Menu
quinta, 22 de abril de 2021
Andorinha Abril
Andorinha Abril
Geral

Petrobras prioriza produção local e coloca MS na pior crise do gás natural

15 fevereiro 2017 - 09h53Campo Grande News

Após 17 anos de operação do Gasbol (Gasoduto Brasil Bolívia), Mato Grosso do Sul enfrenta sua primeira grande crise com o gás natural. A retração no consumo, aliado a queda no preço internacional do combustível e a mudança de estratégia da Petrobras, acenderam um grande alerta.

Desde o início da operação do gasoduto e a importação de gás boliviano, Mato Grosso do Sul gozava de situação financeira favorável devido a arrecadação com ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o gás natural. Isso porque todo o imposto gerado da importação que sustenta o país, fica com o Estado e representava grande parte das finanças.

O governo só não esperava que o cenário fosse mudar completamente em pouco mais de um ano, fazendo a arrecadação cair pela metade, de R$ 79,3 milhões para R$ 38,6 milhões entre 2016 e 2017, segundo dados da Sefaz (Secretaria estadual de Fazenda).

Império em ruínas - Nos último anos, a Petrobras expandiu sua produção nacional de gás natural e iniciou o consumo este ano, substituindo o gás natural importado da Bolívia. Na prática, o volume que passa pelo Gasbol caiu 48,8% entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017.

Dados do Mdic (Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços) compilados pela Datasight mostram que em janeiro de 2016 foram importados 676 mil toneladas de gás natural, enquanto que no mês passado foram 422 mil toneladas, o que representa queda de 60% na importação.

Em nota, a Petrobras confirma a mudança de prioridades e afirma que a queda na importação "reflete a redução conjuntural da demanda brasileira por gás natural, o aumento da oferta de gás nacional", que segundo a estatal está de acordo com as obrigações e direitos da Petrobras em seus contratos.

Mais problemas - Mas essa não é a única situação que colocou o Estado em crise. Também houve no último ano, retração considerável do consumo interno. Diretor do CBIE (Centro Brasileiro de Infra Estrutura), Adriano Pires explica que o principal consumidor do gás boliviano é São Paulo. "Todos os setores reduziram o consumo. Industrial, residencial e comércio", diz.

Adriano que também é professor da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) afirma que "tem as duas coisas aliadas, que jogam contra a arrecadação do Mato Grosso do Sul". Para ele, o caminho é praticamente sem volta, visto que pouco o governo pode fazer para reverter a situação.

"O governador deveria abrir uma conversa clara com o governo de São Paulo, que é grande consumidor e essa mudança precisa caminhar para um acordo de como fica daqui para frente", afirma o diretor e especialista no assunto.

Dificuldades - A mudança do setor de gás natural e a crise das finanças do governo começaram em 2015, com o fim da crise hídrica no país. Isso porque durante 2014 e 2015 a falta de água em reservatórios de hidrelétricas obrigou o início das atividades de térmicas movidas a gás natural.

Em um ano o consumo do gás no Brasil dobrou, resultando em mais dinheiro em caixa referente ao ICMS.

O problema é que o alto consumo das térmicas camuflou um problema que começava a surgir: a queda no preço do gás, que é atrelado ao preço do barril de petróleo. Em 2014 o barril valia 100 dólares, mas o valor despencou chegando a 49 dólares. Consequentemente, o preço internacional do gás boliviano caiu.

Se o preço de importação cai, a receita também. Segundo dados do Aliceweb (Análise das Informações de Comércio Exterior), entre janeiro de 2015 e janeiro de 2017 houve queda de 75% na receita de importações de Corumbá. O montante caiu de US$ 257.145.965 para US$ 62.576.684.

O acumulado de situações resultaram em um cenário delicado para Mato Grosso do Sul, que viu ruir a principal receita de arrecadação. Para tentar reverter o quadro, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) uniu a bancada estadual e quer sensibilizar União e Petrobras sobre a situação em que se encontra.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esporte
Coudet salva campeonato do Celta de Vigo e ganha destaque como treinador
JUSTIÇA
181 é ferramenta para denuncia anônima em Mato Grosso do Sul
EDUCAÇÃO
Reforma de escolas municipais é solicitada por vereador durante sessão da Câmara
ESPORTE
Vereador sugere transformar o Marina Gattass em espaço para esportes radicais
LÍNGUA DE SINAIS
Projeto de Lei obriga instituições a disponibilizar intérpretes de Libras na cidade
ECONOMIA
Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em agosto
COVID-19
Polícia investiga empresa por fraude em oferta de vacina
CIDADE
Prefeito decreta luto oficial de três dias pelo falecimento de Dom Martinez
POLICIAL
PM de Corumbá prende foragido da justiça e apreende arma branca
POLICIAL
Homem é preso por porte de drogas no bairro Popular Nova

Mais Lidas

POLÍTICA
Câmara aprova projeto de lei que torna escolas serviços essenciais
MUDANÇAS NO CTB
Nova Lei abranda infração para motociclistas sem viseira ou óculos de proteção
GERAL
Vereador solicita recuperação da 21 de Setembro, após intervenções da Sanesul
SEGURANÇA
Tiradentes: no dia do patrono das polícias, Governo destaca investimentos na segurança