Menu
sábado, 18 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Sem recursos hospital diz que não consegue atender a demanda

Há muitos anos o hospital vem fazendo parcelamento de tributos para conseguir documentação fiscal

09 maio 2019 - 11h00Flávia Ibanez

Após postagens e críticas feitas à administração da Santa Casa Corumbaense, em redes sociais, a entidade envia nota a imprensa explicando porque o hospital não consegue ‘sair do vermelho’ e atender a contento a população corumbaense. Nas mídias de repercussão , os comentários afirmavam que o hospital só possui dois medicamentos (antibióticos) para atender a demanda, deixando a sociedade alarmada, com a possibilidade de má gerenciamento de recurso. Ocorre que há anos as dividas do hospital vem aumentando, sem contudo, que os poderes tomem providências no sentido de acabar de vez com a ‘novela’. O repasse da contratualização entre, Sociedade Beneficência, Estado e Município não é suficientes para atender  ao publico, mas, acaba socorrendo ladarenses e bolivianos.

No início deste mês o prefeito se reuniu com o governador e anunciou que tanto o estado quanto o município vão aumentar o repasse , entretanto, como se trata de uma entidade filantrópica o governo federal também tem que se responsabilizar, pois saúde é garantia constitucional e tabela do SUS esta defasada há anos. Enquanto se briga e discute sobre gerenciamento, se faz necessário  a tomada de medidas a fim de ajudar a entidade, como  formar grupo de voluntários para arrecadar fundos e doações para diminuir os problemas mais urgentes. O hospital precisa de pintura, novos leitos, tecido para lençóis e roupas cirúrgicas, além de medicamentos.

A fim de esclarecer a polemica a Sociedade Beneficência expediu a seguinte nota:

“ Sobre a escassez de alguns tipos específicos de medicamentos, a Junta Interventora da Associação Beneficente de Corumbá esclarece que já efetuou a compra da demanda solicitada e aguarda a entrega.

Os medicamentos e produtos utilizados pela Santa Casa de Corumbá são adquiridos através de compra com pagamento à vista. Em abril os laboratórios farmacêuticos também reajustaram os valores. É de conhecimento público que a Associação vive momento que necessita de maior cuidado e atenção governamental, mas, especificamente dos Governos Estadual e Federal.

Neste ano, os Municípios de Corumbá e Ladário já reajustaram o repasse no limite máximo permitido por Lei para que a região não fique sem o único hospital público.

Anseia-se por reajuste nas esferas Estadual e Federal para que as limitações sejam erradicadas, e a população fronteiriça possua mais qualidade no atendimento e tratamento. No momento, a ABC recebe dos governos apenas para atender ao município de Corumbá, mas ,acaba precisando assistir aos municípios do entorno sem capacidade financeira para tal”.

A nota foi assinada pela assessoria de Imprensa da Santa Casa Corumbaense

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Queimadas
Bombeiros abrem aceiro na vegetação seca para deter incêndios do Pantanal
Balanço
Em três dias, operação Fronteiras e Divisas apreendeu R$ 12 milhões em drogas
Alerta
Com umidade do ar registrando 10%, cidades de MS voltam a ficar em alerta
Preconceito não!
Jogo da Diversidade acontece hoje com cobertura ao vivo do Capital do Pantanal
Flagrante na fronteira
PMA desmonta acampamento mas caçadores escapam para o Paraguai
Programação
Criançada aprende a usar cores primárias na oficina do Sesc deste sábado
Retomada
UEMS lança Guia de Retorno de Atividades Presenciais
Salve Vidas
Para repor estoques de O-, O+ e A+ Hemosul da capital abre o dia todo neste sábado
Tempo
Sábado de sol, calor e tempo seco em todo Estado
Tentativa de Homicídio
Adolescente é socorrido com perfuração de bala na coxa

Mais Lidas

Espancamento
Rapaz vítima de agressão é socorrido inconsciente no bairro Camalote
Trânsito
Motociclista é socorrido com fratura na perna
23 vagas
Inscrição para o processo seletivo da Saúde de Corumbá termina às 17h de hoje
Homenagem
Praça Palestina em Corumbá completa dois anos de criação