Menu
quinta, 04 de março de 2021
Governo do Estado - Campanha de Março
Geral

Principal causa de cegueira no mundo, catarata é a maior demanda da Caravana da Saúde

21 junho 2019 - 08h12Portal do Governo de Mato Grosso do Sul

Uma das principais causas de cegueira no mundo, a catarata é responsável por quase 90% dos atendimentos cirúrgicos da Caravana da Saúde. No programa do Governo do Estado, criado para atender pacientes que aguardam por consultas, exames e cirurgias, a maior parte dos procedimentos é de cirurgia de catarata. Mais comum em pacientes com idade acima dos 50 anos, a doença evolui de forma lenta, mas existe a catarata congênita, ou seja, crianças que já nascem com a cegueira. Em ambos os casos é possível reverter o problema.

No entanto, a única solução para a doença é a cirurgia, como explicou o médico oftalmologista Diogo Garcia, que atende na Caravana da Saúde. “Não há tratamento para a catarata. O tratamento é cirúrgico. O paciente começa a ter perda de visão progressiva até ficar totalmente cego e só a cirurgia pode resolver”.

O médico explicou que a doença é a opacificação de uma lente intraocular natural, chamada de cristalino. Essa lente nos proporciona o foco da visão em diferentes distâncias. Com o avanço da idade, o primeiro sintoma é a vista cansada, quando as fibras do cristalino aumentam de espessura e também de diâmetro. Muitas pessoas começam a usar óculos nessa fase, para descansar os olhos. Quando a lente natural começa também a perder a elasticidade e torna-se opaca, a vista começa a embaçar, até que o indivíduo não consiga enxergar nada além de vultos e luzes, podendo ficar totalmente cego.

“Eu comecei a sentir que a minha vista estava embaçando. De repente, em questão de meses, não estava mais enxergando nada do olho direito. É muito ruim. Muito mesmo. Eu não tinha dinheiro para fazer uma cirurgia particular porque é muito caro pra mim. Estou esperando na fila do SUS há quatro meses pela cirurgia”,  contou a merendeira Maria Alves, 67 anos. “Agora posso respirar aliviada porque sei que sairei daqui, no dia da cirurgia, enxergando tudo”, 

Nessa edição da Caravana, que acontece até o dia 5 de julho no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian, em Campo Grande, estão sendo realizados apenas os procedimentos oftalmológicos. A expectativa é realizar 2 mil cirurgias (catarata, yag laser, pterígio e vitrectomia), 24 mil exames e 8 mil consultas.

Há 12 anos participando do mutirão, o oftalmo Diogo afirma que todos os procedimentos realizados na Caravana da Saúde são feitos com muita qualidade e o resultado é o mesmo como se o paciente estivesse em outro ambiente. “Conseguimos dar qualidade a todo processo de exames, consultas e cirurgias. Além disso, fazemos isso há muito tempo. É uma satisfação imensa ver pessoas saindo da cirurgia e se emocionando ao enxergar coisas simples”.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Riedel aponta relevância do "Ilumina Pantanal"
BOLETIM COVID
Com mais 24 óbitos, MS contabiliza 3.374 mortes por Coronavírus
ABANDONO
Ladário sofre com descaso e abandono das autoridades municipais
CORONAVÍRUS
Saúde confirma primeiro caso da nova variante do coronavírus em MS
LUTO
Jornalista Jucyllene Castilho morre aos 35 anos em Campo Grande
SAÚDE
Idosos de 77 anos já podem se vacinar contra a Covid-19
SAÚDE
Anvisa diz que vacinas usadas no Brasil são seguras
POLÍTICA
André e Rose lideram 1ª pesquisa para o Governo em eleição 2022
COVID-19
Vereador propõe penalidades para quem não cumprir a ordem de vacinação dos grupos prioritários
CONCURSO PÚBLICO
Técnicos de Enfermagem são convocados em processos seletivos da Funsau

Mais Lidas

GERAL
PMA realiza trabalhos de orientação sobre minhocas em casas de iscas no MS
ABANDONO
Ladário sofre com descaso e abandono das autoridades municipais
INFRAÇÃO ADMINISTRATIVA
PMA autua morador de Corumbá por transporte ilegal de pescado
GERAL
Reinaldo Azambuja autoriza concurso público com 250 vagas para Polícia Civil