Menu
segunda, 21 de junho de 2021
Andorinha - Maio
Andorinha - Maio
Geral

Servidores federais de MS comemoram a sanção dos 41,47% de recomposição salarial

22 julho 2016 - 09h51Wilson Aquino
Foto: Wilson Aquino

Servidores do judiciário federal e Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul estão comemorando a grande vitória dos 41,47% de recomposição salarial, sancionados ontem pelo presidente da República em exercício, Michel Temer, e publicados hoje no Diário Oficial da União.

“Foi sim uma grande vitória porque estamos há 10 anos sem reposição salarial e numa luta constante desde 2009, travada em todo o País junto com nossos representantes políticos, para reverter esse quadro que foi-se agravando com o passar dos anos. Felizmente agora conseguimos”, afirmou José Aílton Pinto de Mesquita, coordenador jurídico do Sindjufe/MS (Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul).

O Sindjufe/MS faz questão de observar que esses 41,47% não são “aumento” salarial, mas “recomposição” das perdas para a inflação ao longo dos últimos 10 anos. “Se formos por na ponta do lápis, o acumulado da inflação nesse período, desde 2006, quando nossos salários pararam de ser corrigidos, veremos que as perdas são muito maiores e que o percentual aprovado cobre apenas parte dessas perdas, sem aumento real”, explica José Aílton.

SEM VETOS - A Casa Civil informou que os textos foram assinados sem vetos publicados no Diário Oficial da União desta quinta-feira (21). Segundo o Supremo, o aumento do Judiciário será feito de forma escalonada em oito parcelas, até julho de 2019. Conforme a lei, cargos em comissão receberão reajuste de até 25% e técnicos judiciários com nível superior receberão adicional de qualificação.

O Sindjufe/MS faz questão de esclarecer também que os 41,47% são para servidores do judiciário federal e MPU e não para a magistratura, que já teve seu reajuste salarial.

Os coordenadores do Sindjufe/MS, José Ailton, Maria Terezinha Trindóplis, Gabriel Angeramis Vargas Goulart, Klinger Fahed Silva Nepocumeno, Eliezer Inácio de Oliveira e Antônio César Amaral Medina, lembram que foram anos de luta para conseguir essa vitória. Foram necessárias muitas idas e vindas a Brasília principalmente para fazer lobby junto a deputados e senadores da bancada de Mato Grosso do Sul e dos demais estados da federação e até greve geral da categoria em vários estados, inclusive MS, para conseguir alcançar essa conquista dos 41,47%. “Essa vitória é de todo servidor público do judiciário federal e MPU que não mediram esforços para mostrar ao governo e ao país, que era preciso promover essa justiça salarial”, afirmou José Ailton.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PROCURADOS
Mato Grosso do Sul tem 8 dos criminosos mais importantes na lista da Interpol
CORONAVÍRUS
Vacinação e sequenciamento genômico são destaques de MS no enfrentamento à Covid-19, diz OPAS
GERAL
SPPM e UEMS assinam acordo de cooperação para projeto de extensão
ECONOMIA
Caixa paga 3ª parcela do auxílio para nascidos em fevereiro e março
RESGATE DE ANIMAL
PMA de Corumbá resgata filhote de veado em condomínio no Aeroporto
POLICIAL
PMA prende infrator por porte ilegal de arma de caça
ESPORTE
Invictos, Flamengo e Bragantino duelam pelo Brasileiro no Maracanã
Embate tem início às 21h e será transmitido ao vivo da Rádio Nacional
GERAL
Mega-Sena pode pagar R$ 7 milhões neste sábado
LEI SECA
Lei seca completa 13 anos e PRF alerta para os perigos da combinação álcool e direção
UEMS
UEMS está com inscrições abertas para bolsas de iniciação científica no valor de R$ 400

Mais Lidas

PROCURADOS
Mato Grosso do Sul tem 8 dos criminosos mais importantes na lista da Interpol
GERAL
Com lotes a partir de R$ 200, SAD fará leilão de 38 lotes de veículos e sucatas de veículos em julho
RESGATE DE ANIMAL
PMA de Corumbá resgata filhote de veado em condomínio no Aeroporto
POLICIAL
PMA prende infrator por porte ilegal de arma de caça