Menu
domingo, 28 de novembro de 2021
Cassems - Rede Amo
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Sem resposta, passageira recorre a rede social para reclamar da Buser

25 outubro 2021 - 15h21Sylma Lima

O alerta para empresas clandestinas que oferecem transporte rodoviário no trecho de Corumbá até Campo Grande é contínuo. O mais recente, partiu de uma passageira, que sem obter resposta do aplicativo Buser, escolheu usar sua Rede Social para reclamar e alertar as pessoas para que não sofram o que ela passou neste domingo (24). De acordo com a denúncia da passageira, que autorizou usar a imagem de sua rede nesta matéria, o ônibus que prestava serviço para a Buser não apareceu para buscar os mais de 40 passageiros que aguardaram até 1 hora da madrugada até desistirem.   

Passageira relatou seu sofrimento ao usar o serviço neste domingo (24). Foto: Reprodução Rede Social

No desabafo da mulher, o ônibus prestador de serviço do aplicativo Buser, deveria ter saído de Corumbá com destino a Capital às 23h30, porém sem avisar ou dar qualquer esclarecimento, o ônibus não apareceu. A passageira diz que assim como os outros, estava desesperada porque tinha compromisso de trabalho em Campo Grande e que se ela imaginasse ou soubesse que "isso estava acontecendo com frequência, jamais teria comprado a passagem”, exclamou a mulher. 

Ainda em seu relato, ela disse que a noite foi de muito cansaço, chegou a tentar usar o carro da mãe para ir dirigindo por conta própria para Campo Grande, mas percebeu que já não estava em condições de dirigir por quase 6 horas de estrada, ainda mais durante a madrugada, então preferiu retornar para casa, descansar e comprar uma nova passagem no dia seguinte. Ela adiquiriu uma passagem numa empresa regular, com autorização da Agepan para transportar pessoas, e seguiu viagem sem problemas a bordo em um ônibus da Andorinha nesta segunda-feira (25).

A Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan) já esclareceu diversas vezes em entrevistas ao Capital do Pantanal, que as pessoas devem certificar se a empresa contratada é regulamentada ou clandestina. O diretor-presidente da Agepan, Carlos Alberto de Assis, afirma que as fiscalizações estão sendo intensificadas com novas diretrizes para evitar acidentes e situações de irresponsabilidade e descaso como a narrada nesta matéria. Em recomendação, a passageira vítima da Buser, alerta para que as pessoas evitem usar o serviço.  

No sábado (23), um acidente na BR 262, com ônibus da empresa Seriema, à serviço da Buser, também causou um grande risco aos passageiros que seguiam para Campo Grande. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista do veículo perdeu o controle da direção e colidiu na mureta da ponte sobre o rio Paraguai. Felizmente ninguém ficou ferido. 

 

* Texto alterado às 6h desta terça-feira (26) para inclusão de informações.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Bombeiros atendem dois acidentes na BR 262
Esporte
Corumbaense e ladarense vencem campeonato de Fisiculturismo em Bonito
Policial
Jovem é assassinado após discussão no bairro Jardim dos Estados
Ele é irmão de um outro rapaz assassinado no Dom Bosco há 26 dias
Policial
PM apreende 47kg de cocaíma no bairro Aeroporto
Policial
Travesti é assassinada a golpes de faca na Edú Rocha
Curiosidades
A história de Owen
Campo Grande
Após 90 dias, Cassems registra primeira internação por Covid
Educação
Enem continua no domingo com conteúdos de Ciências da Natureza e Matemática
Naviraí
Rádio clandestina é fechada e um homem é pela Polícia Federal
Até 5 de dezembro
Marinha do Brasil abre inscrições para concurso de nível superior

Mais Lidas

Naviraí
Rádio clandestina é fechada e um homem é pela Polícia Federal
Até 5 de dezembro
Marinha do Brasil abre inscrições para concurso de nível superior
Furtada em 2015
Estátua de Bronze furtada do cemitério há seis anos era vendida em grupo de trocas na cidade
Sonho realizado
Casal de idosos ribeirinhos comemoram chegada de energia elétrica em casa