Menu
quinta, 02 de dezembro de 2021
Andorinha Dezembro
Mobile - Andorinha Dezembro
Geral

Reinaldo Azambuja decreta tombamento da Catedral Nossa Senhora da Candelária

30 junho 2021 - 08h34Silvio Andrade - Portal do Governo de MS

Decreto assinado pelo governador Reinaldo Azambuja e pelo secretário estadual de Cidadania e Cultura, João César Mattogrosso, determina o tombamento da centenária Catedral Nossa Senhora da Candelária, em Corumbá, como bem do Patrimônio Histórico Material de Mato Grosso do Sul. Em agosto de 2017, o Conselho Estadual de Cultura reconheceu o valor histórico da igreja, construída entre 1872 e 1877, e homologou o processo de tombamento.

Conforme o ato, o bem será inscrito no Livro de Tombo Histórico, de acordo com a Lei nº 3.522, de 2008, no qual são inscritas as coisas de interesses históricos, as obras de arte históricas e os documentos paleográficos ou bibliográficos. A tradicional igreja foi inicialmente declarada Patrimônio Histórico e Cultural pela prefeitura de Corumbá, em fevereiro de 2017, por meio do decreto nº 1.748, assinado pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira.

O templo, um dos mais antigos do Estado, foi erguido com elementos da arquitetura eclética pelo polêmico pregador imperial Frei Mariano de Bagnaia em frente à Praça da República, onde se deu a heroica retomada de Corumbá durante a Guerra do Paraguai (1864-1870). Em seu altar, destaca-se um brasão da coroa portuguesa, o que indica as influências europeias no bem, e guarda também uma imagem de Nossa Senhora da Candelária, padroeira da cidade.

Resgate do patrimônio

“Cercada de história que, reais ou não, alimentam o imaginário da população, criando vínculos memorialísticos e culturais, a igreja está inserida numa região próxima de outros prédios e monumentos que já tiveram seu valor histórico reconhecido”, manifestou-se o Conselho Estadual de Cultura em seu parecer pelo tombamento, há quatro anos. Sua construção gerou lendas ainda cultuadas envolvendo o bispo e a cidade, que o homenageia com nome de rua.

O prédio foi interditado em 2016, quando grande parte da estrutura de gesso do teto caiu, e a partir de então foi iniciado um longo processo de restauração e requalificação, que está em fase de conclusão pela prefeitura conta com aporte financeiro do Governo do Estado, por meio da Fundação de Cultura. As intervenções buscam valorizar a estética original e incluem pintura, piso, recuperação interna da torre, bem como sistema de sonorização e climatização.

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Crescimento
MS tem 37,9 mil trabalhadores formais a mais que antes da pandemia
Polícia
'Deu Zebra' não chega nem perto de donos do jogo do bicho e policiais se revoltam em Campo Grande
Meio Ambiente
Sanesul é cobrada para eliminar descarte de lodo na região do Porto Geral
Benefício
Nascidos em dezembro têm até o dia 31 para aderir ao saque-aniversário
Infraestrutura
Recuperação de galeria no bairro cervejaria é urgente
Acidente
Motociclista sofre ferimentos em queda acidental
Inédito
Bonito recebe primeiro voo em conexão direta com Congonhas nesta quinta-feira (02)
Habitação
Decreto regulamenta projeto Lote Urbanizado e cria novas regras e prazos
Rio Brilhante
Empresários que tiveram prisão decretada na operação 'Dark Card' estão foragidos
Jovens Empreendedores
Alunos de Escolas Municipais de Porto Murtinho expõem produtos desenvolvidos em sala

Mais Lidas

Alerta
Estudantes de medicina denunciam faculdade boliviana por aulas presenciais com casos de Covid
Desdobramentos
Universidade de medicina na Bolívia responde denúncia e concede exame virtual
Farsa
Bolivianos são presos ao tentavam ir para a Europa com documentos paraguaios
Cidade
Briga de casal termina com marido ferido por faca