Menu
quarta, 29 de junho de 2022
Andorinha Institucional 2022
Andorinha Institucional
Geral

Sindicato propõe redução tributária de até 20% para o setor varejista

Desconto representaria apenas 1% do total arrecadado pelo MS

23 junho 2022 - 09h30Assessoria

O setor do varejo é a porta de entrada dos empreendedores. Nele, estão vendedores de roupas e calçados, confeiteiros, pequenos mercados e todos os estabelecimentos que entregam um produto físico a seus consumidores. Durante a pandemia, muitas pessoas perderam o emprego e viram no empreendedorismo a oportunidade de não ficar sem renda. Apenas em 2021, mais de 3,9 milhões de empreendedores formalizaram micro e pequenas empresas ou se registraram como microempreendedores individuais (MEIs) em todo o Brasil, segundo o Sebrae.    

Em Mato Grosso do Sul, 86% dos 315 mil CNPJs ativos são optantes do Simples Nacional, categoria de tributação para micro e pequenas empresas. Juntas, elas somam 12% da arrecadação total do Estado. No primeiro quadrimestre de 2022, o valor arrecadado já passava de R$570 milhões. Mesmo representando uma parte expressiva da movimentação financeira estadual, os empresários do setor vêm enfrentando dificuldades, como a escalada de preços e a carga pesada de impostos. É o que afirma o diretor do Observatório Econômico do Sindifiscal, Clauber Aguiar.   

Uma reclamação recorrente é a substituição tributária. “Em vez de os órgãos responsáveis fiscalizarem 100 empresas, eles fiscalizam apenas o atacadista que está vendendo o produto”, explica o diretor. O problema é que o imposto é pago pelo empresário antes de o produto ser vendido, e em cima de um valor estimado do produto para o consumidor final.    

Para tentar solucionar o problema, o Sindifiscal apresentou ao Estado uma proposta para reduzir a carga tributária em diversos setores, sem ocasionar prejuízo à arrecadação. Para o setor varejista, a sugestão foi de um corte de 20%. “Essa solução é possível neste momento devido à saúde fiscal que o Mato Grosso do Sul vive”, ressalta.    

A primeira forma de aliviar a carga de impostos do setor seria tributar apenas o que já foi vendido, como já ocorre nas empresas que não são optantes pelo Simples Nacional. Já a segunda forma seria a redução de 20% do imposto para o varejo, que significa apenas 1% do valor total arrecadado pelo Estado. Para Clauber, é uma solução viável e amplamente benéfica para todos os lados. “Esse montante os cofres públicos assimilam em menos de três meses, apenas com inflação e crescimento do setor”.  

 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Fabricante de cimento não comparece em audiência pública e é criticada
Imunização
Ladário inicia vacinação contra Influenza para toda população a partir de 6 meses de idade
Projeto Ambiental
APA Baía Negra recebe Placas Ilustrativas de aves silvestres
Esporte
Circuito Funec de Corrida de Rua promove 2ª etapa no domingo (3)
Sejusp
Decreto estabelece criação de Delegacias de Atendimento Comunitário em Corumbá e Ponta Porã
LDO 2023
Câmara aprova projeto que dispõe sobre a Lei de Diretrizes Orçamentária de 2023
Na BR 262
Passageiros de ônibus que saíram de Corumbá são presos com 30 kg de cocaína
Resolvido
Central 190 da PM volta a funcionar
Habitação
Primeira etapa da regularização fundiária contempla 70 beneficiários em Corumbá
Facilidade
Com até 100% de desconto, REFIS pode ser aderido até pelo WhatsApp

Mais Lidas

Salvando vidas
Câmara homenageia policiais militares que salvaram jovem no Previsul
Resgate
Bombeiros capturam onça de 100 quilos no quartel do Exército
Direto ao Consumidor
Após manifestação, vereador pede reativação do Mercado Municipal
Concurso
Publicados editais relacionados aos concursos públicos da Sedhast, Sejusp, Iagro e Agraer, e seleção