Menu
sábado, 25 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Polaco volta a MS para depor na PF sobre crimes fiscais

29 julho 2021 - 08h51MídiaMax

Prestou depoimento por cerca de 5 horas na Superintendência da Polícia Federal, em Campo Grande, nesta quarta-feira (28) José Ricardo Guitti Guimaro, o “Polaco”. Ele foi intimado para depor em inquérito que trata de crimes fiscais e volta a Mato Grosso do Sul para ser ouvido. 

O depoimento iniciou por volta das 15 horas e terminou pouco antes das 20 horas desta quarta-feira. Polaco e mais uma pessoa prestaram depoimento. Os crimes investigados são sonegação fiscal, adulteração de informações para Receita Federal e fraude contra o Fisco. 

Polaco deixou Mato Grosso do Sul após a descoberta de um plano que envolvia roubo de propina e, intimado, foi até a sede da Polícia Federal acompanhado do advogado, José Roberto da Rosa, para ser ouvido. Polaco é uma das mais de 100 testemunhas e considerado peça-chave no âmbito da Operação Vostok

A testemunha presta depoimento em um inquérito de crime fiscal, envolvendo as movimentações financeiras da JBS. Presos, os envolvidos no roubo da propina delataram Rodrigo Souza e Silva, filho do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), como mandante de crime de roubo de propina. Posteriormente, conforme apurou o Jornal Midiamax, as investigações apontaram suspeita de que o plano poderia envolver a execução de Polaco. 

Corretor de gado, Polaco é apontado como envolvido no esquema que usava notas frias de compra e venda de gado para tentar esquentar o dinheiro oriundo de propina para conceder incentivos fiscais a empresas no Estado. 

Vostok 

A motivação do plano de execução, segundo investigações no âmbito da Operação Vostok, da Polícia Federal, seria porque Polaco estaria pedindo mais dinheiro para manter o silêncio sobre o que sabia do esquema de pagamento de propina a Reinaldo Azambuja pela JBS. O arranjo não deu certo, porque o corretor de gado desconfiou dos planos e mandou outra pessoa receber o dinheiro em seu lugar. 

Reinaldo, Rodrigo, Polaco e mais 21 pessoas estão entre os denunciados pelo MPF (Ministério Público Federal) ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A denúncia, que cita o orquestramento do roubo, aponta que o governador tucano recebeu R$ 67,7 milhões em vantagens ilícitas. 

Em troca, concedeu benefícios fiscais que desfalcaram os cofres estaduais em R$ 209,7 milhões. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Palestras
3ª edição da Semana da Saúde do Sesc tem foco nos reflexos da pandemia
SCT 2021
IFMS abre inscrições para Semana de Ciência e Tecnologia
Javaporco
PMA flagra criação ilegal de javalis em propriedade de Dourados
Alerta
De agendamentos a esquemas de 'pirâmides', entenda os maiores golpes do Pix em MS
Retomada
Fundtur recebe inscrições no Programa "Incentiva+MS Turismo" até 5 de outubro
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Balanço
Mais de 50% das drogas apreendidas na Operação Fronteiras e Divisas I são de MS
Economia
Comércio deve facilitar pagamento e ser cauteloso para o Dia das Crianças

Mais Lidas

Bairro Vila Mamona
Funcionários de construção amarram autor de furto e acionam PM
Capital
Presos usam celulares até em banho de sol na Máxima
Flagrante
Dupla é presa por tráfico de drogas na área central de Corumbá
Estava Foragida
Boliviana investigada por desastre da Chapecoense é mantida em Corumbá até extradição