Menu
sexta, 05 de março de 2021
Andorinha Fevereiro
Andorinha Fevereiro
Geral

Vendas do comércio caem 7,8% e têm o maior recuo desde março de 2003

13 janeiro 2016 - 10h25G1
As vendas do varejo brasileiro registraram em novembro o pior resultado em 12 anos. Na comparação com o mesmo mês de 2014, o recuo foi de 7,8%, o maior desde março de 2003, quando a retração passou de 11%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já em relação a outubro, o comércio brasileiro mostrou sua segunda alta seguida, de 1,5%, depois de registrar resultados seguidamente negativos durante o ano de 2015, que acumula baixa de 4% no volume de vendas. "Se compararmos a conjuntura de novembro de 2014 com a de 2015, a gente tinha um mercado de trabalho que crescia. Atualmente, temos uma situação de juros bem mais elevada e uma mudança de situação em termos de inflação. Novembro de 2014 foi um pico histórico que tivemos, mas a conjuntura era diferente", disse Isabella Nunes, gerente de Serviços e Comércio do IBGE. Entre todos os segmentos do comércio, os hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, cujas vendas caíram 5,7%, exerceram a principal pressão negativa sobre o índice geral na comparação anual. Na sequência, aparecem as quedas dos móveis e eletrodomésticos (-14,7%) e de tecidos, vestuário e calçados, que, ao recuarem 15,6%, registraram a maior baixa na sua série histórica. As vendas de combustíveis e lubrificantes também caíram (12%), pressionando o resultado geral do comércio. O único setor do varejo que mostrou crescimento foi o de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (2%). Apenas o comércio de Roraima mostrou aumento nas vendas, de 4%. Os outros estados venderam menos. No Amapá, a retração foi de 27,4% em São Paulo, de 6%; no Rio Grande do Sul, de 10,9%, no Paraná, de 10%, e, em Santa Catarina, de 11,3%. Comparação mensal De outubro para novembro, o que mais contribuiu para essa "recuperação" do comércio em novembro foram as vendas de móveis e eletrodomésticos, que cresceram 6,9%, além das de outros artigos de uso pessoal e doméstico, que avançaram 4,1%. Segundo o IBGE, esses números indicam "um movimento de antecipações de compra para o Natal". "Essas promoções de venda online concentradas em novembro vêm estimulando a venda de bens duráveis. Cinco das oito atividades do comércio varejista apresentaram aumento. Como houve essas promoções de novembro, a gente percebeu um aumento em relação a outubro. Em novembro, o comércio já tem uma sazonalidade muito forte por causa das vendas do fim do ano. Novembro concentra as promoções em relação às vendas onlines", afirmou a gerente de Serviços e Comércio do IBGE. Nesse período, também aumentaram as vendas de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,2%), de tecidos, vestuário e calçados (0,6%) e de equipamentos de escritório, informática e comunicação (17,4%). As vendas no varejo aumentaram em 19 das 27 Unidades da Federação. Os melhores resultados foram registrados no Pará (3,0%) e em Roraima (2,9%). Amapá (-2,9%) e Paraná (-1,6%) aparecem na outra ponta, com as maiores quedas. Vendas de veículos O comércio varejista ampliado, que inclui, além do varejo, o segmento de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, recuou 13,2%, com destaque para as vendas de automóveis. No ano, as vendas acumulam queda de 8,4% e, em 12 meses, de 7,8%. Já na comparação mensal, o comércio varejista ampliado cresceu 0,5%, com pressão positiva partindo das vendas de veículos, motos, partes e peças, que cresceram 1,2%. De acordo com o IBGE, o desempenho do segmento de material de construção também contribuiu para o resultado positivo do varejo ampliado, uma vez que cresceu 0,6%. Receita Frente a outubro, a receita nominal cresceu 2,3% e, na comparação com novembro de 2014, subiu 1,4%. No ano, acumula alta de 3,3% e, em 12 meses, de 3,6%.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM COVID
SES registra 23 novos óbitos por Covid, e MS já acumula 3.416 vidas perdidas
GERAL
Senadora Soraya Thronicke lembra que aprovação da PEC Emergencial também vai salvar vidas
POLÍTICA
Brasil passa a fazer parte do Protocolo de Nagoia sobre biodiversidade
PMA
Arrendatário e agrônoma são autuados em R$ 50 mil por uso de licença ambiental falsificada
SAÚDE
Com mais doses, Corumbá abre vacinação para idosos a partir de 76 anos
INCÊNDIO
Consultório Odontológico pega fogo no Maria Leite
POLICIAL
Polícia Militar de Corumbá prende homem por violência doméstica no Dom Bosco
CULTURA
Dia Nacional da Música Clássica celebra o legado de Villa-Lobos
ECONOMIA
Indústria brasileira cresce 0,4% de dezembro para janeiro
DETRAN
Número de CNHs emitidas pelo Portal Meu Detran cresce 45%

Mais Lidas

GERAL
Ministério Público denuncia servidores de Ladário por corrupção passiva
POLICIAL
Adolescente infratora é presa no bairro Maria Leite
ACIDENTE DE TRÂNSITO
Colisão de carro e moto deixa mulher ferida no Maria Leite
GERAL
Bombeiros continuam buscas por homem desaparecido na região do Paiaguás