Menu
terça, 30 de novembro de 2021
Cassems - Rede Amo
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Vendas do comércio caem 7,8% e têm o maior recuo desde março de 2003

13 janeiro 2016 - 10h25G1
As vendas do varejo brasileiro registraram em novembro o pior resultado em 12 anos. Na comparação com o mesmo mês de 2014, o recuo foi de 7,8%, o maior desde março de 2003, quando a retração passou de 11%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já em relação a outubro, o comércio brasileiro mostrou sua segunda alta seguida, de 1,5%, depois de registrar resultados seguidamente negativos durante o ano de 2015, que acumula baixa de 4% no volume de vendas. "Se compararmos a conjuntura de novembro de 2014 com a de 2015, a gente tinha um mercado de trabalho que crescia. Atualmente, temos uma situação de juros bem mais elevada e uma mudança de situação em termos de inflação. Novembro de 2014 foi um pico histórico que tivemos, mas a conjuntura era diferente", disse Isabella Nunes, gerente de Serviços e Comércio do IBGE. Entre todos os segmentos do comércio, os hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, cujas vendas caíram 5,7%, exerceram a principal pressão negativa sobre o índice geral na comparação anual. Na sequência, aparecem as quedas dos móveis e eletrodomésticos (-14,7%) e de tecidos, vestuário e calçados, que, ao recuarem 15,6%, registraram a maior baixa na sua série histórica. As vendas de combustíveis e lubrificantes também caíram (12%), pressionando o resultado geral do comércio. O único setor do varejo que mostrou crescimento foi o de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (2%). Apenas o comércio de Roraima mostrou aumento nas vendas, de 4%. Os outros estados venderam menos. No Amapá, a retração foi de 27,4% em São Paulo, de 6%; no Rio Grande do Sul, de 10,9%, no Paraná, de 10%, e, em Santa Catarina, de 11,3%. Comparação mensal De outubro para novembro, o que mais contribuiu para essa "recuperação" do comércio em novembro foram as vendas de móveis e eletrodomésticos, que cresceram 6,9%, além das de outros artigos de uso pessoal e doméstico, que avançaram 4,1%. Segundo o IBGE, esses números indicam "um movimento de antecipações de compra para o Natal". "Essas promoções de venda online concentradas em novembro vêm estimulando a venda de bens duráveis. Cinco das oito atividades do comércio varejista apresentaram aumento. Como houve essas promoções de novembro, a gente percebeu um aumento em relação a outubro. Em novembro, o comércio já tem uma sazonalidade muito forte por causa das vendas do fim do ano. Novembro concentra as promoções em relação às vendas onlines", afirmou a gerente de Serviços e Comércio do IBGE. Nesse período, também aumentaram as vendas de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,2%), de tecidos, vestuário e calçados (0,6%) e de equipamentos de escritório, informática e comunicação (17,4%). As vendas no varejo aumentaram em 19 das 27 Unidades da Federação. Os melhores resultados foram registrados no Pará (3,0%) e em Roraima (2,9%). Amapá (-2,9%) e Paraná (-1,6%) aparecem na outra ponta, com as maiores quedas. Vendas de veículos O comércio varejista ampliado, que inclui, além do varejo, o segmento de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, recuou 13,2%, com destaque para as vendas de automóveis. No ano, as vendas acumulam queda de 8,4% e, em 12 meses, de 7,8%. Já na comparação mensal, o comércio varejista ampliado cresceu 0,5%, com pressão positiva partindo das vendas de veículos, motos, partes e peças, que cresceram 1,2%. De acordo com o IBGE, o desempenho do segmento de material de construção também contribuiu para o resultado positivo do varejo ampliado, uma vez que cresceu 0,6%. Receita Frente a outubro, a receita nominal cresceu 2,3% e, na comparação com novembro de 2014, subiu 1,4%. No ano, acumula alta de 3,3% e, em 12 meses, de 3,6%.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Doe Vida
Nesta terça e quarta Corumbá realiza campanha de doação de sangue
Economia Local
Servidores municipais recebem salário de novembro hoje e 13º no dia 15 de dezembro
Alerta
Estudantes de medicina denunciam faculdade boliviana por aulas presenciais com casos de Covid
Transporte Aéreo
Voo ligando Corumbá a Campo Grande é solicitado durante sessão da Câmara
Vigilância
Nota técnica alerta população para doença mão-pé-boca
Direito Trabalhista
Primeira parcela do décimo terceiro deve ser paga até hoje
R$ 450 bilhões
Receita paga hoje restituições de lote residual do IRPF de novembro
Saúde Pública
Segunda etapa de vacinação contra febre aftosa termina hoje para Região do Planalto
Drenagem
Vereadora cobra por obras do Fonplata no bairro Cravo Vermelho
Meio Ambiente
MS e mais 4 Estados assinam Manifestação Conjunta pela recuperação da Bacia do Paraná

Mais Lidas

Oportunidade
IFMS abre 482 vagas em cursos de graduação gratuitos
No Pantanal
Estrada que liga ponte do Naitaca a rodovia tem previsão de entrega antecipada para janeiro de 2022
Corumbá
Bombeiros evitam explosão de gás de cozinha em casa do centro
Corumbá
Motorista abandona condutor de moto ferido após colisão