Menu
sábado, 18 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Procura por EJA a distância cresceu 20% em 2020

Novos desafios impostos pela pandemia favorecem opção de adultos e jovens pelo Ensino Médio no formato EaD

15 dezembro 2020 - 09h20Assessoria

A conclusão do Ensino Médio é obrigatória, mesmo assim mais da metade dos brasileiros com 25 anos ou mais não concluiu este nível da educação básica. A Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios Contínua (Pnad) de 2019, realizada pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que 69,5 milhões de adultos (51,2%) não concluíram essa etapa educacional. A comodidade e flexibilidade proporcionada pelo Ensino a Distância (EaD) pode auxiliar na redução deste número. A procura pela Educação para Jovens e Adultos (EJA) do Centro Universitário Internacional Uninter no formato EaD, por exemplo, cresceu cerca de 20% em comparação com o ano passado.

“Observamos que esta procura aumentou justamente pelos novos desafios impostos pela pandemia ao mercado de trabalho. Além disso, como trabalhamos no formato EaD, temos a melhor opção para quem busca conciliar os estudos com jornadas duplas e o distanciamento social”, comenta Maria Tereza Xavier Cordeiro, professora e coordenadora do EJA Uninter.

A professora explica que um dos principais motivos para abandonarem os estudos é a necessidade de trabalhar, e que a falta de escolaridade impacta diretamente em indicadores de desemprego e índices de pobreza no País. “Em muitos casos, a necessidade de trabalhar é o motivo que ‘atrapalha’ a conclusão do ensino médio. De fato, lidar com a jornada dupla pode ser bem difícil. É um círculo vicioso, a pessoa para de estudar para conseguir um emprego e acaba não conseguindo construir uma carreira, chegar a cargos mais altos, porque teve que abandonar os estudos”.

EJA no formato EaD

Em 2019, mais de 3,3 milhões de jovens e adultos estavam matriculados no EJA Ensino Médio, segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Não há dados de quantos alunos estão fazendo o curso à distância, mas a modalidade vem se popularizando. “Para o ano que vem, estamos prevendo aumentar a oferta da EJA em polos de apoio presencial no Brasil”, comenta Maria Tereza.

O curso EJA da Uninter é reconhecido por vários Conselhos Estaduais de Educação brasileiros. Atualmente, a legislação permite que 80% da carga horária da modalidade de ensino seja ofertada a distância. Além dos encontros presenciais, substituídos por virtuais durante a pandemia, os estudantes dispõem do Ambiente Virtual de Aprendizado (AVA) para contatar os professores e tirar dúvidas on-line.

“O EaD possibilita que os estudantes avancem no conteúdo de acordo com seu próprio ritmo de aprendizado. A flexibilidade é outro fator crucial, já que a grande maioria dos alunos tem que se dividir com trabalho, família etc.”, conta a coordenadora.

 

 

Escreva a legenda aqui

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tentativa de Homicídio
Adolescente é socorrido com perfuração de bala na coxa
Auditoria
Brechas favorecem corrupção em mais de 90% das organizações públicas de MS, revela TCU
Espancamento
Rapaz vítima de agressão é socorrido inconsciente no bairro Camalote
Trânsito
Motociclista é socorrido com fratura na perna
Limpeza
Centro e Aeroporto recebem mutirão da dengue
23 vagas
Inscrição para o processo seletivo da Saúde de Corumbá termina às 17h de hoje
Imunização
Veja quem pode se vacinar nesta sexta (17) em Corumbá
PMA
Usina é multada em quase R$ 2 milhões por incêndio em áreas protegidas por lei
Cursos Grátis
Confira programação das carretas do Cidade Empreendedora em Corumbá
Repasses
MEC lança Painel de Investimentos em Educação Básica

Mais Lidas

"Branca Pura"
Operação apreende 47 quilos de cocaína; carga é avaliada em R$ 650 mil
Criminoso
Polícia investiga incêndio na ponte do Saran na Estrada Parque
Bodoquena
Assentamento é multado em R$ 60 mil por incêndio no Pantanal
Campo Grande
Tesouro Nacional reprova administração do prefeito Marquinhos Trad e secretário