Menu
quinta, 28 de outubro de 2021
Cassems - Melhores e Maiores - Edição 2021
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Reinaldo reclama de prefeitos e culpa Ministério da Saúde pela distribuição de doses

05 julho 2021 - 09h53Sylma Lima

Depois de reservar mais de 49 mil doses de vacina contra o coronavírus enquanto a Campo Grande não tinha doses para ampliar a campanha, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) comentou sobre as doses da vacina Janssen nesta segunda-feira (5). Cidades têm reclamado sobre as doses reservadas para vacinar toda a população da fronteira, enquanto em outros municípios falta vacina, mas o governador reclamou da ‘briga’ entre os prefeitos. Ele ainda culpou o Ministério da Saúde pela distribuição de doses entre municípios.  

Na manhã desta segunda (5), o governador disse que a discussão entre prefeitos sobre as doses da Janssen é ‘inócua’. Azambuja completou, dizendo que o Ministério da Saúde é responsável pela distribuição das doses.  

“Quem regula a distribuição é o Ministério, que disponibilizou mais de 165 mil doses por conta do estudo na fronteira com as vacinas da Janssen. Não é o Estado que decide isso. Acho uma discussão inócua, [as doses] são um ganho para Mato Grosso do Sul. Quando ganhamos cota extra, sobram mais doses para os outros 66 municípios”, disse.  

É importante lembrar que uma decisão da CIB (Comissão Intergestores Bipartite) definiu a reserva de 30% das vacinas a serem utilizadas no estudo na fronteira. Ou seja, 49.650 doses da Janssen ficaram ‘guardadas’ por decisão do Estado, enquanto a maior cidade do Estado não tinha vacinas para a 1ª dose. Somente há pouco a Capital recebeu um novo lote, com 7,4 mil vacinas da Janssen.  

Uma reportagem publicada pelo Jornal Midiamax mostrou que cidades de fronteira com a Bolívia têm enfrentado resistência da população para vacinar.O medo da vacina e a desinformação estão entre os principais fatores. Há até cidades fazendo busca casa por casa, para verificar quem ainda não se vacinou. Quem recusar, terá que assinar um termo de responsabilidade. 

Em decisão conjunta entre a Secretaria de Saúde de MS e o Conselho de Secretários Municipais de Mato Grosso do Sul, os 13 municípios de fronteira com a Bolívia e o Paraguai tem até 08 de julho, quinta-feira, para cumprir a vacinação. Após esse prazo será feito um levantamento e as doses que sobrarem com validade, serão devolvidas para a Saúde do Estado para serem distribuidas as demais 66 cidades de Mato Grosso do Sul.  

 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Sexta e Sábado
Bairros Cervejaria e Guatós recebem mutirão da dengue
Consumidor
Carne bovina deve ficar mais barata com suspensão das exportações para a China
Alerta
Aneel inicia processo para reajuste e Energisa pode cobrar R$ 463 milhões de consumidores em MS
Apoio
Bia Cavassa destina R$ 150 mil para projeto direcionado a população LGBTQIA+ de MS
Ronda Policial
Evadido é capturado com trouxinhas de pasta base no bairro Aeroporto
Últimos dias de Pesca Aberta
Operação Dia de Finados da PMA intensifica fiscalização à pesca predatória
Bombeiros
Queda de árvore danifica muro e telhado de casa no bairro Universitário
Segurança
Vereador busca informações sobre condições atuais do Arthur Marinho
Reconhecimento
Câmara de Corumbá homenageia servidores públicos pelo seu dia
Operação Hefesto
Novos focos de incêndio são identificados em pelo menos três regiões

Mais Lidas

Qualificação
Senac Corumbá abre inscrições para cursos nas áreas da informática, saúde e beleza
Apelo Popular
MPT-MS vai investigar assédio moral de gerente que humilha funcionário em Carrefour da Capital
Inicio do Defeso
Última semana para pesca nos rios de Mato Grosso do Sul
Formalização
Corumbá lança campanha de incentivo ao cadastro de profissionais do setor de turismo