Menu
segunda, 20 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Secretário de Governo sugere pacto com os 79 municípios para conter avanço da Covid-19

15 março 2021 - 12h33Portal do Governo de MS

O secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Sérgio Murilo, defendeu nesta segunda-feira (15) um pacto sul-mato-grossense, envolvendo o Estado e os 79 municípios, para conter o avanço do coronavírus e evitar mais perdas de vidas e empregos.

Com base nos dados do Centro de Operações de Emergência (COE-MS) que apontam o agravamento da situação, Sérgio Murilo reforçou que Mato Grosso do Sul está no pior momento da pandemia. “A terceira onda de contágio é mais grave que as duas primeiras porque o vírus se tornou mais transmissível e está gerando um número exponencial de doentes, colocando em risco a capacidade de atendimento do sistema de saúde”.

Para ele, está na hora dos municípios seguirem o exemplo do pacto de governadores em nível nacional e estabelecerem um forte alinhamento em torno da execução das medidas sanitárias necessárias para que o Estado atinja níveis mais altos de isolamento social, reduzindo a mobilidade urbana e mantendo as atividades econômicas com regras especiais de biossegurança.

“O que as pessoas não estão querendo entender é que, sem esforço e uma parcela de sacrifício agora, vamos prorrogar por um longo tempo os efeitos da pandemia. É melhor fazer o que é necessário para não precisar adotar mais medidas restritivas e por períodos mais longos”, disse Sérgio Murilo.

“Com a doença fora de controle, como está acontecendo em todo o Brasil, nesta fase, não há alternativa a não ser restringir [a circulação de pessoas], como já vem acontecendo em inúmeros estados. Poderíamos estar em outra situação, se houvesse um comportamento coletivo mais responsável”, acrescentou.

Sérgio Murilo lembra que apenas três dos 79 municípios estão com nível mais tolerável de incidência da doença, o que exige, da parte dos prefeitos e gestores, uma nova postura neste momento. “Temos que trabalhar juntos, convergindo para o mesmo objetivo”, defendeu, estabelecendo como referência o Decreto recentemente editado com essa finalidade e a orientação do Prosseguir, programa que audita a situação da pandemia cidade por cidade e estabelece recomendações aos gestores públicos.

Ainda conforme o secretário de Governo, existe um risco de colapso do sistema de saúde enquanto o país espera por um ritmo melhor do Programa Nacional de Imunização, sob a responsabilidade do Ministério da Saúde. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Prorrogação
Detran-MS amplia prazos e CNHs vencidas podem ser renovadas até 2022
Campanha
Corumbá abre Semana Nacional do Trânsito; atividades vão até dia 24
Prevenção
Campanha antirrábica deve vacinar 30 mil cães e gatos
Há cinco dias
Falta de água no bairro Popular Velha revolta moradores
Denúncia
Bar é fechado e proprietário é multado em R$ 5 mil por poluição sonora
Oportunidade
Senac Corumbá abre inscrições para cursos na área da saúde
Pesquisa
Dia das Crianças deve movimentar R$ 135 milhões na economia de MS
Fronteira
Mulher presa com "cinturão de cocaína" receberia R$ 1.500 pela travessia
Calendário
Proprietário de veículos com placas final 9 devem quitar licenciamento até 30 de setembro
Leilão
Detran-MS abre visitação de 83 lotes disponíveis para desmontagem

Mais Lidas

Balanço
Em três dias, operação Fronteiras e Divisas apreendeu R$ 12 milhões em drogas
Preconceito não!
Jogo da Diversidade acontece hoje com cobertura ao vivo do Capital do Pantanal
Flagrante na fronteira
PMA desmonta acampamento mas caçadores escapam para o Paraguai
Alerta
Com umidade do ar registrando 10%, cidades de MS voltam a ficar em alerta