Menu
domingo, 26 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Pescadores Profissionais pedem por Secretaria Municipal dedicada a pesca

10 fevereiro 2021 - 10h59Mariana Conte

Baseado na portaria publicada pelo governo de Jair Bolsonaro em janeiro de 2019 que transfere todas as funções das colônias de pescadores e sindicatos para as Prefeituras do Brasil, pescadores profissionais de Corumbá querem uma pasta no executivo municipal dedicada a pesca.

A Medida Provisória 871 estabeleceu que a partir de 2020, o cadastro dos sindicalizados tem que ser feito exclusivamente nos Executivos, por meio das Secretarias municipais de Pesca e Agricultura e não mais nas colônias ou sindicatos, porém no município de Corumbá ainda não tem uma Secretaria dedicada exclusivamente a Pesca.

Para a pescadora profissional de Corumbá Sarlidey Pena Machado uma secretaria municipal dedicada a pesca seria fundamental e traria melhorias ao setor. “Se criasse uma secretaria e colocasse alguém que entenda do ramo da pesca para gerir a pasta iria colocar em ordem muita coisa, principalmente peneirar a emissão de carteiras para quem realmente é pescador”, afirmou.

Sarlidey comentou que o que acontece atualmente é que tem muitas pessoas que tem a carteirinha de pesca apenas para receber o auxílio defeso mas que na prática não são pescador profissional, não tira o sustento da pesca. De acordo com ela, a Colônia de Pescadores se tornou uma extensão muito aberta. “Tem muita gente com carteira de pesca recebendo o auxílio defeso sem ser pescador profissional, além daqueles que nunca pescaram e se aposentaram com o dinheiro da pesca e a Colônia não fiscaliza. Além disso pagamos uma mensalidade a Colônia e não vemos retorno, por exemplo eles cobram advogado nessa mensalidade que nunca aparece”, contou.

A pescadora acredita que se a Prefeitura administrasse teria mais organização e talvez não iriam precisar pagar essas mensalidades, pois atualmente é o sistema que já processa o seguro. “Se essas funções passarem para a prefeitura, isso vai desonerar o bolso do pescador, além de selecionar e peneirar muita gente", ressaltou.

Segundo a pescadora a Colônia cobra taxas dos pescadores que não são para serem cobradas. “O pescador trabalha a vida inteira para dar dinheiro a Colônia e não ter benefício nenhum, pois chega na hora do seguro te cobram mais ainda e tem gente que não paga a Colônia durante o ano, paga apenas no final do ano. Eu já presenciei Colônia tirando de dentro da casa do pescador o pescado porque este não tinha como pagar a colônia e isso fica não dá em nada porque não tem fiscalização”, relatou.

A Portaria incube as Prefeituras da responsabilidade em emitir declarações aos conveniados para que estes deem entrada na aposentadoria e ao Seguro-Defeso junto ao INSS.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Palestras
3ª edição da Semana da Saúde do Sesc tem foco nos reflexos da pandemia
SCT 2021
IFMS abre inscrições para Semana de Ciência e Tecnologia
Javaporco
PMA flagra criação ilegal de javalis em propriedade de Dourados
Alerta
De agendamentos a esquemas de 'pirâmides', entenda os maiores golpes do Pix em MS
Retomada
Fundtur recebe inscrições no Programa "Incentiva+MS Turismo" até 5 de outubro
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Balanço
Mais de 50% das drogas apreendidas na Operação Fronteiras e Divisas I são de MS
Economia
Comércio deve facilitar pagamento e ser cauteloso para o Dia das Crianças

Mais Lidas

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Desenvolvimento
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida