Menu
terça, 25 de janeiro de 2022
Andorinha Janeiro/2022
Andorinha Mobile - Janeiro 2022
Geral

Nota técnica alerta população para doença mão-pé-boca

30 novembro 2021 - 09h10Ascom PMC

O Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde na Fronteira (CIEVS/fronteira) tem recebido notificações da ocorrência de casos de Síndrome Mão-pé-boca (SMPB). 

A doença (ou síndrome) mão-pé-boca é uma infecção viral contagiosa, causada por um Enterovirus (Coxsackie A16) que acomete principalmente crianças com menos de 5 anos de idade (mais frequente dos 6 meses a 3 anos), embora possa afetar adultos. Caracteriza-se por lesões na cavidade oral e erupções nas mãos e pés. 

A transmissão se dá pela via oral ou fecal, através do contato direto com secreções de via respiratória (saliva), feridas que se formam nas mãos e pés e pelo contato com as fezes de pessoas infectadas ou então através de alimentos e de objetos contaminados. Apesar da pessoa infectada poder permanecer eliminando o vírus nas fezes, após já terem desaparecido as lesões da boca, mãos e pés, o maior risco de contágio ocorre durante a primeira semana de doença. 

O período de incubação é de 4 a 6 dias. Geralmente a doença inicia-se com febre. Embora pouco frequente, podem ocorrer casos sem febre. Um a dois dias após o contagio, surgem aftas dolorosas e gânglios aumentados no pescoço. A seguir, surge nos pés e nas mãos uma infecção moderada sob a forma de pequenas bolhas não pruriginosas e não dolorosas, de cor acinzentada com base avermelhada. Essas lesões podem aparecer também na área da fralda (coxas e nádegas) e eventualmente podem coçar. Na maioria dos casos, a doença evolui de forma benigna, com cura espontânea após 7 a 10 dias, sendo pouco frequentes as complicações. É comum que a criança também sinta dores de cabeça e acentuada inapetência. 

O diagnóstico é clínico, baseado nos sintomas, localização e aparência das lesões. Em alguns casos, os exames de fezes e a sorologia podem ajudar a identificar o tipo de vírus causador da infecção. É importante estabelecer o diagnóstico diferencial com outras doenças que também provocam estomatites aftosas ou vesículas na pele. Não há tratamento específico. Em geral, como ocorre com outras infecções por vírus, ela regride espontaneamente depois de alguns dias. Por isso, na maior parte dos casos, o tratamento é sintomático com antitérmicos e anti-inflamatórios. Os medicamentos antivirais ficam reservados para os casos mais graves. O ideal é que o paciente permaneça em repouso, tome bastante líquido e alimente-se bem, apesar da dor de garganta. 

Ainda não existe vacina contra a doença mão-pé-boca. 

Medidas de prevenção e interrupção da cadeia de transmissão são importantes: mão pe bocaA doença  Caracteriza-se por lesões na cavidade oral e erupções nas mãos e pés. 

  • As crianças e adultos que estiverem com sinais e/ou sintomas da doença não deverão frequentar escolas ou creches até recomendação médica para o retorno; 
  • Lavar as mãos frequentemente com sabão e água, especialmente depois de trocar fraldas e usar o banheiro; 
  • Limpar e desinfetar superfícies tocadas com frequência e itens sujos, incluindo brinquedos; 
  • Evitar contato próximo, como beijar, abraçar ou compartilhar utensílios; 
  • Monitorar locais de maior risco (escolas, creches, clubes entre outros); 
  • Todo o caso da doença deve ser encaminhado ao serviço de saúde para diagnóstico e orientações, quanto ao tratamento e controle; Orientar profissionais de saúde quanto: às medidas de prevenção e controle da cadeia de transmissão, tratamento sintomático e notificação. 
  •  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Fronteira com Paraguai
Agência antidrogas localiza laboratório e destrói 6 toneladas de maconha
Proposta
Redução de preço é condição para manter ICMS sobre combustíveis congelado
Alerta
Estação Porto Esperança mantem baixa por uma semana
Benefício
Portadores de síndrome de Down passam a ter isenção de ICMS na compra de veículos 0km
Tráfico de Drogas
Homem é preso com 620 kg de maconha após perseguição em rodovia
Receptação
Homem é flagrado com moto roubada em blitz no centro
Denúncia
Homem rompe tornozeleira e é reconduzido para presídio
3ª Fase
Preso terceiro envolvido no sequestro e roubo em escola municipal de Corumbá
Variedade
Qual é o melhor banco digital para PJs?
4 quilos
Cocaína ocultada em papel é apreendida em van que seguia para Campo Grande

Mais Lidas

Fronteira
Família simulou venda de 20 mil toneladas de grãos em MS para 'maquiar' tráfico de cocaína
Crime de 2016
Homem condenado por estupro de vulnerável é preso em Corumbá
Desdobramentos
Polícia recupera TV furtada e prende mulher por receptação
Começa hoje
Programa Vale Universidade abre inscrições com 1 mil vagas disponíveis