Menu
segunda, 25 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Segundo caso de raiva animal confirmado faz CCZ programar vacinação para 2X vezes no ano

30 março 2016 - 11h23Gesiane Medeiros
O segundo caso de raiva animal foi registrado em Corumbá no dia 17 de março, quando chegou resultado de exame expedido pelo laboratório Central de Campo Grande. O animal infectado era um morcego de espécie insectifera, que se alimenta de insetos, e foi capturado por moradora no bairro Popular Nova, parte alta da cidade. Segundo informações do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) este é o segundo caso confirmado em menos de um mês, já que no início de março um cão, também da parte alta, foi diagnosticado com a doença.Carlos Eduardo Carvalho, veterinário do CCZ, explica que o morcego foi morto pelo gato da família e só depois encontrado pela moradora, que levou o animal infectado até o CCZ. O gato ficou em observação, e para preservação da saúde de todos da casa precisou ser sacrificado. “A confirmação do segundo caso da doença na cidade, no curto espaço de tempo, indica que a doença está em circulação e que a população deve tomar medidas preventivas. Este ano, a vacinação acontecerá duas vezes, a primeira já no mês de abril”, explica o veterinário do CCZ. O município disponibiliza a vacina contra raiva gratuitamente no CCZ durante todo os 12 meses do ano, e realiza campanha anual com agentes que visitam todas as casas da cidade, porém este ano, numa tentativa de impedir um novo surto da doença, que em 2015 registrou 63 casos de raiva em animais e um em humano (com morte), o cronograma foi adaptado para que a campanha seja realizada de seis em seis meses. Carlos Eduardo explica ainda que os morcegos são comuns na cidade, “é fácil encontrar colônias de morcegos não hematófagos (que se alimentam de sangue) em Corumbá, eles habitam geralmente nas copas das árvores e nos forros dos telhados das casas, a convivência natural entre eles transmite a doença um para o outro e assim chegam aos cães e gatos que passam para os seres humanos”. O CCZ indica que a melhor forma de se proteger é a vacinação. “Todo animal doméstico deve ser vacinado contra a raiva anualmente a partir do 4° mês de vida. Em caso de qualquer arranhadura que uma pessoa tiver deve procurar imediatamente o posto de saúde mais próximo para iniciar tratamento com vacinas, a recomendação serve inclusive para quando o animal em questão for vacinado, neste caso o animal deverá ser monitorado”, explica o veterinário.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Flagrante
Dois turistas são multados em R$ 1,8 mil por pesca predatória no rio Miranda
Alerta
Últimos dias para inscrições em editais da Funarte
Imunização
Quem pode se vacinar contra Covid neste fim de semana
1 hora a menos
Agepan defende o retorno do horário de verão para economia de energia em MS
74 vagas
Concurso público da Sanesul recebe inscrições até 11 de novembro
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19
Orientação
O que fazer para prevenir problemas durante e após temporais
CNH MS Social
Programa de habilitação gratuita já tramita na Assembleia Legislativa
Tempo
Chuva ganha força a partir deste sábado e pode trazer nova tempestade para MS
Precaução
Tradicional Procissão Fluvial é cancelada devido previsão de mal tempo

Mais Lidas

Causa não definida
Motorista de ônibus fretado com 42 passageiros perde o controle e colide na mureta da ponte
Dom Bosco
Homem baleado pede socorro em escola, mas não resiste e morre
Desdobramento
Embarcação que naufragou e fez sete vítimas no rio Paraguai não era de transporte turístico
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19