Menu
sábado, 25 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Sindicato protesta terceirização e acusa Energisa de demitir funcionário positivo para Covid

07 agosto 2020 - 10h27Gesiane Sousa com informações da Ascom Sinergia-MS

Dois protestos contrários a demissões e terceirizações na Energisa, fornecedora de energia no Estado de Mato Grosso do Sul (MS), foram realziados nesta sexta-feira (7), pelo Sinergia-MS (Sindicato dos Trabalhadores na Indústria e Comércio de Energia no Estado do Mato Grosso do Sul). As manifestações ocorreram em Corumbá e na Capital do Estado.

A manifestação ocorre após a terceirização da agência comercial de Corumbá, que conforme o sindicato, gerou a demissão de quatro funcionários e vai prejudicar a população. Em Corumbá, o movimento iniciou às 8h, em frente à unidade comercial da concessionária de energia na Rua Frei Mariano, região central da cidade. Em Campo Grande, ainda mais cedo, às 7h30, em frente à unidade da Energisa na Avenida Calógeras. O protesto ocorreu pacificamente, e sem aglomerações devido a pandemia da Covid-19.

“A partir do momento que você terceiriza, você não prejudica somente a relação de trabalho, mas também o atendimento à população, as pessoas de Corumbá e Ladário que precisam desse serviço serão prejudicadas”, explica o presidente do Sinergia-MS, Elvio Vargas.

De acordo com o sindicato, a Energisa iniciou o processo de terceirização do atendimento comercial em Mato Grosso do Sul em março deste ano, com as unidades de Jardim e Nova Andradina. Na última semana, foi a vez de Corumbá.

“A população já reclama muito e está insatisfeita, com essa onda de terceirização a situação deve piorar. Estamos protestando para alertar as pessoas porque isso pode acontecer também em Campo Grande”, ressalta Elvio Vargas.

Em 2019, a Energisa liderou o ranking de reclamações no Procon-MS, com 2.346 registros no Estado.

Assista o vídeo em que o presidente do Sindicato, Elvio Vargas, afirma que todos os funcionários do atendimento da agência de Corumbá foram demitidos.

Demissões

Desde que o Grupo Energisa assumiu a concessionária, no ano de 2014, 900 trabalhadores foram demitidos, o que reflete na qualidade do serviço prestado aos consumidores. E a concessionária de energia elétrica já promoveu o desligamento de pelo menos dez trabalhadores no Estado desde o início da pandemia de coronavírus.

“No início de julho, a empresa demitiu um trabalhador com coronavírus, ele apresentou o atestado e a demissão foi mantida. Estamos tentando a reintegração, comunicamos a empresa, mandamos o atestado porque ele teve contato com outros trabalhadores do setor dele. Inclusive um desses trabalhadores é o supervisor do COD, que quase morreu, teve parada cardíaca, ficou entubado. Tem vários trabalhadores contaminados e ela demite assim mesmo”, denuncia a diretora do Sinergia-MS, Alicéia Araújo.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Palestras
3ª edição da Semana da Saúde do Sesc tem foco nos reflexos da pandemia
SCT 2021
IFMS abre inscrições para Semana de Ciência e Tecnologia
Javaporco
PMA flagra criação ilegal de javalis em propriedade de Dourados
Alerta
De agendamentos a esquemas de 'pirâmides', entenda os maiores golpes do Pix em MS
Retomada
Fundtur recebe inscrições no Programa "Incentiva+MS Turismo" até 5 de outubro
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Balanço
Mais de 50% das drogas apreendidas na Operação Fronteiras e Divisas I são de MS
Economia
Comércio deve facilitar pagamento e ser cauteloso para o Dia das Crianças

Mais Lidas

Bairro Vila Mamona
Funcionários de construção amarram autor de furto e acionam PM
Capital
Presos usam celulares até em banho de sol na Máxima
Flagrante
Dupla é presa por tráfico de drogas na área central de Corumbá
Estava Foragida
Boliviana investigada por desastre da Chapecoense é mantida em Corumbá até extradição