Menu
sábado, 06 de março de 2021
Andorinha Fevereiro
Andorinha Fevereiro
Geral

Sem sistema, policiais não podem recusar registros de crimes, define portaria

19 setembro 2016 - 09h11Correio do Estado

Trabalhando desde a semana passada sem o Sistema Integrado de Gestão de Ouvidorias (Sigo), policiais civis de Mato Grosso do Sul têm enfrentado problemas em registros das ocorrências e até nas investigações policiais. Enquanto o Governo do Estado não paga a empresa responsável pelo sistema, o secretaria de Justiça definiu novas regras que os policiais têm de seguir.

A portaria foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial do Estado (DOE) e é assinada pelo delegado-geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas Lopes.

O delegado afirma que as regras são válidas para momentos como esse, quando o sistema Sigo está fora do ar. Entre as definições da nova portaria estão a proibição de policiais se recusarem a registrar ocorrências e atenderam cidadãos por conta da inoperância do sistema.

Enquanto o Sigo estiver fora do ar, os investigadores são orientados a registrar os casos em software de editor de texto e depois arquivá-los no Livro D, uma pasta onde ficarão todos os casos que depois serão registrados no sistema online quando ele voltar a operar.

Ainda conforme a portaria, os policiais devem continuar as investigações usando sistemas alternativos para pesquisas de antecedentes criminais e registro de roubos e furtos de veículos, por exemplo.

A comunicação sobre veículos alvo de criminosos deverá ocorrer por e-mail para a delegacia especializada nesse tipo de investigação, a Defurv. Mandados de prisão e soltura também devem ser comunicadas entre os órgãos de segurança por mensagem eletrônica.

PROBLEMAS

Depois de problemas com queda no sistema que começaram em julho, anteontem o Sigo saiu do ar e os policiais não conseguem registrar crimes, tudo voltou a ser feito em folhas de papel. As investigações também estão prejudicadas porque antecedentes criminais, por exemplo, não podem ser consultados.

Em agenda pública nesta manhã, o secretário de segurança José Carlos Barbosa, o Barbosinha, afirmou que o contrato venceu em meados de março e que tratativas para renovação foram feitas, mas o processo emperrou.

Mensalmente o Governo do Estado repassava à Compnet cerca de R$ 800 mil, no entanto, os valores acabavam sendo custeados só pela Secretaria de Segurança, situação questionada pelo secretário tendo em vista que órgãos como o Detran e a Agência de Administração Penitenciária também usam o sistema.

O que também emperrou a renovação do contrato foi o fato da empresa não possuir certidões válidas, que só foram regularizadas há alguns meses.

“Estamos na fase final de elaboração do contrato, dependíamos de parecer da PGE (Procuradoria-Geral do Estado) que devolveu o processo ontem. Até o fim desse mês vamos renovar o contrato e acabar com essa novela”, disparou Barbosinha.

Atualmente as delegacias estão usando um livro de ocorrências, que são digitadas no computador, impressas e coladas no exemplar. “Os policiais estão se virando como podem. Com esse jeito de registro através do livro, não dá para cruzar os dados dos envolvidos e fica bem complicado”, esclareceu a Assessoria de Comunicação do Sinpol-MS.

De acordo com o Governo do Estado, funcionalidades do SIGO estão impedidas de serem acessadas por conta de problemas técnicos. A empresa terceirizada, responsável pela manutenção do sistema já foi notificada e está trabalhando para que o programa volte a funcionar nas delegacias. Entretanto, não há previsão para que o serviço seja normalizado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol
OPORTUNIDADE
Receita Federal abre vagas de estágio em Corumbá
CULTURA
Eleitos os representantes não governamentais para o Conselho de Cultura do município
SEGURANÇA PÚBLICA
Em MS, Senad defende proposta de agilizar leilões de bens do crime organizado
POLICIAL
Bandidos armados usam carro oficial do Governo de MS para roubar casal na Afonso Pena
GERAL
Mãe é detida após espancar bebê de 9 meses com pedaço de madeira em cidade de MS
ESPORTE
Estadual de Futebol 2021 prossegue com mais quatro partidas neste fim de semana
SAÚDE
Redução de testa: Dermatologista de MS explica sobre melhores formas de tratamento
GERAL
Mulher tem bebê em casa e bombeiros prestam atendimentos
SAÚDE
Endometriose pode afetar 10% das mulheres brasileiras

Mais Lidas

POLICIAL
Homem é preso por roubo na forma tentada no bairro Maria Leite
POLICIAL
Em Corumbá três são presos com mandado de prisão em aberto
INCÊNDIO
Consultório Odontológico pega fogo no Maria Leite
POLICIAL
Polícia Militar de Corumbá prende homem por violência doméstica no Dom Bosco