Menu
sexta, 15 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Pesquisadora: Vacina não é alvará de soltura

20 dezembro 2020 - 10h04G1

As campanhas de vacinação contra o coronavírus deverão começar no Brasil em meados de janeiro e será fundamental engajar a população para conseguir o máximo de adesão. Ao mesmo tempo, é importante compreender, frisam especialistas ouvidos pela reportagem, que as pessoas imunizadas não poderão voltar à vida normal logo de cara.

Faça o testeQual é o seu lugar na fila da vacina?

— A vacina não é um alvará de soltura nem um atestado de libertação completo — afirma a pneumologista Margareth Dalcolmo, pesquisadora da Fiocruz — Quando as pessoas perguntam se precisam continuar usando máscara e mantendo distanciamento, a resposta é “sim”.

— Comunicar isso vai exigir sensibilidade, mais do que expertise — complementa a colunista do GLOBO — As pessoas precisarão entender que o fato de elas serem vacinadas não as libera de precauções que ainda deverão durar pelos próximos dois anos.

PUBLICIDADE

Leia mais:  Reino Unido endurece lockdown diante de mutação do coronavírus que se propaga mais rápido

É que os especialistas sabem que pregar medidas fundamentais de cautela em meio à celebração natural do êxito da própria ciência pode ter efeito oposto ao que eles próprios desejam: diminuir o interesse do público-alvo em buscar o imunizante —risco potencializado num contexto em que o presidente da República questiona publicamente os benefícios da vacina.

Imunidade começa aos 60%

A vacinação é atividade crucial para debelar a pandemia. E o programa de imunização, por aspectos logísticos, vai se estender por muitos meses (ver gráfico ao lado). Por isso, será preciso continuar a monitorar os números de mortes e novos casos de coronavírus no país até que se verifique uma desaceleração de fato consistente da pandemia.

ImunizaçãoSuíça é primeiro país a autorizar uso padrão da vacina da Pfizer contra a Covid-19

Segundo Dalcolmo, esse estado de “imunidade de rebanho” — no qual o vírus encontra pela frente mais pessoas protegidas do que suscetíveis — deve começar a ser perceptível em algum momento após mais de 60% da população já tiver recebido a vacina. Ou seja,é essencial a vacinação em massa.

EntendaErros e acertos da primeira semana de vacinação contra a Covid-19 em Nova York

A julgar pela quantidade de doses de vacina que o governo federal espera assegurar, ainda não é possível determinar com exatidão quando esse limiar será atingido. O mais provável é que seja no segundo semestre de 2021 — mas também pode ser em 2022.

Para Dalcolmo, o principal ponto de incerteza é o da aquisição de vacinas. Para a pesquisadora, é, sim, preocupante que o Brasil ainda não tenha assegurado doses para imunizar metade da população. Por outro lado, a partir do momento em que a vacina estiver disponível, se for usada a infraestrutura brasileira, com a expertise e a tradição do Programa Nacional de Imunizações (PNI), o processo não deverá demorar muito.

A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) é uma das entidades médicas que destacam a importância do trabalho de conscientização a ser feito com o público neste momento.

— A campanha de comunicação está atrasada — afirma a pediatra Isabella Ballalai, vice presidente da SBIm. — O que se fez até agora foram promessas confusas e promoção de uma expectativa de datas para o início da campanha que não se confirmaram.

Como os parâmetros para medir as vacinas em teste contra a Covid-19 são mais relacionados à severidade da doença do que à sua transmissibilidade, também ainda não está claro o quanto os imunizantes poderão proteger contra a infecção em si.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Dia do Professor
Façanha destaca papel do professor no período pós-pandemia
Corumbá
Foragido é preso em ronda no bairro Generoso
Corumbá
Dupla é presa com 20 quilos de maconha
Evento
IFMS realizará Festival de Arte e Cultura 2021 de forma virtual
Reforço
Saúde de Corumbá e Ladário recebem mais de 500 equipamentos doados pela Vale
Porto Murtinho
Mulher é multada em mais de R$ 20 mil por exploração ilegal de madeira
Agenda
Povo das Águas atende ribeirinhos da região do Taquari a partir de 24 de outubro
Atualização Vacinal
13 unidades de saúde participam do Dia D de Multivacinação neste sábado em Corumbá
Corumbá
Vereador busca recursos para atender necessidades do Conselho Municipal Antidrogas
Monitoramento
Defesa Civil alerta para chance de novos temporais

Mais Lidas

Agenda Cultural
Marcynho Sensação se apresenta no estádio Arthur Marinho nesta sexta, dia 15
Destaque
Presídio feminino de Corumbá está na lista dos 30 melhor avaliados do país
Associação Criminosa
Segunda fase da operação Dark Card prende ex-funcionário público e empresário
Tempo
Chuvas retornam com chance de grandes acumulados para região sul do Estado