidade

Solicitada recuperação de passarela de acesso a escola em Porto Esperança

Geral

Dois morrem afogados em córrego e amigos usam anzol para encontrar corpos

Geral

Depois de alerta de emergência, Rio Miranda volta ao nível normal