Menu
sexta, 16 de abril de 2021
Ambiental MS Pantanal - Aegea
Andorinha Fevereiro
Geral

Protesto de transportadores fecha Agesa em Corumbá

16 abril 2018 - 11h05Sylma Lima
Anel Viário, km 777 da BR 262,em frente a Agesa. Mais de 600 caminhoneiros protestam. Foto: Sylma Lima

Mais de 600 caminhoneiros foram impedidos de fechar BR 262 km 777 em frente a Agesa (Armagem Geral Alfandegário) de Corumbá, na manhã desta segunda-feira, 16 de Abril. Entretanto, a pedido da PRF a via foi liberada, mas decidiram manter a entrada da Agesa fechada, o que deve permanecer durante todo o dia de hoje. Segundo Lourival Junior, presidente do Sindicato  do Transporte e Logística do Pantanal, a medida visa impedir a entrada de caminhões no pátio da Receita Federal para despacho aduaneiro.

Lourival vai fazer uma assembléia para decidir fim do protesto

A adesão em Corumbá foi de 100% ao movimento devido a burocracia na liberação das carretas para travessia da Fronteira, pois segundo os transportadores estão tendo prejuízos de cerca de R$ 1 milhão mensal, com os entraves burocráticos, “a escolha é  aleatória na hora da liberação da carga. Antes demorava dois dias, agora demora ate sete.  Pagamos diária de hotel  aos motoristas e para o porto seco, isso faz com que os prejuízos inviabilizem a logística das empresas. A Receita se baseia na  Medida Provisória 765 onde o governo promete bônus de produtividade, mas de fato, quem paga a conta são os transportadores, porque o governo lavou as mãos”.

 Lourival explicou que atualmente é feito uma escolha de liberação que vai para três canais: Verde (liberação imediata) , amarelo (aguardar) e vermelho (cujo prazo de espera chega a uma semana). Este último é o motivo do protesto dos transportadores. Dentro do porto seco existe atualmente cerca de cem caminhões e no pátio das transportadoras mais de trezentos veículos parados. A classe vai fazer uma assembléia para decidir se continua com o protesto ou para ao meio dia.

Legalidade

A situação nesta região de Fronteira começou a ficar insuportável desde que os auditores fiscais decidiram aderir ao movimento nacional da greve, entretanto,  as atividades não estão paralisadas. Agentes fazem um ‘pente fino’ na documentação o que acaba por levar mais tempo que o necessário e emperrar o sistema. Quanto a legalidade do movimento, mesmo que visando à garantia dos direitos sociais dos trabalhadores, não pode interromper a prestação dos serviços públicos. Esse foi o entendimento do juiz Fábio Rubem David Müzel, da 4ª Vara Federal de Guarulhos (SP), ao determinar que a Receita dê continuidade a  despacho aduaneiro.

Versão cos agentes

 Fabio (ATF) diz que a situação da Fronteira é tensa. Foto: Sylma Lima

Apesar de saber que a manifestação vai dar mais trabalho aos auditores fiscais estes não são contra, pois veem no movimento uma forma de chamar a atenção do governo federal para cumprimento das leis trabalhistas previstas em medida provisória. Segundo Fabio Lemos Teixeira, analista tributário, e presidente do Sind Receita,  a mobilização local dos ATF  é uma operação padrão, como vem ocorrendo em todo país, trabalhando dentro de um patamar aceitável, “ o governo esta judiando dos servidores. Somos taxados de responsáveis pelas mazelas do país, e na verdade o governo não cumpre o que foi prometido à  nossa categoria, Nós que temos feito um trabalho de excelência no combate aos crimes trans -fronteiriços e com um efetivo reduzidíssimo. Por conta dessa situação, atrelando ao nosso movimento nacional gerou esta demora na liberação das carretas. O movimento é legítimo tanto dos transportadores quanto o nosso, mas precisa ser bem explicado para nós não sejamos mal interpretado” , disse ao Capital do Pantanal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
SES lança serviço de consulta a resultados de exames da Covid-19 no próprio site
GERAL
Deputada visita Hemonúcleo de Corumbá e constata caos
GERAL
Salão de Beleza em Ladário pega fogo
COVID-19
Corumbá destaca-se em número de altas a pacientes com Covid
GERAL
Cassems realiza Assembleia Geral Ordinária para prestação de contas no dia 22
GERAL
UFGD e Prefeitura de Ladário querem ampliar projetos na Base Baía Nega
ACESSIBILIDADE
Projeto de Lei obriga símbolo do TEA em placas de atendimento prioritário
GERAL
Prazo para preenchimento do PGDI começa nesta quinta-feira
DIREITOS HUMANOS
Agressões contra crianças aumentaram na pandemia, diz especialista
GERAL
Projeto de Lei prevê publicação de lista de espera de procedimentos médicos na internet

Mais Lidas

ATROPELAMENTO
Idoso é atropelado na Porto Carreiro e fica ferido
GERAL
Garagem Lanchonete inaugura filial em Ladário e traz variedades no cardápio
GERAL
Mulher fica ferida após cair da moto no Maria Leite
CRIME AMBIENTAL
Homem que transportaria plantas em extinção para a Bolívia é preso