Menu
quinta, 21 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

MPT contesta proposta do Ministério da Economia que prevê a alteração da aprendizagem

04 fevereiro 2021 - 10h32ASCOM Procuradoria Geral do Trabalho

 O Ministério Público do Trabalho (MPT) apresentou na última sexta-feira (29) manifestação em consulta pública na qual contesta uma série de dispositivos presentes em proposta do Ministério da Economia que pretende alterar a regulamentação da aprendizagem profissional. O documento também questiona a finalidade de consulta pública tendo em vista que foi aberta dias antes da virada do ano e teve prazo de apenas 30 dias.

Entre as questões que preocupam o MPT está a mitigação dos mecanismos de controle e averiguação das entidades formadoras, programas e cursos de aprendizagem profissional, já que a proposta inverte o processo de verificação hoje existente, permitindo que haja o cadastro de entidades, programas e cursos sem a possibilidade de verificação prévia pela fiscalização do trabalho.

O MPT também questiona as alterações inseridas na minuta de portaria que promovem uma redução quantitativa e qualitativa da carga horária teórica dos programas e cursos de aprendizagem profissional, reduzindo o seu caráter educativo e formativo e retirando diretrizes gerais e curriculares importantes.

De acordo com a instituição, a portaria prevê como um dos tipos de programa de aprendizagem profissional aquele destinado a qualificar o aprendiz em determinado agrupamento de ocupações variadas. “A nova previsão fragiliza, empobrece e precariza a aprendizagem profissional, permitindo “o agrupamento de ocupações variadas” que não guardam correlação nenhuma entre si, ao contrário do que foi concebido na aprendizagem por arco ocupacional (alínea b do mesmo inciso XVIII do art. 2º), e não permitem uma formação consistente em nenhuma das ocupações”.

O MPT afirma, ainda, que isso permite, a título de exemplo, que um aprendiz exerça as funções de recepcionista, asseio e conservação e auxiliar de produção, as quais não guardam base técnica próxima e características complementares. “Tem o nítido escopo de descaracterizar a aprendizagem como programa de qualificação profissional de cunho educativo e formativo, autorizando o desvirtuamento da parte prática da aprendizagem para torná-la mera exploração de força de trabalho por intermédio de um rodízio abusivo de atividades”, ressalta o MPT na manifestação.

Outro ponto destacado no documento do MPT é a retirada ou modificação de dispositivos que tratam da aprendizagem para públicos prioritários ou socialmente vulneráveis, como, por exemplo, a exclusão da obrigatoriedade da diretriz geral que prevê a garantia de adequação dos programas para a aprendizagem de pessoas com deficiência.

Assinada pelas Coordenadorias Nacionais de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Coordinfância) e da Promoção da Igualdade e Eliminação da Discriminação no Trabalho (Coordigualdade), do MPT, a manifestação defende ainda um debate mais ampliado e um maior diálogo sobre o assunto. Segundo a instituição, “causa espanto” a abertura de uma consulta pública em 29 de dezembro, às vésperas da virada do ano. “A conduta do Ministério da Economia põe em xeque a finalidade da consulta pública, instrumento de transparência e publicidade cujo escopo é possibilitar e estimular a participação da sociedade nas discussões que antecedem eventual tomada de decisão por parte da administração pública. Da data de publicação e deflagração da consulta, assim como do prazo exíguo concedido para manifestações, deflui que o objetivo não foi incentivar a participação social em questão que trata de direitos fundamentais de adolescentes e jovens, muito menos o de ampliar o debate”, completa o MPT.

Nota pública

No dia 21 de janeiro, o MPT emitiu nota pública que alerta para os riscos de fragilização e de precarização do instituto da aprendizagem profissional no país, caso seja aprovada a minuta da proposta de Portaria do Ministério da Economia que visa alterar regras para a contratação de aprendizes entre em vigor.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Retomada da Economia
Setor de bares e restaurantes aumenta as contratações e retoma movimento
246 quilos de cocaína
Dracco assume investigação da queda do helicóptero do tráfico em Ponta Porã
Dois brasileiros foram presos
Denunciado por participação no roubo de aeronaves em Aquidauana é preso na Bolívia
Imunização
Veja quem pode se vacinar contra Covid em Corumbá nesta quinta e sexta
Corumbá
Casal é levado para delegacia após bebedeira e briga
Recurso
Vereador questiona uso do duodécimo do legislativo repassado para Santa Casa em 2020
Controle de dados
Sistema de cadastro aos imigrantes vai subsidiar programas e ações do governo
Tempo
Quinta ensolarada e quente em Mato Grosso do Sul
Semana do Lixo
Drive thru vai coletar vidro e medicamentos vencidos em Corumbá
Miranda
Proprietário rural é multado em R$ 9 mil por queima controlada proibida

Mais Lidas

Qualificação
Ministério da Educação anuncia formação para professores da educação infantil
Previsão Meteorológica
Tempo fica firme, mas nova frente fria promete mais chuva para o final de semana
Acidente de Trânsito
Mulher sofre fratura na perna em queda acidental de moto
Destaque
Vereador pede fim do toque de recolher e do uso de máscara em ambientes abertos