Menu
quinta, 28 de outubro de 2021
Cassems - Melhores e Maiores - Edição 2021
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Sobrecarga de trabalho faz médicos buscarem atendimento em saúde mental

27 abril 2021 - 09h03ASCOM SINMED MS

A rotina exaustiva nos plantões hospitalares, desde o início da pandemia do novo coronavírus tem feito médicos procurarem especialistas em saúde mental. “Os médicos sentem como qualquer pessoa e vivenciam a pressão de lidar com a doença”, diz o médico psiquiatra Juberty Antônio de Souza. Ele acrescenta que tem observado aumento de quadros de ansiedade entre os profissionais e que já precisou afastar pelo menos dez médicos de suas funções por esse motivo.

Realidade preocupante, sobretudo em um momento em que não é possível orientar uma válvula de escape, como uma viagem de férias. “Vivemos uma situação em que a orientação é usar máscara, higienizar as mãos, manter o distanciamento social e vacinar – para os que já estão na faixa etária estabelecida. No mais é tentar, nas horas livres, desenvolver outras atividades que lhe dê satisfação para fazer um contraponto com o cenário que vivenciamos”.

Para o presidente do Sinmed MS, Marcelo Santana, que também realiza plantões atuando na linha de frente, o dia a dia nos hospitais é puxado, mas é preciso ficar atento à forma como o profissional está administrando internamente cada situação. “Nós médicos também precisamos estar atentos à nossa saúde mental e observarmos como estamos lidando com as situações para buscarmos atendimento, quando necessário”, pontuou.

Foi o que fez uma médica de Três Lagoas, que prefere não se identificar. Atuando na linha de frente há quase um ano, a profissional percebeu que precisava de ajuda para seguir com o trabalho e buscou tratamento para ansiedade provocada pelo estresse acumulado durante o período. Na semana passada, ela foi agredida verbalmente por um paciente que exigia a prescrição de determinada medicação. “O que ocorre é que as pessoas já chegam com a conduta que elas acreditam ser a ideal e não aceitam ouvir nada em contrário”, contou.

Conforme o relato da médica, que tem 26 anos, o paciente ficou bastante exaltado e foi preciso acionar a polícia. Ela registrou Boletim de Ocorrência e pediu transferência para outra unidade. “Fiquei com muito medo de ser agredida fisicamente”, disse.

O Sinmed MS se coloca à disposição dos profissionais e alerta para que busquem atendimento especializado a qualquer sinal de ansiedade.

Serviço – O Sinmed MS está localizado na Rua Eduardo Santos Pereira, 456. Telefone (67) 3384-2048 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Sexta e Sábado
Bairros Cervejaria e Guatós recebem mutirão da dengue
Consumidor
Carne bovina deve ficar mais barata com suspensão das exportações para a China
Alerta
Aneel inicia processo para reajuste e Energisa pode cobrar R$ 463 milhões de consumidores em MS
Apoio
Bia Cavassa destina R$ 150 mil para projeto direcionado a população LGBTQIA+ de MS
Ronda Policial
Evadido é capturado com trouxinhas de pasta base no bairro Aeroporto
Últimos dias de Pesca Aberta
Operação Dia de Finados da PMA intensifica fiscalização à pesca predatória
Bombeiros
Queda de árvore danifica muro e telhado de casa no bairro Universitário
Segurança
Vereador busca informações sobre condições atuais do Arthur Marinho
Reconhecimento
Câmara de Corumbá homenageia servidores públicos pelo seu dia
Operação Hefesto
Novos focos de incêndio são identificados em pelo menos três regiões

Mais Lidas

Qualificação
Senac Corumbá abre inscrições para cursos nas áreas da informática, saúde e beleza
Apelo Popular
MPT-MS vai investigar assédio moral de gerente que humilha funcionário em Carrefour da Capital
Inicio do Defeso
Última semana para pesca nos rios de Mato Grosso do Sul
Formalização
Corumbá lança campanha de incentivo ao cadastro de profissionais do setor de turismo