Menu
sábado, 17 de abril de 2021
Andorinha Fevereiro
Andorinha Fevereiro
Geral

MP conclui inquérito e pede cassação do registro de candidatura e diplomação de Ruiter Cunha

25 outubro 2016 - 12h44Sylma Lima
Ruiter está em Brasília, mas não atendeu ligação do Capital do Pantanal. Foto: CDP

Citado em mais de dez processos no Tribunal de Justiça, alguns por crime de improbidade administrativa o ex prefeito, e agora recém eleito Ruiter Cunha de Oliveira, PSDB, vai ter que enfrentar mais um inquérito na extensa ficha, porém este, tem o peso de cassar seu mandato, caso as provas sejam consideradas contundentes de pelo juiz eleitoral da comarca de Corumbá, hoje elevada a Entrância Especial.

O portal do Ministério Público divulgou nesta segunda-feira, 24 de outubro, o andamento do processo aberto pelo Polícia Federal, no dia 2 de outubro, quando flagrou crimes eleitorais praticados pela coligação encabeçada por Ruiter Cunha e Marcelo Iunes. Entre os crimes, ficou destacado gravações com encontros e reuniões no pais vizinho, transporte ilegal de eleitores (flagrante) e abuso do poder econômico (compra de votos).  Na ação de investigação de crime eleitoral o promotor citou também: Uso indevido de meio de comunicação social e captação ilícita de sufrágio.

13 pessoas foram presas e dois autuados em flagrante na delegacia de Polícia Federal que concluiu o inquérito e encaminhou ao Ministério Público. Após apreciação das provas a promotoria também concluiu o parecer pedindo a cassação do diploma, do registro de candidatura e pedido de declaração de inelegibilidade da chapa. O inquérito já foi encaminhado ao Fórum e está sob o crivo do juiz da 7ª Zona Eleitoral desta Comarca Emerson Ricardo Fernandes.

Rigor

A exemplo do que ocorre em todo pais a justiça eleitoral vem endurecendo nas sentenças contra crimes praticados nas eleições. Como em Corumbá a situação se tornou clara aos olhos da lei, com provas concretas contra candidatos a vereadores eleitos processos foram instaurados e aguardam parecer do juiz.  Muitos casos estão sob investigações e não apenas um caso isolado. A situação não está definida, pois, dependendo das sentenças, a qualquer momento a política corumbaense pode ter uma reviravolta. Não se permite mais abuso de poder econômico.

Punição

O que parecia impossível, ou levava anos para se concretizar, agora, com as novas regras eleitorais são julgados e condenados em tempo recorde. A Justiça Eleitoral do Pará cassou a candidatura de Zenaldo Coutinho (PSDB), prefeito candidato à reeleição de Belém. Coutinho foi acusado pela coligação Juntos pela Mudança, liderada pelo candidato Edmilson Rodrigues (PSOL), de utilizar a propaganda institucional da gestão municipal em suas redes sociais em período proibido por lei. Zenaldo Coutinho liderou a apuração dos votos no primeiro turno.

Zenaldo e Rodrigues disputam o segundo turno na capital paraense. O tucano recebeu 31,02% dos votos válidos e o candidato do PSOL, 29,5%.

O juiz da 97ª Zona Eleitoral de Belém, Antônio Cláudio Von Lohrman, acatou a denúncia e cassou o registro de candidatura do tucano, no final da manhã desta quarta-feira (19). "Nós temos três dias para recorrer, mas vamos entrar com recurso em menos de 24 horas para reverter essa decisão, que é equivocada" informou o assessor jurídico do PSDB, Sábatto Rossetti.

Na decisão, o juiz enfatizou que "os réus vêm promovendo propaganda institucional pela internet em período vedado, em diversos meios de comunicação oficial da Prefeitura Municipal de Belém", profere na sentença.

O que acontece se o prefeito eleito for cassado?

A nova legislação advinda da minirreforma eleitoral, presidentes de câmaras municipais terão poder adicional à condução dos trabalhos do Legislativo: caso a chapa do prefeito eleito  seja cassada, novas eleições só serão realizadas após o trânsito em julgado da ação. Neste cenário, quem assume o Executivo é o presidente do Legislativo.

A avaliação foi feita pelo procurador regional eleitoral Luiz Carlos S. Gonçalves, novo chefe da Procuradoria Regional Eleitoral em São Paulo  – cujo mandato termina em 2019. Além do Ministério Público, esse também é o entendimento de advogados, do TSE e do TRE-SP.

No evento “Tira Dúvidas da Legislação Eleitoral a Jornalistas”, organizado pelo MPF na sede da Procuradoria Regional da República, Gonçalves falou sobre as novas mudanças na legislação para as eleições 2016 e, também, explicou o funcionamento da Justiça Eleitoral e do Ministério Público Eleitoral.

O procurador explicou que, com a nova lei, caso haja cassação do chefe da administração municipal, não assume mais a chapa que ficou em segundo lugar no pleito, como acontecia até a minirreforma eleitoral.

Novas eleições são convocadas após o trânsito em julgado da ação. Interinamente, neste período, os presidentes dos legislativos assumem o Executivo.

“Ninguém está olhando para isso, e vai ser um cargo importantíssimo em jogo”, disse.

Um ponto importante é o período em que a cassação do prefeito ocorrer. Caso seja nos primeiros três anos e meio, eleições diretas são convocadas. Se acontecer nos últimos seis meses do mandato, a Câmara Municipal realiza eleição indireta.

Código Eleitoral (Lei nº 4.737/1965) – Art. 224

§ 3º A decisão da Justiça Eleitoral que importe o indeferimento do registro, a cassação do diploma ou a perda do mandato de candidato eleito em pleito majoritário acarreta, após o trânsito em julgado, a realização de novas eleições, independentemente do número de votos anulados.

Parágrafo 3º acrescido pelo art. 4º da Lei nº 13.165/2015.

§ 4º A eleição a que se refere o § 3º correrá a expensas da Justiça Eleitoral e será:I – indireta, se a vacância do cargo ocorrer a menos de seis meses do final do mandato;II – direta, nos demais casos.Parágrafo 4º e incisos I e II acrescidos pelo art. 4º da Lei nº 13.165/2015.Caso a condenação seja de um parlamentar, quem assume é seu suplente. Procurado pela redação o prefeito eleito Ruiter Cunha não atendeu as ligações.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
SES lança serviço de consulta a resultados de exames da Covid-19 no próprio site
GERAL
Deputada visita Hemonúcleo de Corumbá e constata caos
GERAL
Salão de Beleza em Ladário pega fogo
COVID-19
Corumbá destaca-se em número de altas a pacientes com Covid
GERAL
Cassems realiza Assembleia Geral Ordinária para prestação de contas no dia 22
GERAL
UFGD e Prefeitura de Ladário querem ampliar projetos na Base Baía Nega
ACESSIBILIDADE
Projeto de Lei obriga símbolo do TEA em placas de atendimento prioritário
GERAL
Prazo para preenchimento do PGDI começa nesta quinta-feira
DIREITOS HUMANOS
Agressões contra crianças aumentaram na pandemia, diz especialista
GERAL
Projeto de Lei prevê publicação de lista de espera de procedimentos médicos na internet

Mais Lidas

COVID-19
Corumbá destaca-se em número de altas a pacientes com Covid
GERAL
Salão de Beleza em Ladário pega fogo
OPERAÇÃO
Polícia Federal investiga fraude em Concurso Público
GERAL
Deputada visita Hemonúcleo de Corumbá e constata caos