Menu
quinta, 21 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Pintado a Urucum e da Farinha de Bocaiúva podem se tornar Bens Culturais do Brasil

26 agosto 2021 - 09h11Assessoria de Comunicação Câmara de Corumbá

O vereador Manoel Rodrigues apresentou dois requerimentos em regime de urgência especial na última sessão ordinária da Câmara, sugerindo às autoridades municipais, a inclusão do Pintado a Urucum e da Farinha de Bocaiúva, no Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial, concedido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). 

Os dois pedidos foram direcionados ao diretor-presidente da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico de Corumbá, Joilson Silva da Cruz. 

Manoel lembrou que o “Filé de Pintado a Urucum” é um prato típico corumbaense, criado por João Claudelino Fonseca da Silva, nascido em Albuquerque, distrito de Corumbá, em 23 de outubro de 1941, e que aos 15 anos de idade, iniciou seu trabalho como auxiliar de cozinha na Sociedade Brasileira de Mineração Ltda., onde ficou durante os anos de 1956 e 1963, retornando como cozinheiro mestre em 1971. 

Em 1975 abriu seu primeiro restaurante em Corumbá. Trabalhou ainda como cozinheiro mestre na empresa Urucum Mineração durante cinco anos. E foi justamente o Morro do Urucum que deu origem ao “Filé de Pintado a Urucum”, famoso em toda a região do Pantanal, e também em outras cantos do Brasil. 

Manoel, em sua justificativa, destacou que “a bagagem gustativa, acumulada ao longo da vida, nutre o comportamento alimentar, e nos liga diretamente à nossa identidade. A comida é expressão da cultura, portanto se valida o pedido de eternizá-la historicamente concedendo o Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial. 

Farinha de Bocaiúva 

O vereador está  buscando também a inclusão da “Farinha de Bocaiúva” no Registro de Bens Culturais de Natureza Material e Imaterial, concedido pelo IPHAN. Trata-se de um produto típico da região, utilizado no preparo de inúmeros pratos. 

A farinha da bocaiuva possui alto conteúdo proteico, significativo valor energético e grande concentração de carboidratos, especialmente se comparados com outras frutas do cerrado. 

Extrativistas e artesãos de Corumbá, aumentam e muitos até mesmo vivem exclusivamente da renda da produção artesanal e comercialização de produtos alimentícios a partir do fruto da bocaiuva, como a farinha, sorvetes, pães e licores. 

“A polpa de bocaiuva é beneficiada e transformada em farinha na Casa do Artesão de Corumbá, onde é vendida para turistas, restaurantes da região e de outras regiões do Brasil, espalhando cultura culinária e a nossa diversidade gastronômica, o que justifica o nosso pedido”, reforçou. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Região Central
PM prender autor de furto e recupera objetos
Outubro Rosa
Bia Cavassa faz doação em apoio a campanha Lenço Solidário
Colônia do Bracinho
Pantaneiro denuncia construção de barragem no Rio Taquari
11.817 mil testes analisados
Estudo da Janssen na região de fronteira mostra eficácia de 50% da vacina e redução de 90% em óbitos
Oportunidade
Inscrições abertas para concurso público de procurador do Estado, com salário de R$ 25 mil
Agenda Política
Presidente Regional do Democracia Cristã visita cidades do interior de MS
Retomada da Economia
Setor de bares e restaurantes aumenta as contratações e retoma movimento
246 quilos de cocaína
Dracco assume investigação da queda do helicóptero do tráfico em Ponta Porã
Dois brasileiros foram presos
Denunciado por participação no roubo de aeronaves em Aquidauana é preso na Bolívia
Imunização
Veja quem pode se vacinar contra Covid em Corumbá nesta quinta e sexta

Mais Lidas

Qualificação
Ministério da Educação anuncia formação para professores da educação infantil
Previsão Meteorológica
Tempo fica firme, mas nova frente fria promete mais chuva para o final de semana
Acidente de Trânsito
Mulher sofre fratura na perna em queda acidental de moto
Destaque
Vereador pede fim do toque de recolher e do uso de máscara em ambientes abertos