Menu
domingo, 26 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Recuperação da Bacia do Taquari é “prioridade absoluta” do Ministério do Meio Ambiente

21 fevereiro 2019 - 08h05Portal do MS

Depois de se comprometer no mês passado com a liberação de recursos para reverter o processo de assoreamento do rio Taquari, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, conheceu na tarde de quarta-feira (20.2) a proposta de recuperação da bacia hidrográfica. “É prioridade absoluta do Ministério encontrar soluções para esse problema, que sejam factíveis e tenham horizonte de aplicação bastante curto”, afirmou Salles em encontro com o governador Reinaldo Azambuja.

O processo de assoreamento da Bacia do Taquari teve início há 40 anos e inundou permanentemente mais de 1,3 milhão de hectare no Pantanal. “É um dos maiores desastres ambientais da história do Brasil”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja. Para reverter o cenário de degradação, segundo o gestor, o Ministério vai utilizar recursos de multas ambientais para iniciar, em breve, o processo de recuperação da região.

Em janeiro deste ano, Ricardo Salles assumiu compromisso de viabilizar a recuperação da bacia hidrográfica com a liberação de parte de R$ 6 bilhões que estão num fundo criado pelo Governo Federal e que concentra dinheiro recebido de multas pagas por quem cometeu crimes ambientais pelo País.

Projeto de recuperação

A proposta apresentada pelo governador ao ministro do Meio Ambiente foi elaborada pelo poder público em conjunto com organizações civis e o segmento produtivo. Participaram da audiência os secretários de Estado Jaime Verruck (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) e Eduardo Riedel (Governo e Gestão Estratégica).

Acompanharam ainda prefeitos de integrantes 11 municípios que compõem o Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Sustentável da Bacia Hidrográfica do rio Taquari (Cointa), além do diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), Ricardo Eboli, e dos deputados estaduais Eduardo Rocha e Coronel David.

Para Ricardo Eboli, “essa é a parceria do Governo do Estado com o Governo Federal para solucionar problemas ambientais, sociais e econômicos da Bacia do rio Taquari”.

“Pela primeira vez conseguimos ver uma luz no fim do túnel, pois nunca tivemos, até então, a oportunidade de expor os problemas para o Ministério com nosso governador e nossos secretários nos acompanhando e dando guarida. Pela primeira vez tenho a certeza de que vai acontecer alguma coisa positiva”, disse o prefeito de Rio Verde de Mato Grosso e presidente do Cointa, Mário Kruger,

Bacia hidrográfica

A Bacia do Taquari cobre uma área de 78 mil km² nos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. O rio tem suas nascentes nos municípios de Alto Araguaia (MT) e Alto Taquari (MT), Costa Rica (MS) e Alcinópolis (MS), escoando de Leste a Oeste no sentido do Planalto para o Pantanal, sendo que a maior parte da bacia hidrográfica do Taquari está situada no território de Mato Grosso do Sul.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Palestras
3ª edição da Semana da Saúde do Sesc tem foco nos reflexos da pandemia
SCT 2021
IFMS abre inscrições para Semana de Ciência e Tecnologia
Javaporco
PMA flagra criação ilegal de javalis em propriedade de Dourados
Alerta
De agendamentos a esquemas de 'pirâmides', entenda os maiores golpes do Pix em MS
Retomada
Fundtur recebe inscrições no Programa "Incentiva+MS Turismo" até 5 de outubro
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Balanço
Mais de 50% das drogas apreendidas na Operação Fronteiras e Divisas I são de MS
Economia
Comércio deve facilitar pagamento e ser cauteloso para o Dia das Crianças

Mais Lidas

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Desenvolvimento
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida