Menu
domingo, 17 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

UFGD define que calendário acadêmico 2021 iniciará em 26 de julho

21 maio 2021 - 09h45Da Redação

Na manhã desta quinta-feira, 20 de maio, foi realizada a 94ª Reunião Ordinária do Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cultura (CEPEC/UFGD). Um dos principais itens de pauta foi a votação do calendário acadêmico, que suscitou o debate entre conselheiros e mobilização dos estudantes da UFGD. Após discussão, a maioria dos conselheiros votou pela supressão do segundo semestre de 2020, e início das aulas referentes ao calendário acadêmico 2021 no próximo dia 26 julho.
 
De acordo com o calendário aprovado, do dia 7 de junho a 25 de julho haverá recesso acadêmico. No entanto, entre 14 de junho e 17 de julho acontecerá o período especial de inverno, com 30 dias letivos, nos quais os cursos poderão ofertar disciplinas.
 
Com a aprovação do calendário acadêmico, já é possível informar que será divulgado um cronograma de chamadas dos aprovados no Vestibular 2021 e no SISU 2021. A supressão do segundo semestre de 2020 é a solução encontrada para que fosse possível fazer as chamadas dos candidatos aprovados dos processos seletivos de 2021 o mais breve possível. Antes de ser votada no CEPEC, a supressão também foi aprovada pela maioria dos coordenadores de cursos de graduação em reunião da Câmara de Ensino de Graduação.
 
DISCIPLINAS DO SEGUNDO SEMESTRE
 
Uma questão que está preocupando professores e estudantes é a ideia de que, com a supressão do segundo semestre de 2020, não acontecerão as aulas de disciplinas que seriam oferecidas neste período. Em redes sociais, muitos alunos se manifestaram contrários à supressão, entendendo que seriam prejudicados com a falta de aulas ou com a prorrogação das aulas deste semestre somente para 2022.
 
É importante que os alunos saibam que a UFGD possui o regime de créditos, e isto permite que cada curso possa organizar a distribuição de disciplinas, de forma a melhor atender os seus acadêmicos. Por outro lado, não se pode esquecer que estamos num período de pandemia, e existem disciplinas que não podem ser ofertadas de forma remota, o que afeta na oferta de créditos neste momento.
 
OUTRAS OPÇÕES DE CALENDÁRIO
 
Mesmo prevendo que haverá cursos com maior dificuldade de conciliar a oferta de disciplinas para calouros e veteranos, a UFGD optou pela supressão do calendário acadêmico 2020.2 e início das aulas de 2021 no mês de julho.

Outra possibilidade seria iniciar as aulas de 2021 no mês de novembro. Nesse cenário, os calouros esperariam todo o ano para o início das aulas apenas em novembro, e menos de um mês depois de iniciadas as aulas eles já teriam o recesso de fim de ano. Após o diálogo com os coordenadores de cursos da UFGD, em reuniões da Câmara de Ensino de Graduação (CEG) que vêm sendo realizadas desde dezembro de 2020, avaliou-se que um calendário iniciando em novembro abriria possibilidade de haver poucos matriculados e grande evasão de alunos. Além disso, optando por um calendário 2021 iniciando em novembro, haveria atraso nos calendários acadêmicos sucessivamente até o ano de 2027, e os atrasos no calendário costumam ser motivo de desistência de alunos.
 
 
IMPACTOS DE MÉDIO E LONGO PRAZO
Quando não há entrada de novos alunos e/ou desistência de grande número de alunos, a universidade não atinge seu objetivo que é formar estudantes. Isso tem impacto social muito grande, e por consequência um impacto financeiro. O repasse de verbas do Ministério da Educação para as universidades depende de um cálculo que leva em consideração o número de alunos que entram na universidade e o número de alunos que se forma.
 
A opção de suprimir o segundo semestre de 2020 foi votada por apresentar mais chances de trazer o calendário acadêmico à normalidade, minimizar a evasão de estudantes, realizar a matrícula de novos alunos e evitar que haja impacto financeiro negativo para a instituição nos próximos cinco ou seis anos.
 
HISTÓRICO
Em março de 2020, a UFGD suspendeu o calendário acadêmico, diante da impossibilidade de manter as aulas durante a pandemia. Em julho de 2020, as atividades acadêmicas foram parcialmente retomadas, por meio do Regime Acadêmico Emergencial (RAE), no qual os estudantes de graduação da UFGD podiam escolher entre participar de atividades de ensino remoto, com o objetivo de adiantar algumas disciplinas, ou aguardar a volta das aulas presenciais sem nenhum prejuízo com relação ao prazo máximo para finalizar a graduação.
Mesmo com o RAE, a suspensão do calendário acadêmico foi mantida, com o objetivo de não prejudicar os estudantes que não quiseram ou não puderam aderir ao ensino remoto. Dos 8 mil estudantes dos cursos de graduação da UFGD, aproximadamente 4 mil se matricularam em disciplinas disponibilizadas em modelo de ensino remoto. Com o RAE, 356 alunos puderam concluir o curso de graduação e realizar sua formatura em 2020 e 2021.
 
Em janeiro de 2021, a UFGD adotou o Regulamento Acadêmico por Modalidades e Fases (RAEMF), como alternativa para possibilitar a retomada do calendário acadêmico 2020 em meio à pandemia. Na proposta do RAEMF está previsto o ensino em três modalidades: não-presencial, presencial e híbrido. As disciplinas poderiam ser ofertadas em uma dessas três modalidades, dependendo – entre outros fatores - da fase de risco da UFGD. Até o momento, a UFGD manteve a fase vermelha, indicando que apenas atividades não presenciais podiam ser ofertadas. A fase de risco da instituição vem sendo referenciada de acordo com as fases sanitárias e respaldadas pelos dados das Secretarias de Saúde local, regional e estadual e do Ministério da Saúde, bem como, ao andamento do Plano Nacional de Imunização. Com a aprovação do RAEMF, as aulas do calendário acadêmico 2020 reiniciaram em 8 de março de 20

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tragédia
Médico do interior de SP é um dos sobreviventes de barco que naufragou; quatro parentes morreram
Atualizações
Dois dos corpos encontrados no rio Paraguai são identificados
Inédito
Tempestade de areia: Energisa recebeu 4 mil chamados em Campo Grande
Dia Mundial da Alimentação
Em MS, 69% da população está com excesso de peso e 36% com obesidade
Ensino Superior
UEMS investe mais de R$ 13 milhões em bolsas e auxílios para estudantes
Transporte
Expresso Queiroz tem autorização suspensa por incapacidade de atender passageiro
Defesa Civil
Tempestade de poeira e vendaval causaram estragos em pelo menos sete nos municípios
Cidade em alerta
Ventos de 64 km/h destelharam 20 casas em Corumbá
Previsão Meteorológica
Tempo continua fechado com chance de mais chuva para grande parte do Estado
Tragédia
Naufrágio no rio Paraguai deixou sete pessoas desaparecidas

Mais Lidas

Tragédia
Médico do interior de SP é um dos sobreviventes de barco que naufragou; quatro parentes morreram
Tragédia
Naufrágio no rio Paraguai deixou sete pessoas desaparecidas
Atualizações
Dois dos corpos encontrados no rio Paraguai são identificados
Cidade em alerta
Ventos de 64 km/h destelharam 20 casas em Corumbá