Menu
sexta, 05 de março de 2021
Geral

Saúde do Estado reduz vacinas para 2016, mas afirma que ninguém ficará desprotegido

01 fevereiro 2016 - 14h16Gesiane Medeiros
A mudança no calendário de vacinação anunciada pelo Ministério da Saúde em 2016 vai reduzir o número de doses de imunização. Todavia, a gerente técnica da Secretaria de Saúde do Governo do Estado, Kátia Mongenot, explica que a alteração no calendário de vacinação não vai deixar ninguém desprotegido. “Estudos demonstram que um número diferente de doses das que vinham sendo aplicadas são suficientes para a imunização. Um exemplo é a vacina contra o HPV que agora será feita em duas doses. Todas essas mudanças anunciadas pelo Ministério da Saúde estão sendo feitas com base em estudos e a população pode ficar tranquila”, explicou. De acordo com Katia, todas as informações já foram repassadas para as equipes técnicas das prefeituras. Dentre as mudanças estão alteração de doses de reforço para vacinas infantis contra meningite e pneumonia, esquema vacinal da poliomielite e a dispensa da terceira dose da vacina de papiloma vírus humano (HPV).   HPV Conforme o Ministério da Saúde, um das principias mudanças é na vacina HPV. O esquema vacinal passa para duas doses, sendo que a menina deve receber a segunda seis meses após a primeira, deixando de ser necessária a administração da terceira dose. Os estudos recentes mostram que o esquema com duas doses apresenta uma resposta de anticorpos em meninas saudáveis de 9 a 14 anos não inferior quando comparada com a resposta imune de mulheres de 15 a 25 anos que receberam três doses. As mulheres vivendo com HIV entre de 9 a 26 anos devem continuar recebendo o esquema de três doses.   Bebês Para os bebês, a principal diferença será a redução de uma dose na vacina pneumocócica 10 valente para pneumonia, que passará a ser aplicada em duas doses, aos 2 e 4 meses, seguida de reforço preferencialmente aos 12 meses, mas poderá ser tomado até os 4 anos. Essa recomendação também foi tomada em virtude dos estudos mostrarem que o esquema de duas doses mais um reforço tem a mesma efetividade do esquema três doses mais um reforço.   Pólio O Ministério informa que a terceira dose da vacina contra poliomielite, administrada aos seis meses, deixa de ser oral e passa a ser injetável. A mudança é uma nova etapa para o uso exclusivo da vacina inativada (injetável) na prevenção contra a paralisia infantil, tendo em vista a proximidade da erradicação mundial da doença. No Brasil, o último caso foi em 1989. A partir de agora, a criança recebe as três primeiras doses do esquema – aos dois, quatro e seis meses de vida – com a vacina inativada poliomielite (VIP), de forma injetável. Já a vacina oral poliomielite (VOP) continua sendo administrada como reforço aos 15 meses, quatro anos e anualmente durante a campanha nacional, para crianças de um a quatro anos.   Meningite Outra mudança será nas doses da vacina meningocócica C (conjugada), que protege as crianças contra meningite causada pelo meningococo C. O reforço, que anteriormente era aplicado aos 15 meses, passa a ser aplicado aos 12 meses, podendo ser feito até os 4 anos. As primeiras doses da meningocócica continuam sendo realizadas aos 3 e 5 meses.           Texto do Notícias MS   

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM COVID
O mês começa com média de 6 mortes por Covid a cada 24 horas
SAÚDE
MS é o estado que mais aplicou as duas doses da vacina contra a Covid-19
GERAL
Ministério Público denuncia servidores de Ladário por corrupção passiva
GERAL
Bombeiros continuam buscas por homem desaparecido na região do Paiaguás
CONSUMIDOR
Vereador pede relatório ao Procon sobre processos, multas e empresas penalizadas em 2020
ESPORTE
Fluminense estreia no Carioca de olho na final da Copa do Brasil
ECONOMIA
Governo adia para dia 31 reinício de bloqueio e suspensão de benefício
OPORTUNIDADE
Máscara + Renda já beneficiou mais de 1.900 costureiras em todas as regiões do país
RECONHECIMENTO
Câmara vai prestar homenagem às corumbaenses pelo Dia Internacional da Mulher
ACIDENTE DE TRÂNSITO
Colisão de carro e moto deixa mulher ferida no Maria Leite

Mais Lidas

GERAL
Ministério Público denuncia servidores de Ladário por corrupção passiva
POLICIAL
Adolescente infratora é presa no bairro Maria Leite
ACIDENTE DE TRÂNSITO
Colisão de carro e moto deixa mulher ferida no Maria Leite
GERAL
Bombeiros continuam buscas por homem desaparecido na região do Paiaguás