Menu
sábado, 21 de setembro de 2019
241 anos de Corumbá
241 anos de Corumbá
COLUNA

Entrelinhas

Sylma Lima

O Carnaval dos Carnavais

10 fevereiro 2016 - 13h09
Carnaval nota 10

Quem esteve em Corumbá nos cinco dias de Carnaval, não teve motivo para reclamar das estruturas montadas pela prefeitura e trade turístico para os visitantes.

 

Tudo perfeito 1

Neste ano, tudo conspirou a favor da cidade na festa mais tradicional do País. Nem mesmo o propalado e exagerado surto da gripe H1N1 maculou os festejos na cidade.

 

Tudo perfeito 2

A organização foi perfeita desde as estruturas montadas junto à avenida que serviu de corredor para o desfile das escolas de samba, passando pela boa receptividade nos hotéis, restaurantes e pousadas e chegando até os simples vendedores ambulantes.

 

Boa acolhida

Nos pontos de venda de bebidas e guloseimas nas ruas, aliás, o que mais chamou a atenção foi a boa receptividade dispensada aos foliões e visitantes.

 

“Em casa”

Naqueles pontos os turistas, em especial, puderam se “sentir em casa”, tamanha foi a boa acolhida dispensada pelos corumbaenses.

 

 Volta ao batente 1

Os deputados estaduais de Mato Grosso do Sul retomam as atividades nesta quinta-feira (11), após o recesso de Carnaval, com um olho já nas eleições de outubro.

 

Volta ao batente 2

É que, na maioria dos casos, os parlamentares deverão atuar fortemente em suas bases eleitorais para eleger (ou reeleger) prefeitos - ou outros políticos a eles atrelados - sintonizados com os seus interesses políticos.

 

Toma lá, dá cá

A matemática feita pelos parlamentares que atuarão diretamente nas eleições municipais deste ano em MS é simples: o apoio que dispensarão nas eleições deste ano para aliados de suas bases deverá, obrigatoriamente, em 2018, ser retribuído, pelos eleitos de agora, com estrutura municipal àqueles parlamentares que tentarão a reeleição.

 

Se cacifando

Numa outra direção, com a retomada dos trabalhos na Assembleia nesta quinta, muitos dos deputados que buscam a condição de candidatos às prefeituras já tentarão incluir em seus discursos em plenário, matérias que coincidam com os interesses de seus eleitores.

 

Ver para crer 1

O presidente da Assembleia Legislativa, Júnior Mochi (PMDB), nega que, por ser um ano eleitoral, os trabalhos na Assembleia Legislativa de MS possam ficar comprometidos com uma suposta maior atenção dada pelos parlamentares aos pleitos municipais.

 

Ver para crer 2

Para Mochi, os deputados interessados nos pleitos municipais saberão dosar os trabalhos na Assembleia com a sucessão em seus domicílios eleitorais.

 

Nada a ver

O ex-governador André Puccinelli (PMDB) nega, de “pés juntos”, que opera para “emplacar”, na disputa da sucessão do prefeito Alcides Bernal (PP) na Capital, seu ex-afilhado político Nelsinho Trad (hoje no PTB), com quem teve enormes rusgas recentemente, por conta de disputas internas no PMDB.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

I-NO-CEN-TE
#Sylmaentrevista
Pausa para Saúde
Posse
Fervendo a chaleira