Menu
sábado, 06 de março de 2021
Andorinha Fevereiro
Andorinha Fevereiro
Geral

Policiais Civis protestam contra projetos federais e pedem melhores condições de trabalho

22 setembro 2016 - 10h37Gesiane Medeiros
Policiais panfletaram e alertaram a população, entre outros assuntos, sobre a paralisação do sistema SIGO. Foto: CDP

Em pauta com o calendário da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol), que agendaram paralisação nacional no dia de ontem (21), ato que os Policiais Civis das regionais de Corumbá e Ladário não puderam participar por conta do feriado municipal de aniversário da cidade, realizaram hoje (22), no cruzamento das Ruas Frei Mariano com a Dom Aquino, no centro, protesto contra Propostas de Emenda Constitucionais (PEC) e Projetos de Lei (PLP) em tramitação no Senado Federal, além de revindicar melhores condições de trabalho, ajuste salarial e retorno do SIGO.

Policiais Civis panfletaram material explicativo em alerta aos malefícios que a classe terá de suportar caso os projetos sejam aprovados, assim como a extremidade do problema que enfrentam há mais de dois meses com o sistema integrado das policias, o SIGO, com dificuldades de operalisação e inoperante desde 11 de setembro.

O protesto é contra a PEC 241, PLP 54 e 204, que de acordo com Israel Leite Bogarim, diretor adjunto do Sinpol-MS (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul), se aprovados prejudicarão toda a classe de servidores públicos, os projetos em discussão no Senado Federal buscam privatizar o Sistema Único de Saúde (SUS), terceirizar a educação pública, diminuir os direitos trabalhistas e reduzir os direitos previdenciários.

No nível estadual, Bogarin explica que os Policiais Civis estão com defasagem salarial, precariedade de viaturas e de materiais para investigações criminais.  Além da paralisação do SIGO, que para a polícia é o maior prejuízo que a população encarra nos últimos dias. A dívida que era de R$ 1,7 milhão foi negociada para R$ 760 mil, mas ainda não foi paga e os policiais não estão conseguindo efetuar cadastro de boletim de ocorrência nem efetuar prisões já determinadas pelo judiciário, já que não é possível pesquisar mandados de prisão em aberto.

Entre outras revindicações, categoria busca melhores condições de trabalho e reajuste salarial. Foto; CDP

Em contato com Jaime Martinele, do Sinpol-MS (Campo Grande), além da preocupação pela aprovação dos projetos de lei e emendas constitucionais no senado, melhoria das condições de trabalho e reajuste salarial, “o número de prisões diminuiu muito, mas não porque a criminalidade sofreu uma queda e, sim porque não estamos conseguindo se quer registrar boletins de ocorrência”, evidência Jaime apontando que a eficiência da polícia está prejudicada e quem paga a conta é a população que fica sem segurança.

Segundo Jaime, o governo afirmou que o normatização do SIGO está em negociação e em breve o sistema será restabelecida, porém essa justificativa é a mesma há mais dois meses, quando o sistema começou a ter problemas operacionais. Na próxima semana, o Sinpol tem reunião marcada com representantes do governo para negociar as melhorias reivindicadas pela categoria. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol
OPORTUNIDADE
Receita Federal abre vagas de estágio em Corumbá
CULTURA
Eleitos os representantes não governamentais para o Conselho de Cultura do município
SEGURANÇA PÚBLICA
Em MS, Senad defende proposta de agilizar leilões de bens do crime organizado
POLICIAL
Bandidos armados usam carro oficial do Governo de MS para roubar casal na Afonso Pena
GERAL
Mãe é detida após espancar bebê de 9 meses com pedaço de madeira em cidade de MS
ESPORTE
Estadual de Futebol 2021 prossegue com mais quatro partidas neste fim de semana
SAÚDE
Redução de testa: Dermatologista de MS explica sobre melhores formas de tratamento
GERAL
Mulher tem bebê em casa e bombeiros prestam atendimentos
SAÚDE
Endometriose pode afetar 10% das mulheres brasileiras

Mais Lidas

POLICIAL
Homem é preso por roubo na forma tentada no bairro Maria Leite
POLICIAL
Em Corumbá três são presos com mandado de prisão em aberto
INCÊNDIO
Consultório Odontológico pega fogo no Maria Leite
POLICIAL
Polícia Militar de Corumbá prende homem por violência doméstica no Dom Bosco