Menu
sexta, 16 de abril de 2021
Ambiental MS Pantanal - Aegea
Andorinha Fevereiro
Geral

Pantaneiros criticam reunião ‘fechada’ do MP/MS sobre o Taquari em Coxim

30 agosto 2018 - 17h51Assessoria de imprensa

Entidades ligadas aos produtores e colonos do Pantanal de Corumbá questionam reunião organizada pelo Ministério Público do Estado em Coxim, nesta quinta-feira, tendo como tema o Rio Taquari, que sofre há décadas um dos maiores desastres ambientais do País. Alegam que não foram convidadas, sendo Corumbá o município mais afetado pelo assoreamento do rio, e conseguiram participar do evento, porém com restrição de número de representantes.

“É no mínimo estranho se discutir o Taquari sem a presença de quem está sendo vítima não só das agressões ambientais ao rio, mas também das interpretações errôneas de setores governamentais e da própria Justiça”, afirmou o presidente do Sindicato Rural de Corumbá, Luciano Leite. Ele lembra que a inundação permanente causada pelo assoreamento do Taquari destruiu 1,5 milhão de hectares de áreas produtivas, fauna e flora somente em Corumbá.

Movimento

A convocação da reunião sem a presença de representantes da região afetada uniu as entidades corumbaenses, que organizaram uma caravana para acompanhar o evento fechado. Um ônibus com produtores, colonos e ribeirinhos de Corumbá está a caminho de Coxim para reforçar o protesto, mesmo sabendo que não poderão assistir a reunião, que anteriormente se tratava de uma audiência pública e, segundo o sindicato rural, passou a ser “técnica”.

“Com muita dificuldade conseguimos inscrever um representante de cada entidade na reunião e contamos com o apoio da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de MS) e Prefeitura de Corumbá”, informou Luciano Leite. “A princípio, a entrada foi vedada às nossas entidades, sob a alegação de que o encontro seria com os pescadores”, observou. “A situação do Taquari é crítica e não queremos mais discussões, mas ações efetivas para salvar o rio”, criticou.

Além do Sindicato Rural de Corumbá e da Famasul, integram a caravana a Unipan (União dos Pantaneiros da Nhecolândia), a Sodepan (Sociedade de Defesa do Pantanal) e a SOS Taquari, entidade que congrega pequenos produtores das colônias, os quais dependem de assistência governamental para sobreviver na região. Empobrecidos depois de perderem suas terras com a inundação do Taquari, hoje sofrem com a seca e sem produção devido ao solo fraco.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
SES lança serviço de consulta a resultados de exames da Covid-19 no próprio site
GERAL
Deputada visita Hemonúcleo de Corumbá e constata caos
GERAL
Salão de Beleza em Ladário pega fogo
COVID-19
Corumbá destaca-se em número de altas a pacientes com Covid
GERAL
Cassems realiza Assembleia Geral Ordinária para prestação de contas no dia 22
GERAL
UFGD e Prefeitura de Ladário querem ampliar projetos na Base Baía Nega
ACESSIBILIDADE
Projeto de Lei obriga símbolo do TEA em placas de atendimento prioritário
GERAL
Prazo para preenchimento do PGDI começa nesta quinta-feira
DIREITOS HUMANOS
Agressões contra crianças aumentaram na pandemia, diz especialista
GERAL
Projeto de Lei prevê publicação de lista de espera de procedimentos médicos na internet

Mais Lidas

ATROPELAMENTO
Idoso é atropelado na Porto Carreiro e fica ferido
GERAL
Garagem Lanchonete inaugura filial em Ladário e traz variedades no cardápio
GERAL
Mulher fica ferida após cair da moto no Maria Leite
CRIME AMBIENTAL
Homem que transportaria plantas em extinção para a Bolívia é preso